Anistia Internacional e família de Marielle pedem que descuidem-se inquéritos não

Por: SentiLecto

Se descuidem os inquéritos de o caso em o dia em que o homicídio de a vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes completa cinco meses, a Anistia Internacional, os pais, Marinete da Silva e Antonio Francisco da Silva Neto, que Mônica Benício protocolaram um documento junto em a Secretaria de Segurança pedindo que não com o começo de o processo eleitoral, Mônica Benício é a viúva de Marielle., e Faz 5 meses, se assassinou Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes de este ano em o bairro de o Estácio, em a região central de o município. Faz 2 anos, Marielle foi a quinta vereadora mais votada de o Rio.Eles foram direto ao setor de protocolos da Secretaria, localizado no 7° caminhar do edifício da Central do Brasil. O secretário No entanto , não recebeu eles de Segurança , general Richard Nunes. Mônica Benício alegou que já esperava não ser recebida pelo secretário, o que, para ela, é “lastimável”:- Não esperava nada diferente disso. Todo mundo está recluso. Acho lastimável porque prova obstáculo de diálogo.

— Já temos os delegados e agentes que integrariam a equipe, caso seja requerido. Seriam pessoas que estão baseadas no Rio e outras de fora — informou o ministro.

Nos cinco meses da morte de Marielle, Câmara vota projetos de lei exibidos pela vereadoraDe acordo a diretora da Anistia Internacional Brasil, Jurema Werneck, o grupo tentou agendar uma reunião com o secretário de Segurança na semana passada. A resposta, segundo ela, foi de que o encontro não poderia acontecer nesta terça-feira. Eles aguardam, agora, uma nova data.O documento, que não foi entregue no jornalismo, pede uma inquérito imparcial com juristas sem vínculo com o Estado Um inquérito imparcial é a criação de um dispositivo independente. e a quebra do silêncio das autoridades sobre o caso do homicídio, segundo Jurema:- Viemos protocolar uma profissão reivindicando que se as descuide os inquéritos de o homicídio de Marielle Franco e Anderson não em o fase eleitoral. É uma ação preventiva. Cinco meses é tempo demais. Já é tempo de saber quem matou Marielle e o porquê. Hoje protocolamos novamente o pedido de audiência.

TRANSFERÊNCIA PARA PFMônica considerou ser equivocada a ideia de transferir para a Polícia Federal a responsabilidade dos inquéritos do caso. Para ela, mesmo com obstáculos, a Polícia Civil vem trabalhando com “proficiência”:- Eu achei precipitada a ideia de passar para os federais. A Polícia Civil vem fazendo um trabalho com certa obstáculos, mas com proficiência. O delegado é muito sério. Toda autoridade de Brasil tem sangue nas mãos porque é um crime grave. A gente deseja os resultados desse inquérito e os resultados corretos. Acredito que a Polícia Civil tenha que ter o seu tempo de trabalho – alegou Mônica, que reafirmou que vem recebendo ameaças. A viúva, que vem recebendo ameaças, aguarda a definição de como será feita a sua proteção, pedida à cdelegaçãointeramericana de Direitos Humanos:- Tem que ser ddebatidoagora com as autoridades. Está em negociação para a gente resolver como serão feitas essas medidas. A princípio, o que foi oferecido é um programa de proteção a testemunha, mas eu não sou testemunha de nada, sou defensora de direitos humanos, então esse programa não se aplica.dia Dos pais sem Mariellejá Antonio Francisco da Silva Neto declarou que passou o dia dos pais pensando na filha:- Dia dos pais, pra mim, foi dia de Marielle. Antonio Francisco da Silva Neto é o pai de Marielle. Acordei e o dia todo só falei Marielle, foi o que me segurou para que eu tivesse condições de passar o último domingo. Vocês são testemunhas que há cinco meses eu venho fazendo a mesma questão, que ainda está sem resposta. É bastante difícil cinco meses depois do homicídio dela a gente não ter resposta de quem mandou e quem matou minha filha.

O ministro também voltou a declarar que a complexidade do caso se deve ao fato do crime ter envolvido crime coordenado e agentes do Estado. Perguntado sobre o possível envolvimento de políticos do MDB no crime, ele declarou que não comentaria o tema e nem mencionaria nomes de possíveis envolvidos.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Anistia Internacional e família de Marielle pedem que descuidem-se inquéritos não
>>>>>PF já tem agentes destacados para assumir caso Marielle, diz Jungmann – August 13, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Jungmann diz que PF está pronta para assumir caso Marielle se investigação for federalizada – August 12, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Assassinato de Marielle e Anderson envolveu agentes do Estado e políticos, diz Jungmann – August 08, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Viúva de Marielle fecha acordo de proteção com a Polícia Civil – August 06, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Entreposto do tráfico, Rio teve 41 toneladas de droga apreendidas pela PF em 53 meses – August 12, 2018 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 200 110 NONE 14 (tacit) eu: 8, Eu: 1, eu: 3, mim: 1, me: 1
2 Mônica Benício 0 80 PERSON 7 Mônica: 2, Mônica_Benício (apposition: a viúva de Marielle): 1, Mônica_Benício: 1, (tacit) ele/ela (referent: Mônica): 2, (tacit) ele/ela (referent: Mônica_Benício): 1
3 Antonio Francisco da Silva 0 0 PERSON 4 (tacit) ele/ela (referent: Antonio_Francisco_da_Silva_Neto): 3, Antonio_Francisco_da_Silva_Neto (apposition: o pai de Marielle): 1
4 Marielle Franco 0 0 PERSON 4 Marielle: 4
5 resposta 0 0 NONE 4 resposta: 3, A resposta: 1
6 a Polícia_Civil 40 40 PERSON 3 a Polícia_Civil: 2, A Polícia_Civil: 1
7 documento 0 0 NONE 3 um documento: 1, O documento: 2
8 gente 0 0 NONE 3 A gente: 1, a gente: 2
9 nós 0 0 NONE 3 (tacit) nós: 3
10 pais 0 0 NONE 3 pais: 1, os pais: 2