May pede suporte a seu acordo para evitar que deputados frustrem o Brexit

Por: SentiLecto

Theresa May pediu suporte nesta segunda-feira a seu acordo de saída da União Europeia para impedir que certos deputados, geralmente pró-europeus, frustrem o Brexit, que está calculado para 29 de março. Theresa May é a primeira-ministra do Reino Unido. que está calculado para 29 de março.

May ao pedir aos deputados que se unam em suporte do texto pactuado com Bruxelas “pelo bem do país”. alegou: “Não podemos e nem devemos desapontar os cidadãos”.

Faz 8 dias, a conservadora Theresa May havia informado que o Reino Unido entraria em um ” território desconhecido ” se o Parlamento recusar o acordo de o ” brexit ” a o qual havia chegado com a União Europeia, em entrevista em a ” BBC “, em o domingo 06 de janeiro. A conservadora Theresa May é a primeira-ministra britânica.Em discurso em Stoke-on-Trent, no norte inglês, May informou que, a suspensão do Brexit seria, se o acordo for recusado na eleição de amanhã “inclusive mais provável” do que a saída do país do bloco europeu sem um convênio bilateral.

“Como vimos nas últimas semanas, há alguns em Westminster que pretendem atrasar e inclusive deter o Brexit, e utilizarão qualquer dispositivo para consegui-lo”,alegouu a primeira-ministra.

A premiê declarou: “Peço aos deputados que avaliem as consequências que seus atos podem ter sobre a fé dos britânicos na democracia”.

May evidenciou que, seu convênio é, embora não cumpra a todos “o único sobre a mesa” e recordou que o parlamento tem o dever de “satisfazer com o resultado do plebiscito de 2016″, que deu o triunfo ao Brexit.

Em alusão às supostas manobras de alguns deputados, entre eles conservadores pró-europeus, para tentar controlar a agenda parlamentar e definir o processo futuro caso o pconvêniogovernamental seja derrotado, May questionou: “O qe nos encontrássemos em uma situação na qual o parlamento tentasse retirar o Reino Unido da UE em oposição a um voto em favor da pcontinuidade ue aocorrerias ?”.

Juncker e Tusk reconhecem que o “brexit” é fonte de “incerteza” e que, “diante de tempos de desafios, compartilham com May” a resolução de instituir a maior certeza possível para os cidadãos e as companhias em uma situação na qual um Estado-membro deixa a UE depois de mais de quatro décadas de integração econômica e política”.Faz 2 meses, como resposta, May se restringiu a continuar defendendo seu documento, e recriminou Corbyn por não ter nenhum plano alternativo para encarar o “Brexit”.

A líder conservadora advertiu: “A fé do povo no processo democrático e em seus políticos poderia padecer uma perda catastrófica”.

Com esse discurso, May se referiu às supostas múltiplas tramas que, segundo a imprensa, vários grupos de deputados estão elaborando para tomar o controle da agenda parlamentar, normalmente determinada pelo Poder Executivo, a fim de definir os passos a serem seguidos se o tratado oficial for rejeitado.

Se suas manobras prosperarem, os parlamentares poderiam impulsionar moções para, por exemplo, protelar ou interromper o artigo 50 do Tratado de Lisboa – o que deteria o Brexit – ou vetar uma saída não negociada.

A Câmara dos Comuns prossegue esta tarde com os debates de cinco dias sobre o acordo de saída da UE, que concluirá amanhã com a histórica eleição.

Escreve: “Se o Parlamento não se juntar para aprovar este acordo em prol do interesse nacional, nos arriscamos a deixar a UE sem acordo, com toda a incerteza para o emprego e a segurança”.

A fim de obter suporte de última hora, o governo divulgou algumas cartas nas quais a UE oferece garantias de que é bastante improvável que a cláusula de segurança para evitar uma fronteira física na ilha da Irlanda seja aplicada, um dos pontos mais polêmicos do tratado.

Se o espera também que, em algum ponto de o processo, o Partido Trabalhista exiba uma moção de censura contra o governo que poderia levar, a ições gerais.

Fonte: EfeGeneric

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: United States, United Kingdom, Ireland

Cities: Westminster

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>May pede suporte a seu acordo para evitar que deputados frustrem o Brexit
>>>>>Bloquear “brexit” seria “catastrófico” atentado contra a democracia, diz May – (EfeGeneric)
>>>>>UE esclarece que não deseja que salvaguarda do “brexit” entre em vigor – (EfeGeneric)
>>>>>Parlamento britânico poderá votar se prorroga transição ou ativa salvaguarda – January 09, 2019 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>Parlamento britânico votará acordo do Brexit em 15 de janeiro, segundo “BBC” – (EfeGeneric)
>>>>>>>>>Deputado britânico denuncia ameaças de morte por voto contra Governo – (EfeGeneric)
>>>>>>>>>Para May, R. Unido entrará em território desconhecido se acordo for rejeitado – (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Brexit 0 72 ORGANIZATION 9 (tacit) ele/ela (referent: o Brexit): 4, o Brexit: 4, o brexit: 1
2 nós 0 30 NONE 7 nos: 2, (tacit) nós: 5
3 May 65 0 PERSON 7 May: 6, (tacit) ele/ela (referent: May): 1
4 eu 30 0 NONE 6 (tacit) eu: 6
5 deputados 0 8 NONE 4 certos deputados em_geral pró-europeus: 1, os deputados: 3
6 Parlamento 0 0 ORGANIZATION 3 o Parlamento: 2, (tacit) ele/ela (referent: o Parlamento): 1
7 UE 0 0 ORGANIZATION 3 a UE: 3
8 cartas 0 0 NONE 3 algumas cartas: 3
9 eleições 0 0 NONE 3 a votação: 1, a histórica votação: 1, eleições gerais: 1
10 governo 0 0 NONE 3 o governo: 3