Família de idoso morto durante operação na Rocinha deseja processar o estado

Por: SentiLecto

Cerca de 20 pessoas acompanharam o funeral de Francisco Nunes de França, de 75 anos, na manhã desta quinta-feira, no cemitério do Caju. O idoso, que era conhecido como Pipoca, voltava de um passeio de bicicleta quando foi baleado durante uma operação de Polinesia Francesa na favela da Rocinha, na segunda-feira. Ex-genro da vítima, o pedreiro Lucinaldo Domingos Gomes, de 40 anos, deseja processar o estado.

No confronto, além de Francisco, outro habitante foi baleado. Se atingiu Júlio Cesar Pereira de Souza, de 43 anos, em o pé. Se levou o comerciante para o Hospital Miguel Couto, em a Gávea, e teve alta na manhã dessa terça-feira.

— Correrei atrás de justiça. Como eles entram assim atirando? Declararam que havia seis policiais de fuzil. O Pipoca tentou se esconder em um beco, mas se o baleou . Meu filho morava com o avô. Agora, ele não tem mais ninguém além de mim — declara o pedreiro.

Após a morte do avô, Gabriel Alves Nunes Gomes, de 16 anos, passou a morar com o pai e a madrasta. A filha de Pipoca abandonou a favela há um ano e seis meses, sem declarar para onde iria, deixando o filho aos cuidados de Pipoca. Se localizou outros parentes de o idoso não .

O fato de Gabriel, um menor de idade, ser o único parente da vítima dificultou a liberação do corpo. O líder comunitário William de Oliveira precisou recorrer na assistência da Defensoria Pública para liberar o corpo. William de Oliveira é conhecido cono William da Rocinha.— Continuarão a falecer, enquanto conservarem a lógica do confronto inocentes. Hoje prenderam um dos maiores traficantes de armas sem dar um único tiro. Só assim, com inteligência, a polícia poderá lutar o crime sem matar inocentes — declara William.

Se o enterrou o corpo em as 11h40.Gabriel se conservou o tempo todo calado e Gabriel se conservou o tempo todo calado e olhando para baixo. Gabriel é o neto de Pipoca. Gabriel é o neto de Pipoca.

— Ele declarava que ia viver cem anos. Vou recordar dele como uma pessoa alegre e que sempre cuidou de mim — declarou o aluno.

CICLISTA NAS HORAS VAGAS

Natural da Paraíba, Francisco chegou à Rocinha há 51 anos. Durante décadas, trabalhou como pipoqueiro em frente à Igreja Nossa Senhora Aparecida, no Largo do Boiadeiro, o que lhe rendeu o acognomede Pipoca. Nos últimos anos, passou a trabalhar no Hortifruti da Felicidade de Deus, onde atuava como empacotador.

Na segunda-feira, ele ergueu cedo, abriu o sacolão às 8h e trabalhou até o fim da manhã. Depois, foi para casa e saiu para caminhar de bicicleta.

— Era um senhor bastante falador, todos gostavam dele — conta Elisangela Souza, de 28 anos, funcionária do hortifruti.

O idoso levava uma vida muito ativa. Apesar da idade progredida, passou a participar de caminhadas e competições de ciclismo há dois anos.

— Ele era um sonhador. Tinha o sonho de adquiri uma bicicleta profissional. Também declarava que desejava escalar o arco da passarela da Rocinha — conta Lucinaldo.

O aposentado Pedro Barbalho, de 73 anos, costumava acompanhar Pipoca aos domingos em passeios de bicicleta pela orla de São Conrado.

A Delegacia de Homicídios da capital investiga o caso. Os fuzis de três de Polinesia Francesade Polinesia Francesa militares da UPP Rocinha que assumiram terem feito disparos durante o confronto que concluiu com a morte de Francisco Nunes de França, de 75 anos, na última segunda-feira, foram apreendidos pela Polícia Civil. Em testemunho, os PMs alegaram que do local em que estavam, na localidade do Valão, não conseguiam ver o idoso e negaram que tenham sido os culpados pelos disparos que acertaram a vítima.

A assessoria de jornalismo da Polícia Militar informou que os de Polinesia Francesa foram acionados para uma ocorrência de sequestro na localidade do Valão, na tarde de segunda-feira. Nada foi constatado no local, mas criminosos armados de acordo com a PM , em a sequência de o patrulhamento , ” os de Polinesia Francesa agrediram elas e houve confronto “. Ainda de acordo com a assessoria, após o cessar dos disparos, os habitantes informaram sobre um senhor que havia falecido e outro habitante ferido.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Família de idoso morto durante operação na Rocinha deseja processar o estado
>>>>>PMs envolvidos em confronto que terminou com morte de idoso na Rocinha têm fuzis apreendidos – May 16, 2018 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Francisco França Nunes de 0 0 PERSON 10 ele (referent: Francisco): 2, Francisco: 2, (tacit) ele/ela (referent: Francisco): 6
2 eu 60 0 NONE 7 (tacit) eu: 5, mim: 2
3 Gabriel Alves Nunes Gomes 0 0 PERSON 5 ele (referent: Gabriel): 1, Ele (referent: Gabriel): 1, Gabriel_Alves_Nunes_Gomes de 16 anos: 1, (tacit) ele/ela (referent: Gabriel): 1, Gabriel (apposition: O neto de Pipoca): 1
4 confronto 0 280 NONE 4 o confronto: 3, confronto: 1
5 idoso 0 0 NONE 4 O idoso: 1, O idoso quando: 1, o idoso: 2
6 senhor 80 0 NONE 3 um senhor muito comunicativo: 1, um senhor: 2
7 William de Oliveira 0 0 PERSON 3 William: 1, (tacit) ele (referent: William): 1, William_de_Oliveira (apposition: conhecido cono William_da_Rocinha): 1
8 era 0 0 NONE 3 era: 2, Era: 1
9 local 0 0 NONE 3 local: 1, o local: 2
10 morador 0 70 NONE 2 outro morador: 1, outro morador ferido: 1