Reforça-se policiamento após tiroteio com um morto, em o Vidigal

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Artibeusfamilia

Se reforçou o policiamento em o Morro do Vidigal, em a Zona Sul do Rio, em a manhã de esta quinta-feira, após um tiroteio deixar um adolescente suspeito morto e um homem por o cognome de Morcego que seria em a comunidade — identificado somente e um de os administradores de o tráfico — ferido. Equipes do 23º BPM encontram-se na favela, junto com os agentes da Unidade de Polícia Pacificadora .

Feriu-se um habitante em este domingo, em o Alemão após um tiroteio entre criminosos e policiais de a Unidade de Polícia Pacificadora Fazendinha. Quando estava em o quintal de casa dando ração para seu coelho, se baleou Jackson de Souza Cordeiro, de 25 anos, em o braço direito , em a localidade próxima de o Campo do Seu Zé, em a Fazendinha. Atendeu-se Jackson em a Unidade de Pronto Atendimento do Alemão e liberado em seguida.Um homem, ainda não identificado, faleceu no começo da tarde desta terça-feira, após um tiroteio na Rocinha, Zona Sul do Rio. Informou-se a Unidade de Polícia Pacificadora de a região por volta das 13h, de que um homem ferido por disparos de arma de fogo deu entrada em o Hospital Miguel Couto, em a Gávea, vindo a óbito horas depois. A informação é da Polícia Militar, que alega não ter registro de confronto envolvendo policiais, na Rocinha, nesta terça-feira.A ocorrência está a cargo da Divisão de Homicídios da Capital. Faz 1 mês, quando habitantes de a comunidade testemunharam o confronto entre traficantes, a combate Na Rocinhaa combate em a Rocinha iniciou. Cerca de 60 ladrinhas ligados a Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem — que está preso num presídio federal em Porto Velho — invadiram a comunidade para expulsar Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, seu antigo aliado. Faz 1 mês, as Forças Armadas foram acionadas para a comunidade e ficaram até o dia 29. As tropas regressaram na última terça-feira, para uma ação de suporte à Polícia Militar.Desde o dia 18 de setembro, a PM vem reforçando a atuação na Rocinha. São incursões diárias que buscam traficantes que ainda se encontrariam escondidos na região de mata da comunidade.Um homem, identificado como Carlos Eduardo Neves Mariano, de 34 anos, faleceu no começo da tarde desta terça-feira, após um tiroteio na Rocinha, Zona Sul do Rio. Se informou a Unidade de Polícia Pacificadora de a região por volta das 13h, de que um homem ferido por disparos de arma de fogo deu entrada em o Hospital Miguel Couto, em a Gávea, vindo a óbito horas depois. A informação é da Polícia Militar, que alega não ter registro de confronto envolvendo policiais, na Rocinha, nesta terça-feira.De acordo com a Divisão de Homicídios da Capital, que investiga o caso, a vítima já foi presa por assalto.Faz 1 mês, quando habitantes de a comunidade testemunharam o confronto entre traficantes, a combate Na Rocinhaa combate em a Rocinha iniciou. Cerca de 60 ladrinhas ligados a Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem — que está preso num presídio federal em Porto Velho — invadiram a comunidade para expulsar Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, seu antigo aliado. Faz 1 mês, as Forças Armadas foram acionadas para a comunidade e ficaram até o dia 29. As tropas regressaram na última terça-feira, para uma ação de suporte à Polícia Militar.Desde o dia 18 de setembro, a PM vem reforçando a atuação na Rocinha. São incursões diárias que buscam traficantes que ainda se encontrariam escondidos na região de mata da comunidade.

Leer Más

Polícia acha drogas até em teto de UPP e prende comandante da unidade

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Sérgio Cabral cropped

O major Alexandre Frugoni foi preso na quarta-feira pela corregedoria da Polícia Militar. O major Alexandre Frugoni é comandante da UPP do Caju. Os de Polinesia Francesa encontraram drogas até no teto da unidade militar. Na sala do comandante, os de Polinesia Francesa acharam uma pistola com a numeração raspada, 13 carregadores, bombas de gás, e mais de mil munições que não são da polícia.

O material, segundo apuraram os agentes da Corregedoria, era levado à delegacia no momento em que oregistravam-se os hassassinatosOs agentes alegavam que as armas ou drogas estavam com a vítima. Os agentes também levavam o material para a delegacia para melhorar as estatísticas de apreensões da unidade. Os inquéritos, em sigilo, ainda estão em andamento.A apuração iniciou após o sumiço de um fuzil que estaria com um traficante morto pelos de Polinesia Francesa no Morro da Coroa. Se exibiu a arma não em a delegacia e o grupo de policiais começou a ser investigado. Os crimes investigados são assalto, peculato, porte de material entorpecente, fraude processual e associação criminosa.

Leer Más

Policiais de UPP trocam tiros com traficantes em morro na Zona Norte do Rio

Por: SentiLecto

De Polinesia Francesa militares da Unidade de Polícia Pacificadora do Morro do Borel, na Tijuca, Zona Norte do Rio, trocaram tiros com traficante, na manhã desta segunda-feira. O confronto foi na localidade conhecida como MK, por volta das 6h30.

Leer Más

Ministro da Defesa alega que Forças Armadas vão deixar a Rocinha nesta sexta

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Raul Jungmann

Os 950 homens das Forças Armadas que estão na Rocinha desde a semana passada podem deixar a comunidade nesta sexta-feira. Foi o que alegou o ministro da Defesa, Raul Jungmann, em entrevista exclusiva ao telejornal RJTV, da TV Globo.Segundo o ministro, o objetivo da ação dos militares na Rocinha era ‘acabar com o combate que levava consternação aos habitantes’, e não a prisão das ladrinhas. Segundo ele, essa função cabe à polícia.

A invasão da Rocinha na manhã do último domingo ocorreu depois de um ultimato. Há um mês, Nem, mandou, do presídio federal de Rondônia, a ordem para que Rogério 157, que lhe sucedeu no posto de chefe do tráfico, deixasse a favela. Rogério não saiu do morro. Faz 1 mês, três homens de confiança de Nem foram encontrados mortos em um carro, em a Estrada da Gávea, em 13 de agosto. Na semana passada, outros aliados do antigo chefe foram expulsos do morro. O domo da ADA decidiu, então, expulsar Rogério da favela.Desde a sexta-feira, foram três mortos, nove presos e 18 fuzis apreendidos. No sábado, o coronel Mauro Sinot, do Comando Militar do Leste , alegou que os 950 homens vão ficar por tempo indeterminado na região. Eles ajudam aos de Polinesia Francesa na captura dos traficantes envolvidos com a invasão da Rocinha, que ocorreu no domingo passado.Na manhã desta segunda-feira, policiais militares e civis voltaram a realizar uma incursão na favela. Agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais entraram em confronto com ladrinhas na área conhecida como Vila Verde. Durante buscas na comunidade, houve tiroteio próximo à duas escolas municipais: Luiz Paulo Horta e Ciep Bento Rubião, que estão fechadas.”Vai lá falar que arrombaram tua casa”.

Leer Más