Cristina Kirchner obtém suporte do Senado argentino em caso de corrupção

Por: SentiLecto

A ex-presidente e senadora argentina Cristina Kirchner obteve nesta quarta-feira o suporte do Senado, se Cristina liderou uma extensa rede de corrupção que implicou políticos e companhias importantes, onde conservou a imunidade que impede a Justiça, que tenta determinar , um escândalo que explodiu neste mês graças às cópias de cadernos com anotações que o motorista de um dos acusados guardava, de confiscar algumasde suas propriedades como parte de uumiinquéritode subornos durante seu governo.

“Coloquemos todo o nosso esforço e energia para acompanhar e auxiliar aqueles que estão passando bastante, mas bastante mal, neste verdadeiro desastre econômica e social que é o governo de Mauricio Macri”, alegou.Cristina confirmou que vai se apresentar aos tribunais, como fez “em cada requerimento judicial”, para prestar depoimento neste caso, aberto por causa de uma investigação do jornal “La Nación” que aponta para um suposto pagamento de milhões de dólares em dinheiro por empresários a membros de seu governo e do seu marido, o falecido Néstor Kirchner.

Na sexta-feira 03 de agosto Mauricio Macri havia declarado que era necessário que a Justiça prove que “não há impunidade” no país e revele, se for relevante, o caso de corrupção no qual se investigava se empresários e ex-funcionários e ex-agentes públicos haviam formado uma rede de propina durante os governos de Cristina e Néstor Kirchner. Mauricio Macri é o presidente argentino.

Para registrar as propriedades da ex-presidente a Justiça precisa da chancela do Senado, que também teria que decidir a vai privar de imunidade caso o juiz Claudio Bonadio, culpada pelo inquérito, peça a prisão da atual senadora no futuro.

Além das informações fornecidas por Centeno, que se encontra em liberdade como testemunha protegida, outros empresários que aceitaram acordos de delação premiada estão sendo fundamentais no inquérito do caso, que envolve mais de 50 pessoas.A mídia argentina noticiou que o juiz está avaliando pedir ao Senado para remover os foros legislativos –que dão imunidade judicial– a Cristina para progredir no inquérito e com sua eventual prisão por considerá-la a líder do esquema de corrupção.

Mas a Câmara Alta do Congresso não reuniu a quantidade necessária de parlamentares para tratar do pedido da Justiça.

“Lamentavelmente não tivemos o quórum necessário, e pediremos uma sessão por escrito para a próxima quarta-feira”, declarou Ángel Rozas aos repórteres. Ángel Rozas é senador da aliança governista Cambiemos.

Executivos de companhias importantes e ex-funcionários se disseram “arrependidos” recentemente para obter vantagens judiciais.

Suas declarações expuseram o sistema de corrupção que visava financiar o peronismo governante entre 2003 e 2015 com pagamentos ilegais realizados por empreiteiras para conseguir licitações de obras, segundo o jornalismo local.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Cristina Kirchner obtém suporte do Senado argentino em caso de corrupção
>>>>>Cristina Kirchner descreve governo Macri como “catástrofe econômica e social” – (EfeGeneric)
>>>>>Cristina Kirchner depõe na Justiça em caso de suposta rede de propinas – August 13, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>Ex-presidente argentina Cristina Kirchner pede que mudem juiz e promotor do ‘caso dos cadernos’ – August 13, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Cristina Kirchner nega ter recebido propina e denuncia “perseguição” – (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 imunidade 80 0 NONE 4 imunidade: 1, a imunidade: 2, imunidade judicial: 1
2 escândalo 0 360 NONE 3 um escândalo: 3
3 nós 0 30 NONE 3 (tacit) nós: 3
4 a Justiça 0 0 OTHER 3 a Justiça: 3
5 o caso de corrupção 0 120 NONE 2 o caso de corrupção: 2
6 o sistema de corrupção 0 120 NONE 2 o sistema de corrupção: 2
7 corrupção 0 50 NONE 2 (tacit) ele/ela (referent: corrupção): 2
8 empresários 260 0 NONE 2 outros empresários: 2
9 era 120 0 NONE 2 era necessário: 2
10 eu 60 0 NONE 2 (tacit) eu: 2