PF satisfaz mandados de prisão contra domo do transporte coletivo no Rio

Por: SentiLecto

A Polícia Federal satisfaz mandados de prisão na manhã desta segunda-feira em novo período da Operação Lava Jato, que tem como alvo a domo do transporte coletivo no Rio de Janeiro.

A Operação Lava Jato é um conjunto de inquéritos em andamento pela Polícia Federal do Brasil, que satisfez mais de mil mandados de busca e apreensão, de prisão provisória, de prisão preventiva e de condução coercitiva, visando apurar um esquema de lavagem de dinheiro que agitou bilhões de reais em propina.

Os inquéritos apuram o pagamento de R$ 200 milhões em propina a políticos e funcionários de setores públicos de fiscalização ligados ao setor de transportes.

“Naturalmente há políticos que auxiliamo a eleger, com trabalho nas companhias. Como há bancada ruralista, há a do transporte. […] É [uma assistência] pessoal. Temos certa influência junto aos funcionários. São pessoas em cujo trabalho acreditamos e pedimos para que votem nelas”, alegou.

Na segunda-feira 12 de junho um dia após receber uma profissão com pedido da Fetranspor havia sido o suficiente para que o ex-governador do Rio Sérgio Cabral concedesse desconto de 50% no IPVA para companhias de ônibus.

Faz 6 meses, já programada, esta etapa de a operação teve de ser adiantada, em a noite de domingo, de o empresário Jacob Barata Filho, um de os maiores empresários de ônibus de o Estado do Rio Janeiro, filho de o empresário e banqueiro Jacob Barata, conhecido como ” Rei dos Ônibus “.

A Folha revelou este mês que Cabral concedeu desconto de IPVA às ecompanhiasde ônibus num processo administrativo que tramitou por asomenteum dia no Estado. O Ministério Público Federal investiga o caso.

Jacob Barata é um empresário e banqueiro brasileiro, de origem judaico-sefardita, no ramo de transporte rodoviário de passageiros, nascido no Pará e radicado na cidade do Rio de Janeiro, sócio fundador do Grupo Guanabara.

Faz 6 meses, quando tentava embarcar para Lisboa, se deteve Barata Filho em o aeroporto Tom Jobim, em o Rio em Portugal.

Um dos mandados de prisão, segundo a GloboNews, seria contra Lélis Marcos Teixeira, presidente da Fetranspor . Faz 4 meses, quando da operação Quinta do Ouro, ele chegou a ser levado para depor, em a mesma ocasião em que se governou Jorge Pìcciani coercitivamente, em 29 de março. Jorge Pìcciani é o presidente da Alerj.

Fonte: FolhaGeneric

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: Portugal

Cities: Lisbon

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>PF satisfaz mandados de prisão contra domo do transporte coletivo no Rio
>>>>>PF prende maior empresário de ônibus do Rio, investigado na Lava Jato – July 03, 2017 (FolhaGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Jacob Barata 0 25 PERSON 4 (tacit) ele/ela (referent: Barata_Filho): 1, Barata_Filho: 1, o empresário Jacob_Barata_Filho: 1, Jacob_Barata: 1
2 nós 0 0 NONE 4 (tacit) nós: 4
3 prisão 15 120 NONE 3 prisão: 1, prisão preventiva: 1, prisão temporária: 1
4 Federal 0 0 PERSON 3 a Polícia_Federal_do_Brasil: 2, A Polícia_Federal: 1
5 o Rio 0 0 PLACE 3 o Rio: 3
6 suficiente 40 0 NONE 2 o suficiente: 2
7 Cabral 0 0 PERSON 2 (tacit) ele/ela (referent: Cabral): 1, Cabral: 1
8 Operação Lava Jato 0 0 ORGANIZATION 2 a Operação_Lava_Jato: 1, A Operação_Lava_Jato: 1
9 pessoas 0 0 NONE 2 pessoas: 2
10 processo 0 0 NONE 2 um processo administrativo: 2