Governo de Brasil volta a permitir residência provisória a venezuelanos

O governo de Brasil voltou a autorizar nesta sexta-feira a concessão de residência provisória para os cidadãos dos países limítrofes que não fazem parte do acordo do Mercosul, o que terá que beneficiar os de Venezuela.

“São 15 pessoas, mas estão em território de Brasil e não podemos fazer nada além de pedir que as autoridades brasileiras ponham ordem”, explicou o ministro.

Na sexta-feira 03 de fevereiro o Peru havia anunciado que concederia vistos de trabalho e estudo pelo prazo de um ano a cidadãos da Venezuela devido à crise econômica, humanitária e política que p passavao país gconduzidopor Nicolás Maduro.

Concede-se a licença nove dias após a gestão de Michel Temer ter anunciado a medida em o dia seguinte, sob a justificação de que o Ministério das Relações Exteriores não havia e voltado atrás sido consultado.

Na determinação, publicada no Diário Oficial da União, cidadãos de Venezuela, Guiana e Suriname passam a ter direito à pcontinuidadeautomática de até dois anos após o fim do prazo de 90 dias do visto de turista brasileiro.

Os direitos são os mesmos concedidos no Brasil aos cidadãos argentinos, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai, integrantes do Acordo sobre Residência do Mercosul, e aos brasileiros nesses países.

Os interessados deverão requerer-la nas unidades da Polícia Federal,exibindoo o requerimento demudançaso do visto de turista, disponível no site da PF, preenchido.

Com ele, deverão ser anexados duas fotografias 3×4, a carteira de identidade ou o passaporte do país de origem, a certidão de nascimento ou casamento e certidão negativa de antecedentes criminais no Brasil e da nação vizinha.

Os estrangeiros que se encaixam na norma ainda terão que pagar duas taxas: a de mudanças do visto de turista em residência, de R$ 168,13, e a da 1ª via da carteira de identidade para estrangeiros, de R$ 204,77.

As pessoas que tiverem requerido refúgio no Brasil e desejem se adaptar à nova rnormatdeverão abrirmão do primeiro pedido, com uma declaração de preferência de regularização de estada, a ser entregue à PF.

A previsão é que a licença de entrada para venezuelanos, guianeses e surinameses valha por um ano, podendo ser renovada pelo Conselho Nacional de Imigração, vinculado ao Ministério do Trabalho.

A medida terá que facilitar a entrada das pessoas que deixam o país conduzido pelo presidente Nicolás Maduro devido à crise política, financeira e humanitária e permitir a regularização dos que já estão no Brasil.

Também reduz o risco de deportação, resgatado no caso daqueles com antecedentes criminais. Dentre os beneficiados, estão os 450 imigrantes detidos pela PF em Roraima em dezembro.

Na maioria índios da etnia warao, eles tentam sobreviver na capital Boa Vista e na cidade fronteiriça de Pacaraima com bicos ou trabalhando como ambulantes. Uma minoria recorria a esmolas e à prostituição.

As principais áreas afetadas terão que ser os sistemas de saúde e de assistência social. O temor é uma situação similar à vista no Acre, que anos atrás virou porta de entrada para haitianos e cidadãos de países africanos.

Faz 4 meses, Romero alegou que se informou as autoridades de Brasil tanto federais as autoridades brasileiras, tanto federais quanto de o estado de o Acre de o ano passado sobre as operações contra uma suposta quadrilha de sequestradores.

Fonte: FolhaGeneric

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Colombia, Peru, Chile, Brazil, Bolivia, Argentina

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Governo de Brasil volta a permitir residência provisória a venezuelanos
>>>>>Bolívia pede cooperação do Brasil para retirar manifestantes da fronteira – March 01, 2017 (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 o Brasil 0 0 PLACE 4 o Brasil: 4
2 pessoas 6 0 NONE 3 As pessoas e se: 2, 15 pessoas: 1
3 o Acre 0 0 PLACE 3 o Acre: 3
4 países 0 15 NONE 2 esses países: 1, os países limítrofes: 1
5 crise 60 0 NONE 2 a crise política financeira: 1, a crise econômica humanitária: 1
6 Nicolás Maduro 0 0 PERSON 2 o presidente Nicolás_Maduro: 1, Nicolás_Maduro: 1
7 a entrada de as pessoas 0 0 NONE 2 a entrada de as pessoas: 2
8 estrangeiros 0 0 NONE 2 Os estrangeiros: 2
9 eu 0 0 NONE 2 (tacit) eu: 2
10 país 0 0 NONE 2 país governado: 1, o país governado: 1