Bolsonaro chega a Dallas para segunda visita oficial aos EUA

Por: SentiLecto

O presidente Jair Bolsonaro chegou na manhã desta quarta-feira a Dallas, no estado de America do Texas, para sua segunda visita oficial aos Estados Unidos. O líder de Brasil desembarcou por volta de 10h45 no aeroporto internacional Forth Worth, de onde seguiu para o hotel Hilton Park Cities. É a quinta vez que Desde que tomou posse na Presidência, bolsonaro deixa o Brasil, em janeiro.

– O presidente Jair Bolsonaro exonerou Alfredo Sirkis depois do organismo ter trabalhado para contornar o posicionamento dúbio do governo em relação nas mudanças climáticas. Alfredo Sirkis é o coordenador-geral do Fórum de Mudanças Climáticas.o ex-presidente Michel Temer instituiu o fórum , em parceria com organizações de a sociedade civil , com o objetivo de formular o plano de o país para atender a os compromissos assumidos sob o Acordo de Paris sobre as mudanças climáticas. Sirkis é um dos fundadores do Partido Verde. Sirkis é ex-deputado que se declara “ambientalista militante”. Na juventude, ele aderiu à luta armada contra a ditadura militar. À Reuters, Sirkis declarou que a medida é um resultado provável da iniciativa do fórum de coordenar 12 Estados brasileiros para a criação de um conselho sobre mudanças climáticas, que atuaria de modo independente do governo federal. Ele reconheceu, contudo, que podem haver muitos outros motivos, uma vez que suas convicções sobre as mudanças climáticas estão em desalinho com o novo governo. Ele declarou: “Para mim não foi absolutamente nenhuma surpresa”. “Porque eu sou um ambientalista militante há mais de 30 anos… Eu também estou envolvido politicamente com a luta ambiental.” se publicou a exoneração de ele em o Diário Oficial da União. Designou-se Oswaldo dos Santos Lucon para organizar o fórum. Oswaldo dos Santos Lucon é assessor da Secretaria de Meio Ambiente de São Paulo. Sirkis está entre os muitos ativistas e ex-integrantes do governo que têm criticado Bolsonaro pelo que consideram posicionamentos opostos ao meio ambiente. O governo rebaixou o protagonismo das mudanças climáticas dentro do Ministério do Meio Ambiente, de onde também retirou a política nacional de recursos hídricos e o serviço de proteção das florestas. Embora o Brasil tenha conservado sua adesão ao Acordo de Paris, bolsonaro e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, têm dito dúvidas sobre a participação humana nas mudanças climáticas. Sirkis declarou ter conhecimento de que sua exoneração foi feita a pedido de Salles. O ministro, por sua vez, declarou não ter nada contra Sirkis. “Para poder colocar o Lucon devia ser no lugar do Sirkis… nada pessoal contra ele”, declarou o ministro à Reuters, sem dar mais detalhes. O Palácio do Planalto não desejou comentar. Salles tem negado que o governo esteja enfraquecendo as proteções ambientais, alegando que a reorganização do ministério tem como objetivo tornar as regulamentações mais eficientes e efetivas. Lucon declarou que continuará no trabalho como assessor para mudanças climáticas do governo de São Paulo, ao mesmo tempo em que organizará o fórum. Lucon declarou: “O que posso declarar é que confio nas evidências científicas, nas instituições e na necessidade de esforços conjuntos para o cumprimento dos acordos multilaterais dos quais o Brasil faz parte”.- O presidente Jair Bolsonaro alegou, em sua conta no Twitter neste sábado, que é preciso aprovar a reforma da Previdência “sem tantas mudanças para que o mercado ganhe a confiança no Brasil e possamos evoluir cada vez mais”. A proposta — uma das mais importantes do ajuste fiscal que o governo pretende fazer — está em debate em uma delegação mista da Câmara dos Deputados. Na delegação especial, colegiado em que vai ser debatido o mérito do texto, tem havido pressão para mudanças no conteúdo, como a retirada das mudanças na aposentadoria rural e na vantagem de prestação continuada, o BPC. O presidente também utilizou o Twitter nesta manhã para exaltar medidas de desburocratização e a medida provisória da liberdade econômica que, declarou, agiliza “a abertura de filiais estrangeiras no Brasil, caindo de 45 para 3 dias o prazo para o registro de de companhias”. Declarou: “Medida busca melhorar o ambiente de negócios para atrair cada vez mais investimentos ao país”. ESTABLISHMENT Na tarde do sábado, o presidente fez novas postagens no seu Twitter no qual faz críticas ao que chama de estabilshment e declara que “infelizmente” deve passar “grande parte do tempo desmentindo invenções que parte da mídia e a oposição fazem para desestabilizar o atual governo”. , em uma das postagens, ao posteriormente exaltar o papel da internet que permitiu à população o direito de observar mais de perto e ter maior influência nas dresoluções declarou: “Todos sabemos que seria assim, há um interesse gigantesco na máquina pública e não é por preocupação com o futuro do país”.”O Brasil de sempre, com os velhos vícios, levou os brasileiros a uma situação caótica, com pobreza, violência e desemprego. O establishment deseja o de sempre porque não sentar-se as consequências de suas pretensões. Nós mudaremos o Brasil porque não fazemos parte do establishment!”, reforçou.

Na sábado 04 de maio Jair Bolsonaro havia desistido de viajar a Nova York, onde no dia 14 de maio receberia o prêmio de “Pessoa do Ano” em cerimônia coordenada pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, devido aos “ataques debatidos” do prefeito da cidade, Bill de Blasio Jair Bolsonaro é o presidente brasileiro., e à “pressão de grupos de interesse”, segundo o governo.

Bolsonaro embarcou para Dallas, na noite desta terça-feira, com os ministros Paulo Guedes , Ernesto Araújo , Bento Albuquerque , Santos Cruz e Augusto Heleno . Os deputados Hélio Lopes e Marco Feliciano ; os governadores de São Paulo, João Doria, e do Acre, Gladson Camelli; e o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, também compõem o séquito de Brasil.

Cerca de 40 apoiadores de Bolsonaro se reuniram na porta do hotel que vai hospedar o líder de Brasil. Alguns levaram cartazes, bandeiras brasileiras e utilizaram chapéus de caubói, uma das marcas culturais texanas, para dar as boas-vindas ao presidente.

O gerente Romildo Ferreira, que mora nos Estados Unidos há 34 anos, tem uma loja de venda de carros em Dallas e chegou ao hotel do presidente às 8h . Ele declara que, no ano passado, foi duas vezes a Houston, onde fica o consulado brasileiro da região, para votar em Bolsonaro.

— Desejamo planejamento de cidades, um estado liberal, uma economia que funcione, não o controle do estado — argumentou. — Eu desejo dinheiro no meu bolso, não no bolso do estado, do governo. Desejo o Brasil como os Estados Unidos, não parecido com Cuba, como Venezuela. Desejamo que o Brasil melhore.

Scot Godfrey, de 19 anos, era o único ativista a queixar-se contra o presidente na porta do hotel, na manhã desta quarta-feira. Nascido em Dallas, ele não se aborrecia em bradar sozinho contra o líder brasileiro.

— Não podemos deixar de queixar-se contra o que não acreditamos. Desde que ele veja meu cartaz, ser o único não me importa — alegou ele, que pediu assistência aos seus colegas de futebol para escrever em português.

A agenda de Bolsonaro desta quarta-feira prevê uma reunião privada com o ex-presidente americano George W. Bush, uma das mais pontes vozes opositoras ao presidente Donald Trump, de quem cujo governo o brasileiro se esforçou para se aproximar. O encontro, no entanto, não está confirmado. Sem a devida precaução, segundo analistas, marcar uma agenda com um de seus arquirrivais do atual habitante da Casa Branca poderia azedar as relações.

O motivo oficial para a volta de Bolsonaro aos Estados Unidos, no entanto, é sua participação no jantar em que vai receber o título de “Personalidade do Ano” da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. A homenagem está calculada para a tarde desta quinta-feira.

Se transferiu o acontecimento originalmente marcado para Nova York, depois de uma série de protestos contra a presença de o brasileiro que chegou a cancelar sua participação,, até a mudança para Dallas. O prefeito nova-iorquino, Bill de Blasio, criticou a premiação e declarou que o presidente não seria bem recebido na maior cidade de America. Bolsonaro chamou de Blasio de “radical” na quinta-feira, e o vice-presidente Hamilton Mourão apoiou ele, e pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Houve promessas de protestos, cancelamento de locais e desistência de patrocinadores do jantar.

— Se eu não posso ser bem recebido em Nova York, vamo ser no Texas — declarou, na manhã de quinta-feira. — Eu não poderia comparecer numa cidade onde o chefe do Executivo, o prefeito, no caso, se comportava como um radical, promovendo e se preparando para fazer manifestações, as piores possíveis contra a minha presença.

Se resolveu a viagem a o Texas em tempo recorde. Grupos pró e contra Bolsonaro coordenam uma série de manifestações durante os dois dias de agenda do presidente na cidade. Brasileiros que moram na região e apoiam Bolsonaro se coordenam, sobretudo em redes sociais, para elaborar cartazes e camisetas. Por outro lado, 15 organizações não governamentais, de índios, negros, gays, sindicatos e ambientalistas, preparam protestos contra — dos quais somente um brasileiro integra a organização. Mas os protestos tendem a ser em número bastante menor do que os calculados para Nova York.

“Eu discordo fortemente de algumas das opiniões ditas do Presidente Bolsonaro. No entanto, tenho grande respeito pelo povo brasileiro e não vou me envolver em uma luta política pública com nenhum líder eleito democraticamente”, alegou o prefeito, em nota.

Procurado, o Palácio do Planalto não comentou a postagem do prefeito.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: United States, Brazil, Venezuela, Cuba

Cities: Sao Paulo, Houston, Dallas

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Bolsonaro chega a Dallas para segunda visita oficial aos EUA
>>>>>Prefeito de Nova York chama Bolsonaro de ‘homofóbico com orgulho’ – May 11, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Incêndio em apartamento em Nova York mata 4 crianças e 2 adultos – May 08, 2019 (EfeGeneric)
>>>>>Bolsonaro exonera coordenador ‘militante’ do Fórum de Mudanças Climáticas – May 10, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Ex-ministros do Meio Ambiente criticam Bolsonaro por desmontar proteções ambientais do Brasil – May 08, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Bolsonaro diz que reforma da Previdência tem de ser aprovada ‘sem tantas modificações’ – May 11, 2019 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 210 0 NONE 23 eu: 2, Eu: 4, mim: 1, me: 2, (tacit) eu: 14
2 Jair Bolsonaro 155 60 PERSON 12 Bolsonaro: 6, O presidente Jair_Bolsonaro: 3, Jair_Bolsonaro (apposition: o presidente de o Brasil): 1, (tacit) ele (referent: Bolsonaro): 1, criticado Bolsonaro: 1
3 o Brasil 40 170 PLACE 9 o Brasil: 7, O Brasil: 1, (tacit) ele/ela (referent: o Brasil): 1
4 nós 0 0 NONE 8 Nós: 1, (tacit) nós: 7
5 Alfredo Sirkis 30 0 PERSON 5 Alfredo_Sirkis (apposition: o coordenador-geral de o Fórum_de_Mudanças_Climáticas): 1, ele (referent: Sirkis): 1, Sirkis (apposition: ex-deputado): 1, Sirkis: 2
6 Romildo Ferreira 0 0 PERSON 5 Ele (referent: O administrador Romildo_Ferreira e): 1, (tacit) ele/ela (referent: O administrador Romildo_Ferreira e): 2, O administrador Romildo_Ferreira e: 2
7 protestos 0 260 NONE 4 os protestos: 1, protestos: 3
8 governo 0 95 NONE 4 o governo: 2, o novo governo: 1, O governo: 1
9 Bill de Blasio 0 0 PERSON 4 (tacit) ele/ela (referent: O prefeito nova-iorquino Bill_de_Blasio e que): 2, Bill_de_Blasio: 1, O prefeito nova-iorquino Bill_de_Blasio e que: 1
10 Dallas 0 0 PLACE 4 Dallas: 4