Chavismo e oposição medem forças com manifesntações na Venezuela

Por: SentiLecto

Chavismo e oposição medem forças nesta terça-feira na Venezuela, com a organização de manifestações favoráveis e opostas ao governo de Nicolás Maduro em Caracas e outras cidades do país.

Faz 1 dia, os governos de México e Uruguai, com o suporte de a Comunidade do Caribe, anunciaram que sugerirão a o grupo de contato uma iniciativa para conseguir a paz em a Venezuela que consta de quatro fases com foco em diálogo imediato, negociação, compromissos e implementação.

Na sábado 26 de janeiro o governo do Reino Unido havia anunciado que reconheceria o chefe da Assembleia Nacional de Venezuela, Juan Guaidó, como presidente interino da Venezuela se Nicolás Maduro não convidar votações em um prazo de oito dias, seguindo os passos de Espanha, França e Alemanha.

Maduro, no poder desde 2013, vai receber no centro da capital simpatizantes que vão fazer protesto para delatar o que o chavismo considera como uma tentativa de golpe de Estado contra o governo e para pedir respeito à soberania da Venezuela.

Liderada pela alta representante da União Europeia para Assuntos Exteriores e Políticos de Segurança, Federica Mogherini; e pelo presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, a reunião ocorre na Torre Executiva, principal centro administrativo do Uruguai, e se calcula que dure cerca de três horas, após o que tem que haver uma entrevista coletiva.

Em paralelo, a oposição coordena um movimento que vai marchar por diversos bairros de Caracas em direção a Chacao, no leste da cidade. A expectativa é que milhares de pessoas digam suporte a Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente interino no fim de janeiro.

Na reunião, realizada no Ministério do Interior da Itália – pasta que Salvini ocupa – este alegou também que é preciso ter “a máxima atenção para que seja garantida a segurança de Guaidó e da sua família neste período delicado da transição no país sul-americano”, adicionou.Embora no leste de Caracas não tenham ocorrido as assembleias convidadas por Guaidó, estas foram realizadas em outras áreas da capital e em vários estados do país, segundo informaram os partidos políticos da oposição de Venezuela através das redes sociais.

Eles também desejam que Maduro deixe o poder para instalar um governo transitório, liderado por Guaidó, para convidar votações livres. A oposição considera que a votação vencida pelo líder chavista não foi lícita e que ele, portanto, “usurpa” o poder.

Fonte: EfeGeneric

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Venezuela

Cities: Chacao, Caracas

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Chavismo e oposição medem forças com manifesntações na Venezuela
>>>>>Grupo Internacional de Contato sobre a Venezuela inicia reunião no Uruguai – (EfeGeneric)
>>>>>Salvini expressa apoio a Guaidó e à realização de eleições na Venezuela – (EfeGeneric)
>>>>>Venezuelanos começam a organizar eventual distribuição de ajuda humanitária – (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Juan Guaidó 35 0 PERSON 6 Guaidó: 1, Juan_Guaidó: 3, (tacit) ele/ela (referent: Juan_Guaidó): 2
2 Nicolás Maduro 80 0 PERSON 4 Maduro: 2, (tacit) ele/ela (referent: Maduro): 1, Nicolás_Maduro: 1
3 Tabaré Vázquez 0 0 PERSON 4 Tabaré_Vázquez: 1, (tacit) ele/ela (referent: Tabaré_Vázquez): 3
4 poder 150 0 NONE 3 o poder: 3
5 eu 0 0 NONE 3 (tacit) eu: 3
6 capital 0 40 NONE 2 a capital: 2
7 Caracas 0 0 PLACE 2 Caracas: 2
8 Os governos de México e Uruguai 0 0 PLACE 2 Os governos de México e Uruguai: 1, (tacit) eles/elas (referent: Os governos de México e Uruguai): 1
9 Venezuela 0 0 ORGANIZATION 2 a Venezuela: 2
10 movimento 0 0 NONE 2 um movimento: 2