Países da ONU assinam primeiro Pacto Global sobre Migração

Por: SentiLecto

Os Estados-membros da Organização das Nações Unidas , exceto os Estados Unidos, assinaram nesta sexta-feira o Pacto Global sobre Migração, a primeira tentativa de tratar em escala global todo o fenômeno migratório.

O acordo, que não é juridicamente vinculativo, inclui uma extensa lista de compromissos dos governos para abrir mais vias de migração regular, proteger os imigrantes e colaborar em uma melhor administração das fronteiras. Faz 7 meses, após seis rodadas de negociação, as comissões aprovaram o texto que será adotado, formalmente em dezembro, em um domo internacional em Marrakech, em o Marrocos.

Em pé e com uma grande salva de palmas, os representantes dos países comemoram a criação do documento e parabenizaram os líderes da negociação, os embaixadores do México, Juan José Gómez Camacho, e da Suíça, Jürg Lauber.

Entre as metas estão várias bastante gerais, como trabalhar no âmbito do desenvolvimento e na prevenção de conflitos para diminuir as situações que forçam as pessoas a deixar seus países e melhorar as alternativas de migração legal. Mas também há compromissos bastante mais concretos, como tentar evitar a separação de famílias – um assunto controverso atualmente nos Estados Unidos -, utilizar a detenção exclusivamente em último caso e oferecer a todos acesso a serviços básicos, sem distinção de status migratório.

Todos os 193 Países-membros da ONU participaram das negociações, apesar de alguns, como a Hungria, mostrarem uma postura crítica. Somente os Estados Unidos foram conservados de fora. Faz 7 meses, o país anunciou a sua saída de o processo por considerar o convênio ” incoerente ” com as políticas migratórias de o governo de Donald Trump.

Por outro lado, “A OTAN não nos tratou de maneira justa, mas acredito que vamo resolver de alguma maneira. Pagamos demais e eles pagam bastante pouco”, declarou Trump àoijornalismoantes de decolar para Bruxelas.”Muitos países da OTAN, que se espera que temo que defender, não só estão abaixo de seu compromisso atual de 2% , mas também estão inadimplentes por muitos anos em pagamentos que não foram feitos. Eles ressarcirão os EUA?”, escreveu Trump no Twitter de dentro do aeronave que lhe transportava à capital bde Belgica

Na segunda-feira 02 de julho – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e Andrés Manuel López Obrador haviam debatido imigração, comércio e questões de segurança em um telefonema nesta segunda-feira, com os dois começando um diálogo em meio a relações tensas entre os países vizinhos. Andrés Manuel López Obrador é o próximo líder do México. López Obrador, ex-prefeito de 64 anos da Cidade do México, havia vencido por maioria esmagadora a votação de domingo, dando um forte golpe aos partidos do establishment e se tornando o primeiro político de esquerda a conquistar a Presidência mexicana desde que a norma de partido único concluiu em 2000. Relações entre Trump e López Obrador serão observadas de perto porque Trump tem regularmente criticado o México. Em observações a repórteres, Trump havia declarado acreditar que López Obrador irá auxiliar os Estados Unidos a protegerem sua fronteira no sul. “ achava que o relacionamento seria bastante bom. veríamos o que ocorria, mas eu realmente acreditava que seria bastante bom”, havia declarado Trump. Ele havia alegado que no telefonema haviam comentado sobre um possível acordo comercial entre os EUA e o México. Pouco depois, López Obrador havia dado sua caracterização do telefonema em publicação no Twitter, declarando que havia sugerido um acordo abrangente para instituir empregos, reduzi imigração e ampliar segurança. A Reuters havia informado no mês passado sobre o plano de segurança, que López Obrador via como uma opção ao muro fronteiriço de Trump. Em sua caracterização, López Obrador não havia indicado comércio, e Trump não havia dado mais detalhes sobre um possível convênio comercial. Conversas entre EUA, Canadá e México para revisar o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio, de 1994, têm sido complicadas. López Obrador, no passado cético do Nafta e que havia moderado suas opiniões em sua terceira disputa à Presidência, d havia ditoem entrevista na TV mde Mexicoque d desejavaum acordo do Nafta que seja bom para o México. “Nós acompanharemos o governo atual nesta negociação, nós seremos bastante respeitosos, e nós apoiaremos a assinatura do acordo”, havia declarado à Milenio TV. López Obrador, que declarava querer relações firmes, mas amigáveis, com Washington, havia declarado que quando tiverem o primeiro encontro após a votação, irá debater o Nafta com o presidente de saída Enrique Peña Nieto, marcado para terça-feira. Trump tem sido antagônico em relação ao México no que envolvia comércio e imigração. As conversas atuais do Nafta haviam iniciado no ano passado, após Trump pedir que o acordo fosse renegociado para servir melhor aos interesses dos EUA. Apesar do tom conciliatório de Trump, uma assessora da Casa Branca havia repetido uma das promessas de campanha mais polêmico que o líder de Noruega havia levado para sua Presidência. “No caso do México, obviamente nós compartilhávamo uma fronteira com eles e este presidente havia deixado bastante claro sobre construir um muro e fazer com que o México pague por isto”, havia declarado a assessora, Kellyanne Conway, à Fox News. Mexicanos de todo o espectro político haviam declarado que o México não irá pagar pelo muro sugerido por Trump na fronteira do sul dos EUA, que ele havia declarado ser necessário para conservar longe imigrantes ilegais e drogas. López Obrador, que irá assumir em 1º de dezembro, havia conquistado mais de 53 por cento dos votos na votação de domingo, segundo resultados preliminares, com mais que o dobro de votos que seu adversário mais próximo. Esta era a maior percentagem de votos em uma votação presidencial de Mexico desde o início dos anos 1980 e dava a ele um forte mandato para responder aos problemas internos do México e enfrentar desafios externos, como tarifas norte-americanas. Em seu discurso de triunfo, López Obrador havia buscado tranquilizar investidores de que irá buscar políticas econômicas prudentes e independência do banco central. Seus assessores econômicos haviam repetido esta mensagem em uma teleconferência com investidores e em uma entrevista à Reuters.

De acordo com o secretário-geral da ONU, António Guterres, os migrantes encarnam um motor notável para impulsionar o crescimento.

“Os migrantes são mais de 250 milhões em todo o mundo, representam 3% da população global e contribuem com 10% do Produto Interno Bruto mundial. No entanto, mais de 60 mil pessoas em movimento faleceram desde 2000 – no oceano, no deserto e em outros lugares – e muitas vezes migrantes e refugiados são demonizados e agredidos”, alegou.

Durante esse encontro com Stoltenberg, o líder criticou com rigor a Alemanha e alegou que esse país está nas mãos da Rússia pela energia que recebe desde esse país e, em particular, pelo projeto de gasoduto Nord Stream II, que vai conectar diretamente Rússia e Alemanha.O secretário-geral da Aliança, que, após anos de cortes nas forças armadas, os investimentos estão ampliando. declarou: “Compreendemo que este presidente de America leva bastante a sério os gastos em defesa e isto está tendo efeito evidente”.

O diplomata realçou: “É um momento histórico e o potencial é enorme”.

Fonte: EfeGeneric

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: United States, Morocco, Mexico, Hungary

Cities: Mexico, Marrakech

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Países da ONU assinam primeiro Pacto Global sobre Migração
>>>>>Trump chama vários países da OTAN de “inadimplentes” antes de cúpula – (EfeGeneric)
>>>>>Trump chama de “delinquentes” países da Otan que gastam menos em defesa – (EfeGeneric)
>>>>>Otan diz que aliados receberam recado de Trump sobre gastos com defesa – (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Andrés Manuel López Obrador 140 160 PERSON 15 López_Obrador: 9, López_Obrador em o passado cético de o Nafta e moderado suas: 2, López_Obrador (apposition: ex-prefeito de 64 anos de a Cidade_do_México): 1, (tacit) ele/ela (referent: López_Obrador): 2, Andrés_Manuel_López_Obrador (apposition: o próximo líder de o México): 1
2 Donald Trump 80 60 PERSON 12 a (referent: Trump): 1, (tacit) ele/ela (referent: Trump): 2, Trump: 8, Donald_Trump: 1
3 nós 140 0 NONE 10 Nós: 1, (tacit) nós: 5, nós: 3, nos: 1
4 o México 0 0 PLACE 8 ele (referent: o México): 1, o México: 6, México: 1
5 eu 119 0 NONE 7 (tacit) eu: 6, eu: 1
6 acordo 215 0 NONE 5 um possível acordo comercial: 1, o acordo: 1, O acordo: 2, um acordo abrangente: 1
7 Stoltenberg 0 0 PERSON 5 Stoltenberg: 1, (tacit) ele/ela (referent: Stoltenberg): 4
8 os Estados_Unidos 0 80 PLACE 4 os Estados_Unidos: 4
9 os EUA 0 0 PLACE 4 os EUA: 3, EUA: 1
10 eleição 0 0 NONE 3 a eleição: 3