RodrigoMaiaeRogC3A9rioRossoseabraC3A7am.jpg

Maia reage a Temer e declara que ‘não decidiu’ se vai pautar MP da reforma

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Rodrigo Maia e Rogério Rosso se abraçam

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia , reagiu nesta terça-feira à dresoluçãodo governo de editar uma medida provisória amodificandopontos importantes da reforma trabalhista e ddeclarouque ainda não decidiu se pvai pautara matéria no Congresso.

Só orando Há forte apreensão na área técnica da equipe econômica com a instabilidade da base governista no Congresso. Com uma série de projetos e vetos importantes na pauta, o medo é que “em dois meses, coloquem o ano todo a perder” impondo derrotas para pressionar o Planalto.Vai que é tua O presidente da Câmara, Rodrigo Maia , deu recado cristalino a Michel Temer no final do café da manhã em que debateram a reforma da Previdência. Declarou que, ou ele se envolvia pessoalmente, chamando políticos e formadores de opinião um a um para mitigar as resistências, ou a proposta iria para o buraco.

Na terça-feira 07 de novembro Rodrigo Maia havia alegado não ter visto com tanto “pessimismo” o discurso em que Michel Temer admitia uma possível derrota na aprovação da reforma da Previdência e, ao mesmo tempo, tentava transferir o ônus desse fracasso para o Congresso. Rodrigo Maia é o presidente da Câmara.

Rodrigo Felinto Ibarra Epitácio Maia é um político brasileiro, nascido no Chile.

Segundo Maia, que tem duelado com o presidente Michel Temer pela condução da agenda de reformas do país, “tratar do direito do trabalhador via MP é um erro”.

Michel Miguel Elias Temer Lulia é um político, advogado e escritor brasileiro, atual presidente brasileiro após o impeachment da titular, Dilma Rousseff.

“Eu não decidi pautar a matéria. Preciso avaliar e conversar com os líderes. Tratar do direito do trabalhador via MP é um erro e também enfraquece a lei aprovada no Congresso”, declarou à Folha o presidente da Câmara. Nesta terça, Temer contrariou Maia, que , por sua vez, não gostou da resolução do presidente, e assinou uma medida provisória modificando pontos importantes da reforma trabalhista. Divulgou-se o texto em edição extra de o ” Diário Oficial “.

O presidente da Câmara defendia que as mudanças fossem feitas via projeto de lei, ou seja, proposta que precisa do aval prévio do Congresso antes de entrar em forcita.

Temer explicou ao deputado que não poderia romper com a promessa feita em julho aos senadores governistas para que aprovassem a proposta no formato definido pela Câmara. “Ele [Maia] foi persuadido de que havia um acordo para que fosse uma medida provisória”, declarou o presidente do Senado, Eunício Oliveira . Declarou a aliados que não conhece o texto nem as consequências da edição da MP e, por isso, avaliará a vai colocar ou não para apreciação dos deputados.

Por outro lado, “Primeiro deve avaliar juridicamente qual redação que sairá da delegação para ir ao plenário para a gente ver qual campo está certo. Vamos escutar alguns juristas para que, se chegar ao plenário, [o texto] chegue com tudo elucidado e que, em suposição nenhuma essa questão [aborto em caso de estupro] tenha nenhuma espécie de vedação”, completou.Lideranças de diversos partidos tentam, por meio de um projeto de lei adicional de autoria de Nelson Marquezelli , rever o escopo da lei e articularam um requerimento de urgência para que o assunto seja votado depressa na Câmara.

As mudanças feitas via MP entram em forcita de maneira imediata, mas dependem da aprovação do Senado e da Câmara para se tornarem permanentes.

NOVO TEXTO

O novo texto calcula uma quarentena de 18 meses para a migração de um contrato por prazo indeterminado para um de personalidade intermitente. Essa norma vale exclusivamente até dezembro de 2020.

A medida provisória também estabelece uma nova parametrização para o pagamento de prejuízo moral, que varia de três vezes o telhado do INSS , para injúria de natureza leve, e chega a 50 vezes nos casos de natureza gravíssima. O telhado das vantagens previdenciários é hoje de R$ 5.531,31.

O Congresso De a maneira como aprovou ele , o texto coloca o próprio salário de o trabalhador como parâmetro , o que gerou diversas críticas.

Para a trabalhadora gestante, o texto determina que elas devem ser afastadas de atividades insalubres durante a gestação, mas permite que atuem em locais com insalubridade em grau médio ou mínimo quando ela “voluntariamente” exibi atestado de saúde com a autorização.

Fonte: FolhaGeneric

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Maia reage a Temer e declara que ‘não decidiu’ se vai pautar MP da reforma
>>>>>Maia diz que Temer terá que se empenhar pessoalmente na aprovação da Previdência – (FolhaGeneric)
>>>>>Maia diz que proibir aborto em caso de estupro ‘não passa na Câmara’ – (FolhaGeneric)
>>>>>Maia sinaliza apoio a deputados que tentam reverter Lei da Ficha Limpa – (FolhaGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 80 0 NONE 13 (tacit) eu: 12, Eu: 1
2 Rodrigo Maia 0 0 PERSON 10 Rodrigo_Maia (apposition: o presidente de a Câmara): 1, (tacit) ele/ela (referent: Rodrigo_Maia): 2, ele (referent: Rodrigo_Maia): 1, O presidente de a Câmara Rodrigo_Maia e: 1, (tacit) ele/ela (referent: O presidente de a Câmara Rodrigo_Maia e): 4, Rodrigo_Maia: 1
3 Michel Temer 0 76 PERSON 7 Temer: 1, (tacit) ele/ela (referent: Temer): 3, Michel_Temer: 2, o presidente Michel_Temer: 1
4 texto 0 0 NONE 6 O texto: 1, o texto: 3, novo texto: 1, O novo texto: 1
5 Congresso 0 0 ORGANIZATION 5 o Congresso: 5
6 Maia 0 0 PLACE 4 (tacit) ele/ela (referent: Maia): 1, Maia: 3
7 proposta 0 0 NONE 4 proposta: 2, a proposta: 2
8 Câmara 60 0 ORGANIZATION 3 a Câmara: 3
9 MP 0 0 ORGANIZATION 3 MP: 3
10 erro 0 180 NONE 2 um erro: 2