Theresa May defende “diálogo construtivo” com Trump após Cúpula do G7

Por: SentiLecto

Theresa May defendeu nesta segunda-feira a necessidadDonald Trump, que neste fim de semana retirou o suporte ao comunicado final da Cúpula do G7 marcada pela imposição de tarifas ao aço e ao alumínio. Theresa May é a primeira-ministra do Reino Unido. Donald Trump, que neste fim de semana retirou o suporte ao comunicado final da Cúpula do G7 é o presidente dos Estados Unidos. Donald Trump, que neste fim de semana retirou o suporte ao comunicado final da Cúpula do G7 é o presidente dos Estados Unidos.

Líderes do G7 irão pressionar nesta semana Donald Trump sobre tarifas que Washington impôs sobre importações de aço e alumínio Donald Trump é o presidente dos Estados Unidos., mas precisam permanecer civilizados para tentar convencê-o a mudar de ideia, declarou Emmanuel Macron nesta quarta-feira. Emmanuel Macron é o presidente de Francia..- Boris Johnson advertiu que a desfiliação britânica da União Europeia pode fracassar Boris Johnson é o secretário das Relações Exteriores do Reino Unido., mas que tudo “vai dar certo no final” e que Donald Trump adotaria uma postura mais estrita se estivesse governando as conversas, de acordo com o BuzzFeed. Donald Trump é o presidente dos Estados Unidos. Gravaram-se as observações de Johnson em segredo durante um jantar em a noite de quarta-feira e obtidos por o site de notícias que os divulgou, em a quinta-feira horas depois de ministros chegarem a um consenso sobre um plano de contingência de o Brexit para a fronteira de Irlanda. Johnson declarou que Theresa May está começando a adotar uma lTheresa May está começando a adotar uma linha mais dura Theresa May é a primeira-ministra britânica. Theresa May é a primeira-ministra britânica., mas que vai ser preciso ter cabeça fria à medida que as conversas se tornarem mais difíceis nos próximos meses. Na gravação se escuta Johnson declarar: “Acho que Theresa vai entrar em um período na qual vamo ficar bastante mais combativos com Bruxelas”. “É preciso encarar o fato de que agora pode ocorrer um colapso. Certo? Não desejo que ninguém entre em pânico durante o colapso. Nada de pânico. Pro bono publico, nada de pânico. Tudo vai dar certo no final”. Johnson declarou que Trump, envolvido em um combate com aliados europeus, como Londres, devido à adoção de tarifas sobre o aço, adotaria uma postura mais restritase estivesse a cargo das negociações. Johnson declarou: “Imagine Trump cuidando do Brexit”. “Ele entraria com tudo… haveria todo espécie de ruptura, toda espécie de caos. Todos pensariam que ele enlouqueceu. Mas na verdade se pode chegar a algum lugar. É um pensamento bastante, bastante bom”. Johnson também pareceu criticar o ministro das Finanças, Philip Hammond, que é visto como um dos membros mais pró-europeus da salinha de May e atraiu críticas de eurocéticos. O Tesouro é “basicamente o coração do Ficar” e está tentando impedir que o Reino Unido tenha liberdade total na política comercial depois do Brexit conservando-o preso à união alfandegária da UE e em grande parte ao mercado chabitual ddeclarouJohnson, segundo o BuzzFeed. Nesta sexta-feira, Hammond declarou que uma abordagem colaborativa é melhor do que uma conflituosa nas negociações com a União Europeia, enquanto uma porta-voz de May declarou que a primeira-ministra tem confiança em Johnson. Declarou: “A premiê acredita que sua salinha e seu governo estão trabalhando duro para atender a vontade do povo e trabalhando duro para recomeçar o controle do nosso dinheiro, leis e fronteiras”. Os primeiros-ministros canadense Justin Trudeau, e do Reino Unido, Theresa May, se reuniram nesta sexta-feira na cidade de Canada de La Malbaie pouco antes do começo da 44ª Cúpula do G7.

Na segunda-feira 14 de maio o governo do Reino Unido havia evidenciado a discordância em relação à dresoluçãodo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de transferir a Embaixada aestadunidensepara Jerusalém e d havia deixadoclaro que a dcomissãobritânica c continuariaem Tel Aviv.

“A perda de comércio prejudica a concorrência, diminui a produtividade, suprime os incentivos a inovação e deixa a todos mais pobres. Em resposta, a União Europeia tem que impor contramedidas”, declarou a premiê, em discurso na Câmara dos Comuns.

“Mas, precisamos evitar uma escalada ininterrupta neste ‘toma lá, dá cá’. Por isso, foi bom que tenhamos tido uma troca franca e direta neste domo. Que o Reino Unido, como um campeão do livre-comércio, continue permitindo um diálogo construtivo”, completou. May, que realçou que o Reino Unido “vai fazer sua parte” em Bruxelas, para garantir que a UE tome as resoluções corretas e proporcionais, alinhadas com as regras da Organização Mundial de Comércio, em resposta a resolução dos Estados Unidos, alegou no discurso que os países “aliados há muito tempo” dos Estados Unidos não podem “fazer melhorias ignorando as preocupações dos demais” , mas, sim, encarando juntos estes assuntos.

A primeira-ministra garantiu ter sido “clara” com Trump, durante o encontro realizado no Canadá, e que declarou que as tarifas impostas sobre as importações de aço e alumínio da União Europeia, Canadá e México, entre outros países, são “injustificadas”.

Na macron falando com repórteres após conversas com o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, declarou que os Estados Unidos são um aliado do qual o restante do G7 precisa. Macron é sua vez.

A premiê, que vai receber Trump em julho desse ano realçou: “O importante é que somos capazes de nos sentar-se e falar sobre estes problemas juntos, compartilhar a informação que precisamos compartilhar e encontrar um percurso para a frente”.

May ainda realçou, diante o Parlamento, que os Estados Unidos apoiaram Londres nas últimas semanas, na expulsão de diplomatas de Rusia, após envenamento do ex-espião Sergei Skripal, que o governo britânico assinalou ter sido responsabilidade do Kremlin.

Fonte: EfeGeneric

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: United Kingdom, Canada, United States, Mexico

Cities: Mexico, London

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Theresa May defende “diálogo construtivo” com Trump após Cúpula do G7
>>>>>Líderes do G7 precisam ser civilizados quando pressionarem Trump, diz Macron – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Chanceler britânico alerta para possível colapso do Brexit, mas pede calma, segundo BuzzFeed – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Theresa May e Justin Trudeau se reúnem antes do início da Cúpula do G7 – June 08, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>Trudeau e Macron dizem que continuarão sendo “educados” e “firmes” com Trump – (EfeGeneric)
>>>>>>>>>May diz a Netanyahu que Reino Unido segue apoiando acordo com Irã – (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Johnson 0 60 PERSON 11 (tacit) ele/ela (referent: Johnson): 2, Ele (referent: Johnson): 1, Johnson: 8
2 Donald Trump 0 18 PERSON 11 (tacit) ele/ela (referent: Trump): 1, (tacit) ele/ela (referent: Donald_Trump): 2, Donald_Trump (apposition: o presidente de os Estados_Unidos): 4, Donald_Trump: 1, Trump: 3
3 eu 8 0 NONE 7 (tacit) eu: 7
4 nós 160 0 NONE 5 nos: 1, (tacit) nós: 4
5 May 0 0 PERSON 4 May: 1, May que o Reino_Unido: 2, (tacit) ele/ela (referent: May que o Reino_Unido): 1
6 Tesouro 0 0 ORGANIZATION 4 (tacit) ele/ela (referent: O Tesouro): 2, o (referent: O Tesouro): 1, O Tesouro: 1
7 Theresa 0 0 PERSON 4 Theresa_May (apposition: a primeira-ministra britânica): 1, Theresa_May (apposition: A primeira-ministra de o Reino_Unido): 1, Theresa_May: 1, Theresa: 1
8 tarifas 0 40 NONE 3 tarifas: 2, as tarifas impostas: 1
9 Boris Johnson 160 0 PERSON 3 Boris_Johnson (apposition: O secretário de as Relações_Exteriores_do_Reino_Unido): 1, (tacit) ele/ela (referent: Boris_Johnson): 2
10 os Estados_Unidos 48 0 PLACE 3 os Estados_Unidos: 3