Rescisão de delação por Janot foi ‘covardia’, declara Joesley

Por: SentiLecto

Em testemunho à Justiça nesta sexta , em São Paulo, Joesley Batista, que , chamou de “covardia” a rescisão de seu acordo de delação premiada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Se cancelaram as vantagens concedidas a o sócio de a JBS como a imunidade penal por os crimes que delatou, os vantagens concedidos a o sócio de a JBS, como a imunidade penal por os crimes em a quinta, junto com a acusação contra o presidente Michel Temer que o procurador encaminhou a o STF.

Pelo acordo, ficava assegurado que os delatores, por terem contado o que sabiam, não seriam presos nem processados

Na sexta-feira 08 de setembro ele havia sido intimado em um procedimento interno da PGR que decidiria pela revisão ou não do acordo de delação premiada dos irmão Joesley e Wesley Batista.

“O procurador foi bastante questionado pela nossa imunidade.

“Fui mexer com os proprietários do poder e estou aqui agora. Estou pagando por isso”, continuou o empresário.

É geral no meio jurídico a desconfiança de que o delator grampeou Mendes, mas o ministro alega agora não ter mais dúvidas de que isso aconteceu.O procurador-geral escreveu em manifestação que “nenhum dos atuais colaboradores, direta ou indiretamente, haviam buscado tratativas com a PGR para começar negociação, fato que só veio a ocorrer por volta do dia 27 de março”.

Ao final da audiência, o juiz federal João Batista Gonçalves decidiu conservar a prisão preventiva que determinou na terça . Como justificativa, mencionou o risco do empresário deixar o país, por conta dos recursos de que dispõe para se deslocar para viajar ao exterior.

João Batista Gonçalves Campos, primeiro e único barão e visconde com honras de grandeza de Jari, foi um juiz de Brasil.

Ele também decidiu que conservará-se Joesley sob custódia de a Polícia Federal.

Joesley Batista é um empresário de Brasil, um dos proprietários e culpada pelo processo de expansão e internacionalização da JBS, uma das principais companhias do agronegócio no Brasil.

Joesley e seu irmão, Wesley Batista, foram alvos de um mandado de prisão na quarta pela Operação Tendão de Aquiles, a pedido da Justiça Federal de São Paulo. Terem supostamente utilizado informações sigilosas de sua delação premiada para lucrar em o mercado de capitais, vendendo ações e fazendo reservas de dólares antes de a delação vir público , se os investiga por. a público.

> Fotografias e vídeos de investigados e de entregas de dinheiro

Ele declarou, também, que os bancos têm limitado crédito, sem renová-los, e que neste ano os dividendos de seu grupo empresarial ficaram abaixo da expectativa.

Fonte: FolhaGeneric

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Brazil

Cities: Sao Paulo

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Rescisão de delação por Janot foi ‘covardia’, declara Joesley
>>>>>Joesley Batista deixa carceragem da PF em SP e segue para Brasília – (FolhaGeneric)
>>>>>Gilmar Mendes diz estar convicto de que foi gravado por Joesley – (FolhaGeneric)
>>>>>Delator contradiz Janot e relata reunião antes de gravação oculta – (FolhaGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 50 50 NONE 5 (tacit) eu: 5
2 Joesley e seu irmão 0 212 PERSON 4 Joesley e seu irmão: 1, Eles (referent: Joesley e seu irmão): 1, (tacit) eles/elas (referent: Joesley e seu irmão): 2
3 João Batista Gonçalves Campos 45 0 PERSON 3 (tacit) ele/ela (referent: João_Batista_Gonçalves): 2, João_Batista_Gonçalves: 1
4 Batista Joesley 0 0 PERSON 3 Joesley_Batista: 2, Joesley: 1
5 empresário 0 0 NONE 3 o empresário: 2, um empresário brasileiro: 1
6 os benefícios concedidos a o sócio de a jbs como a imunidade penal por os crimes 140 160 NONE 2 Os benefícios concedidos a o sócio de a JBS como a imunidade penal por os crimes: 2
7 desconfiança 0 140 NONE 2 a desconfiança: 2
8 PGR 70 40 ORGANIZATION 2 a PGR: 2
9 procurador 0 35 NONE 2 O procurador: 1, o procurador: 1
10 acordo 60 0 NONE 2 o acordo: 2