ONU declara que conversas sobre paz na Síria foram “grande chance perdida” e busca novas ideias

Por: SentiLecto

Uma rodada de conversas sobre a paz na Síria que acabou nesta quinta-feira foi uma grande chance perdida, mas pode haver mais conversas no próximo mês caso ideias possam ser encontradas para encorajar o governo do presidente Bashar al-Assad a participar, declarou o mediador da Organização das Nações Unidas, Staffan de Mistura.

Leer Más

Ex-assessor de Trump declara jamais ter ouvido sobre contato de alguém da campanha com russos

Por: SentiLecto

Michael Caputo, que foi um assessor da campanha eleitoral do presidente Donald Trump, declarou ter falado nesta sexta-feira a um comitê da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos que jamais ouviu sobre alguém da campanha conversando com russos.

Leer Más

Cessar-fogo na Síria genericamente respeitado – ONU

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Matryoshka dolls (3671820040) (2)

O enviado especial das ONU para as negociações de paz na Síria, Staffan de Mistura, que alegou que não são expectáveis grandes progressões mas antes “alguns desenvolvimentos incrementais”, alegou hoje que o armistício negociado pelos Estados Unidos, pela Rússia e pela Jordânia está a ser genericamente respeitado apesar de “alguns problemas”. A ronda de conversações indiretas que iniciou hoje – e que é a sétima até agora entre os representantes do governo sírio e os líderes da oposição — pretende acabar com a combate civil que se vive no país há seis anos.O começo das negociações em Genebra coincide com o primeiro dia inteiro do armistício no sul da Síria, que foi negociado na semana passada pelos Estados Unidos, pela Rússia e pela Jordânia.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.O ativista da oposição Ahmad al-Masalmeh, por seu lado, declarou que a cidade de Daraa, perto da fronteira com a Jordânia, está serena e o Observatório para os Direitos Humanos reportou bombardeios ligeiros durante a noite, segundo a AP.

Russos e norte-americanos consentiram com o estabelecimento de um armistício a partir das 09:00 de domingo no sul da Síria, anunciou hoje o chefe da diplomacia de Moscovo, à margem da cimeira do G20.”Hoje, nas capitais jordana, Amã, peritos de Rusia, norte-americanos e jordanos chegaram a acordo sobre um memorando para a criação de uma zona de diminuição de conflitos” nas províncias de Deraa, Qouneitra e Soueida, alegou Serguei Lavrov, em Hamburgo, onde decorre a cimeira dos dirigentes das 20 principais economia globais.”Nesta zona, haverá um armistício a partir de 09 de julho”, adicionou.Num primeiro momento, “a segurança em torno desta zona vai ser garantida por forças e meios da polícia militar russa, em coordenação com os jordanos e os norte-americanos”, especificou Lavrov.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.O seu homólogo norte-americano, Rex Tillerson, saudou o acordo. Justificou: “Trata-se de uma primeira indicação que os EUA e a Rússia são capazes de trabalhar em conjunto sobre a Síria”.Helicópteros do exército sírio efetuaram na manhã de hoje bombardeamentos no sudoeste da Síria, horas antes do armistício anunciado pela Rússia e Estados Unidos, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.Os ataques, que incluíram o lançamento de dois mísseis, ocorreram pouco depois da meia-noite, segundo o Observatório, adiantando que, desde então, reina a serena tanto em Deraa como nas províncias de Al Quneitra e Al Sueida, abrangidas pelo fim das animosidades.Na sexta-feira, os Estados Unidos e a Rússia chegaram a um acordo para o armistício no sudoeste na Síria, depois da reunião entre os líderes dos dois países, Donald Trump e Vladimir Putin, à margem da cimeira das 20 maiores economias mglobais o G20, que tconcluiusábado em Hamburgo, na Alemanha.Faz 6 anos, desde que iniciaram, aquelas províncias sírias foram palco de uma ampliação de a violência, especialmente Deraa, cuja capital se a considera o ” berço de a revolução ” em março de 2011, os protestos antigovernamentais que levaram a o conflito atual, em o último mês.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Jerusalém, 9 de jul – O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, saudou hoje o armistício na Síria, mas informou “não dever permitir a consolidação de uma presença militar do Irão e seus aliados na Síria, geralmente, e no sul, em particular “.Benjamin Netanyahu na reunião semanal do Governo declarou: “Na semana passada tive conversas profundas com o secretário de Estado de Noruega [Rex] Tillerson e o presidente russo, Vladimir Putin, que declararam compreender a posição de Israel e ter em conta as nossas pré-requisito”.O presidente informou que Israel conserva “firmemente as linhas vermelhas” que passam por “prevenir o fortalecimento de Hezbollah na Síria, com ênfase na aquisição de armas de exatidão.””Prevenir que Hezbollah – ou forças iranianas – assentem presença terrestre ao longo das nossas fronteiras e impedir o estabelecimento de uma presença militar iraniana na Síria” são as linhas vermelhas, explicou.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Israel e Jordânia demonstraram preocupação com o risco de propagação da violência entre as forças aliadas do Presidente sírio Assad Bacharal, como Irã e Hezbollah, com outras fações em áreas próximas às suas áreas de fronteira.Na sexta-feira, os Estados Unidos e a Rússia chegaram a um acordo para o armistício no sudoeste na Síria, depois da reunião entre os líderes dos dois países, Donald Trump e Vladimir Putin, à margem da cimeira das 20 maiores economias mglobais o G20, que tconcluiuno sábado em Hamburgo, na Alemanha.Mas hoje, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, helicópteros do exército sírio efetuaram durante a manhã bombardeamentos no sudoeste da Síria, horas antes do armistício anunciado pela Rússia e Estados Unidos.Os ataques, que incluíram o lançamento de dois mísseis, ocorreram pouco depois da meia-noite, segundo o Observatório, adiantando que, desde então, reina a serena tanto em Deraa como nas províncias de Al Quneitra e Al Sueida, abrangidas pelo fim das animosidades.Faz 6 anos, desde que iniciaram, aquelas províncias sírias foram palco de uma ampliação de a violência, especialmente Deraa, cuja capital se a considera o ” berço de a revolução ” em março de 2011, os protestos antigovernamentais que levaram a o conflito atual, em o último mês.

Leer Más

Governo sírio aceita participar de grupo com a ONU para redigir Constituição

Por: SentiLecto

O governo sírio aceitou participar de um grupo de experts para arremessar o processo técnico de elaboração de uma nova Constituição, um trabalho que também vai contar com a vai participar a oposição e que é um dos eixos das negociações de paz que acontecem em Genebra.

Leer Más