Após utilização política, Caixa deverá encolher para se conservar

Por: SentiLecto

A utilização política da Caixa fez o banco se tornar o maior na concessão de empréstimos, mas hoje a instituição paga um custo alto: virou alvo da Lava Jato, deveu afastar quatro executivos por anormalidades e, sem ajudinha do governo, deverá encolher para satisfazer as normas internacionais de solidez financeira.

Os próprios dirigentes recém-afastados da instituição relataram, em seus testemunhos, interferências do executivo na administração, com a finalidade de favorecer integrantes de sua legenda, e afirmavam que era necessário “tomar cuidado” com ele.

Na quinta-feira 04 de janeiro o presidente Michel Temer havia autorizado a Caixa a usar R$ 15 bilhões do FGTS para investimentos em créditos imobiliários.

O presidente Gilberto Occhi , que também está sob inquérito por anormalidades, tentou primeiro obter dinheiro do Tesouro. Depois, do FGTS. Mas padeceu um revés, e a saída agora, segundo pessoas que acompanham as discussões, é vender parte da carteira de crédito e repassar menos dividendos à União. Com isso, seria possível erguer R$ 15 bilhões.

Procurado, Occhi informou que não se demonstraria. O deputado Toninho Pinheiro declarou que o valor obtido foi menor que o pleiteado e que não houve nada de irregular. O Epa negou ter acionado o congressista. Valdemar Costa Neto não comentou.

Braço da União na implementação de programas sociais, como o Minha Casa, Minha Vida, o Bolsa Família e o Fies, a Caixa foi loteada: das 12 vice-presidências, 8 foram indicações políticas.

O Conselho de Administração da Caixa enviou o caso em a Comissão de Ética Pública da Presidência que vai julgar , se houve infração ética em o episódio.Pereira não se pronunciou. Ela pediu deferimento do prazo para exibi sua defesa ao colegiado.CIRCUNSTÂNCIAS POLÍTICAS

Se acusa Geddel Vieira Lima pego pela PF em a Operação Cui Bono ?, o então de aprovar empréstimos em troca de propina ou para comprazer políticos . a políticos. Geddel Vieira Lima é vice-presidente de Pessoa Jurídica . políticos.

Para liberar de R$ 5 bilhões a R$ 8 bilhões em financiamentos para companhias, Geddel recebeu ao menos R$ 20 milhões em propina, segundo o delator Lúcio Funaro, operador do esquema no banco.

EXPANSÃO

A Caixa aumentou muito durante os dois mandatos de Lula. Faz 15 anos, tinha R $ 18,8 bilhões em a carteira de crédito, quando ele assumiu o governo, em 2003. Em 2011, na chegada de Dilma ao poder, esse estoque já era de R$ 212,7 bilhões.

A ex-presidente agilizou a política expansionista ainda mais e utilizou o banco para forçar as demais instituições a diminuir os juros. Esse movimento foi acompanhado por uma diversificação das atividades da Caixa, que passou a fazer consignado e até financiamento de veículos.

Auditores do TCU consideram que se os arremessou até programas sociais “sem muita consistência”. Instituído em 2014, o Minha Casa Melhor, por exemplo, gerou perda de cerca de R$ 500 milhões no primeiro ano.

Faz 2 anos, quando Dilma deixou o governo, a Caixa já estava em a frente de o Banco do Brasil, com R $ 661 bilhões em a carteira de crédito, em 2016. receita bateu em R$ 22,4 bilhões, mas o lucro foi de R$ 4,1 bilhões, segundo levantamento da consultoria Austin Asis.

Luis Miguel Santacreu, analista da Austin Asis declarou: “A Caixa foi quase uma extensão do Orçamento federal, uma maneira de gastar sem prestar contas e segurar a crise financeira pelo crédito”.

Segundo ele, a Caixa viu seu capital definhar diante dos preços aumentados da prestação de serviços e do pagamento de dividendos bilionários para que o governo satisfizesse suas metas fiscais.

Quando FHC assumiu a posição, desde 1995 até o fim de 2016, a Caixa pagou quase R$ 40 bilhões à União, em valores corrigidos pela inflação.Somente com Dilma, o banco enviou ao controlador R$ 29 bilhões. Nesse mesmo fase, o lucro do banco caiu 20%.

Desse fase, diversas operações ainda seguem sob inquérito do TCU. Os auditores questionam desde manobras para ampliação do lucro até distribuição de dividendos.

Fonte: FolhaGeneric

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Italy

Cities: Como

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Após utilização política, Caixa deverá encolher para se conservar
>>>>>Vices afastados da Caixa dizem que presidente atendia a interesses do PP – January 21, 2018 (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>Caixa nomeia interinos para as vagas de vices afastados – January 17, 2018 (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>>>>>BC sugere afastamento de vices da Caixa por suspeita de corrupção – January 16, 2018 (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>MPF diz que Temer poderá ser responsabilizado por ilícitos na Caixa – (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>>>>>Temer decide afastar vice-presidentes da Caixa por 15 dias – January 16, 2018 (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>>>>>Conselho da Caixa quer afastar vices-presidentes definitivamente – (FolhaGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Caixa 0 0 ORGANIZATION 9 a Caixa: 6, A Caixa: 2, Caixa: 1
2 R 0 0 ORGANIZATION 6 R: 6
3 Gilberto Occhi 0 0 PERSON 4 (tacit) ele/ela (referent: Occhi): 1, O presidente Gilberto_Occhi: 2, Occhi: 1
4 FGTS 0 75 ORGANIZATION 3 (tacit) ele/ela (referent: o FGTS): 1, o FGTS: 2
5 banco 0 0 NONE 3 o banco: 3
6 governo 0 0 NONE 3 o governo: 3
7 irregularidades 0 120 NONE 2 irregularidades: 2
8 Geddel Vieira Lima 0 50 PERSON 2 Geddel: 1, Geddel_Vieira_Lima (apposition: vice-presidente de Pessoa_Jurídica): 1
9 eu 4 0 NONE 2 (tacit) eu: 2
10 Comissão de Ética Pública da Presidência 0 0 ORGANIZATION 2 a Comissão_de_Ética_Pública_da_Presidência: 2