África ainda tem milhares de crianças-soldado, adverte ONG

Por: SentiLecto

Dezenas de milhares de crianças são obrigadas a atuar como soldados em pelo menos sete países da África subsaariana, advertiu nesta terça-feira a ONG Child Soldiers International no Dia Internacional Contra o Uso de Crianças-soldado.

“Temos um longo percurso a seguir e isso vai proporcionar a devolução de 19 mil crianças para as famílias, pois até o momento ainda existem 16 mil recrutadas em todo o país”, adicionou a porta-voz.

“Os ininterruptos conflitos na Somália, no Sudão do Sul, na República Democrática do Congo, na República Centro-Africana e em outros países fazem com que as crianças estejam cada vez mais expostas ao recrutamento. Utiliza-se meninos e meninas com frequência como combatentes e em postos de controle, como informantes, saqueadores de aldeias ou escravos domésticos e sexuais “, alegou a ONG que luta a utilização de menores como soldados em o mundo,, em comunicado.

O relatório mais recente da Organização das Nações Unidas sobre crianças e conflitos armados publicado em 2018 – com números de 2017 – assinala o utilização de menores na função de soldado em países africanos como República Centro-Africana, República Democrática do Congo, Mali, Somália, Sudão, Sudão do Sul e Nigéria.

Faz 2 anos, em esse continente aumentou o número de crianças recrutadas por o Al-Shabaab em a Somália e pelo menos 203 foram utilizados como suicidas por o grupo jihadista Boko Haram em Camarões e em a Nigéria em o mesmo ano, de acordo com o relatório de a ONU analisado por a Child Soldiers International. Faz 2 anos, já em o Sudão do Sul, pelo menos 1.221 foram recrutadas, totalizando cerca de 19 mil menores participantes de um conflito que assola o país mais jovem de a África desde o fim de 2013.

Na sua vez, helene evidenciou que qualquer criança tirada do grupo armado “encarna um retorno à infância e a sua recuperação para o futuro”.

Na República Centro-Africana foram verificados 14 mil recrutamentos desde que o conflito iniciou, há seis anos, até meados de 2018. Além disso, mais de 3 mil casos foram reportados na República Democrática do Congo em 2017, segundo o Unicef, para várias milícias ativas no nordeste do país, como a Bana Mura e a Kamuina Nsapu.

Faz 7 anos, enquanto em 2017 esse número chegou a 8.185 em 15 países, em números gerais a ONU contabilizou o recrutamento de 3.159 novas crianças em 12 países, uma ampliação de %159, conforme evidenciou a Child Soldiers International. Faz 6 anos, ao todo, segundo a ONG, o número de recrutamentos com base a 2018 foi de 29.128 em 17 países, mas a metade dos casos aconteceu fora da África em nações como Síria, Iraque e Colômbia.

No mundo todo, mais de 240 milhões de menores de idade vivem atualmente em zonas de combate; muitos deles em contextos de violência, deslocamento, fome e exploração por parte de grupos armados.

Fonte: EfeGeneric

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: Colombia, Syria, Somalia, Congo

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>África ainda tem milhares de crianças-soldado, adverte ONG
>>>>>Unicef anuncia desmobilização de 120 crianças-soldado no Sudão do Sul – February 12, 2019 (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 países 0 0 NONE 4 15 países: 1, outros países: 1, 17 países: 1, 12 países: 1
2 ONG 0 0 ORGANIZATION 3 a ONG: 3
3 conflito 0 100 NONE 2 um conflito: 2
4 menores 0 40 NONE 2 menores: 1, 19_mil menores participantes: 1
5 Child Soldiers International 0 0 ORGANIZATION 2 a Child_Soldiers_International: 2
6 a República_Centro-Africana 0 0 PLACE 2 a República_Centro-Africana: 2
7 a Somália 0 0 PLACE 2 a Somália: 2
8 mundo 0 0 NONE 2 o mundo: 2
9 o Sudão_do_Sul 0 0 PLACE 2 o Sudão_do_Sul: 2
10 muitos de eles em contextos de violência deslocamento fome e exploração por_parte_de grupos armados 0 160 NONE 1 muitos de eles em contextos de violência deslocamento fome e exploração por_parte_de grupos armados: 1