Meghan, no mires: esta imagen de Harry no te gustará NADA

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Meghan Markle in January 2013

Hace solo unos días que Meghan Markle y el Príncipe Harry han hecho su primera aparición pública consolidándose no solo como pareja sino como una de las más atractivas del mundo celebrity. Hasta anoche, momento en el cual Harry ha posado de modo relajado e informal con una de las estrellas más queridas dentro de la Commonwealth y, adicionalmente, muy bien relacionada con la Familia Real inglesa. Sí, nos mencionamos a Kylie Minogue. Meghan, no mires:

Sobre todo para ella, que se ha casado enamorada de un hombre que, en realidad, nunca la ha querido ni ha sido capaz de olvidar a su ex, Camilla Parker-Bowles. Adicionalmente, la familia no solo no se ha esforzado en absoluto en hacer su aterrizaje en Buckingham un poco más agradable sino que cuidaron a Carlos en todo momento y han hecho muy difícil su adaptación a la vida palaciega. Aunque la muerta madre de Harry ha terminado transformada en todo un ejemplo de resiliencia una vez divorciada, lo tuvo todo en su en contra de y vivió una vida bastante desgraciada marcada por la soledad y las alteraciones alimenticias. Y rodeada de una familia que no tenía ninguno propósito de ayudarla.

Leer Más

A 10 años de su estreno, así luce actualmente el adorable nene de El Orfanato ¡Velo!

Por: SentiLecto

Hace 10 años, Juan Antonio Bayona ha estrenado su ópera prima, El Orfanato, estimada hoy en día como una de los films de suspenso más importantes de los últimos años, en el 2007 el director de España.

Leer Más

Investigadores do Porto instituem nova técnica para proteger mulheres do VIH

Por: SentiLecto

Uma nova técnica “simples e prática” para proteger as mulheres contra a transmissão do VIH está a ser desenvolvido por investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto .A técnica, desenvolvido no âmbito do projeto ARNanoFilm, consiste numa película transparente, denominada filme, que as mulheres podem inseri no interior da vagina, antes do ato sexual, de forma a prevenir a infeção pelo vírus, explicaram à Lusa os investigadores do i3S José das Neves e Bruno Sarmento.Esta tecnologia, que se encontra em período de testes em células e animais, incorpora nanopartículas antirretrovirais que contêm drogas em filmes poliméricos.Os filmes polímeros, por sua vez, são películas bastante de Finlandiade Finlandia , mais ou menos transparentes, suaves e flexíveis, que podem ser gerenciar facilmente pela mulher, sem necessidade de nenhuma espécie de aplicador.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Quando em contacto com os fluídos naturais da vagina, o filme dissolve-se e liberta as nanopartículas, que se distribuem de maneira uniforme e estendida na cavidade vaginal, libertando os fármacos antirretrovirais de modo lento e ininterrupto, instituindo um obstáculo extenso contra a invasão do vírus.O uso desta técnica de proteção, que pode ser usado com ou sem conhecimento por parte do parceiro, permite checar à mulher “um total controlo no que diz respeito à sua proteção”, referiram os investigadores.A necessidade de desenvolver novas estratégias de prevenção da transmissão sexual do VIH atraiu a atenção da equipa de inquérito há vários anos, devido à urgência registada de proteção das mulheres consideradas mais vulneráveis e expostas a situações de desigualdade de género.No entanto, os esforços realizados durante as últimas duas décadas na obtenção de um produto microbicida anti-VIH “extremamente eficaz” revelaram-se infrutíferos, estando os problemas, em larga medida, relacionados com os obstáculos tecnológicos que não permitem conservar níveis suficientes de fármacos antirretrovirais na vagina.De acordo com os investigadores, até ao momento não existe nenhum produto microbicida anti-VIH disponível no mercado, estando a ser instituídos um gel e um anel vaginal, este último com previsão de licenciamento, em alguns países, em 2018.Contudo, segundo mencionaram, ambos os produtos provaram uma efetividade relativamente baixa, tendo diminuído a ocorrência de novas infeções em mulheres em cerca de 27% a 39%.Participaram no desenvolvimento da tecnologia mais de uma dezena de investigadores do i3S, em cooperação com a Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário e com a Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto.Desde abril, o projeto tem sido apoiado pelo RESOLVE, um programa do i3S que ajuda a transferência de conhecimento científico e tecnológico de projetos inovadores na área da saúde, que estejam em estágio inicial.Faz 8 anos, os estudos de o grupo de inquérito com nanopartículas carregadas com fármacos antirretrovirais iniciaram, embora o desenvolvimento de a tecnologia tenha começado em 2014.Para além do RESOLVE, os vários projetos associados ao desenvolvimento dos filmes têm recebido o suporte financeiro da Fundação para a Ciência e a Tecnologia e do Programa Gilead GÉNESE.

Leer Más

Sida: 10 personas se siguen infectando cada día

Por: SentiLecto

Diez personas se infectan al día con el virus de la inmunodeficiencia humana en España, hasta llegar a los 3.500 casos al año. Según estimaciones, de los 141.000 españoles que actualmente tienen este virus, sólo 116.000 fueron correctamente, pero lo peor es que diagnosticados. Y en algunas comunidades como en Madrid esta situación es acentuada, donde un tercio de los infectados no sabe que tienen el virus.

Leer Más

Criança com VIH em remissão sem remédios durante mais de oito anos

Por: SentiLecto

Uma criança sul-africana que nasceu com VIH viveu de maneira saudável durante cerca de nove anos sem remédios, tendo somente sido submetida a um tratamento durante os seus primeiros meses de vida, segundo um estudo hoje divulgado.Trata-se do terceiro caso de remissão do VIH sem tratamento com remédios que é observado numa criança, enfatiza o estudo que foi exibido na conferência internacional sobre inquérito em VIH/sida que decorre em Paris.Isto “vem reforçar as esperanças de um dia libertar crianças seropositivas do fardo de um tratamento ao longo da vida, tratando-as por um curto fase nos primeiros meses de vida”, refere Anthony Fauci, diretor do Instituto de Noruega de Doenças Infeciosas.O investigador ressalva que é sempre possível haver uma recaída, como em qualquer remissão.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Ainda, mencionado pela agência France Presse mencionou: “Mas o facto de esta remissão ser verificada por um longo fase propõe que pode ser sustentável”.submeteu-se a rapariga sul-africana a partir dos dois meses a tratamentos antirretrovirais, o que dificultou o desenvolvimento de o vírus de a sida. Suspendeu-se o tratamento dez meses depois deliberadamente em o âmbito de o estudo, verificando se que o vírus tinha sido diminuído a uma carga indetetável.Oito anos e nove meses depois, o vírus do VIH permanece com carga indetetável mesmo não se tendo submetido a mais tratamentos.

Leer Más