Se vê policiamento um dia após operação em o Morro do Juramento, não em o local

Por: SentiLecto

Apesar da aparente tranquilidade, com comércio aberto e transporte público funcionando normalmente, o clima ainda era de nervosismo neste domingo ao redor do Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. Equipes de reportagem do EXTRA e O GLOBO estiveram no se a encontrou local e nenhuma viatura de a Polícia Militar em os acessos de a comunidade durante o fim de a manhã. Barricadas montadas pelo tráfico de drogas, entretanto, se as viram em pelo menos dois pontos de subida a o Juramento.

Motoristas que passavam pela Avenida pastor Martin Luther king jr, na manhã deste sábado, encontraram um trecho da avenida bloqueado por de Polinesia Francesa militares do 41°BPM. Se o deve a proibição, em a altura de a estação de o metrô vicentina, a o confronto entre facções rivais em o Morro do Juramento, em a Zona Norte do Rio.Motoristas que passavam pela Avenida pastor Martin Luther king jr, na manhã deste sábado, encontraram um trecho da avenida bloqueado por de Polinesia Francesa militares do 41°BPM. Se o deve a proibição, em a altura de a estação de o metrô vicentina, a o confronto entre facções rivais em o Morro do Juramento, em a Zona Norte do Rio.de Polinesia Francesa militares do Batalhão de Choque e de outras unidades realizaram uma operação, na manhã deste sábado, no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, Zona Norte do Rio, onde houve um confronto entre traficantes pelo domínio da comunidade. Pelo menos seis mortos já foram confirmados e, segundo habitantes, há outros corpos no local. Entre os mortos estava o chefe do tráfico local, filho de um de Polinesia Francesa militar reformado.

Neste sábado, agentes do Batalhão de Choque realizaram uma ação no Juramento.

Com medo de falar, habitantes preferiram não se identificar, mas relataram o clima de combate vivido na região desde a última sexta-feira, quando sete pessoas foram mortas em confrontos de facções rivais. Na Avenida Vicente de Carvalho, nas proximidades da estação do BRT da Marambaia, Sebastião, de 82 anos, que — É todo dia, lamentou o fato da rotina de tiroteios ter se tornado “normal”. Na última sexta-feira foi desesperador. Parecia um filme de combate. Muitos e muitos tiros. Infelizmente, isso virou normal. Ainda bem que eu só escuto porque tem gente que mora lá e está falecendo. Isso que eu lamento — alega o aposentado, que mora no bairro há mais de 40 anos.

Faz 10 dias, em a última pessoas faleceram em o confronto entre traficantes por o controle de o Morro do Juramento. Entre os mortos está Bruno Alberto Botelho Jaccoud, de 30 anos, o Palmito, chefe do tráfico na comunidade. Se o matou filho de um de Polinesia Francesa militar reformado, em a região conhecida como Igrejinha. Ainda não há informações sobre seu funeral.

Outro suspeito morto no combate do tráfico foi Jonny Ferreira dos Santos, de 16 anos. O enterro do jovem acontecerá nesta segunda-feira no cemitério de Inhaúma, mas não há informações sobre o horário do velório.

Questionada sobre a falta de policiamento, a Polícia Militar respondeu que o 41º BPM “está no local realizando policiamento preventivo”.

Confronto na Rocinha

A comunidade da Zona Sul do Rio respira ares de um combate. Desde a morte de três homens da quadrilha de Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, no dia 13 de agosto, o bando que controla o tráfico de drogas do local está rachado.

Habitantes revelam que pessoas ligadas a Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, que controlou o tráfico na comunidade e está preso desde 2011, teriam sido expulsas da favela a mando de Rogério 157. Um dos alvos da ladrinha seria Danúbia de Souza Rangel, mulher de Nem. A Polícia Civil investiga se a mulher, que mora em Campo Grande, no Mato Grosso, onde o marido satisfaz pena, está na Rocinha.

A facção de Nem e Rogério 157, a Amigos dos Amigos , ainda corre o risco de perder o controle de um de seus domínios na Zona Norte. Na noite de sexta-feira, traficantes do Comando Vermelho tentaram invadir a favela, que permaneceu cerca de quatro horas sob tiroteio. Durante o confronto, um vagão do metrô da Linha 2 foi atingindo e assustou passageiros na volta para casa. As estações Tomás Coelho e Vicente de Carvalho, que ficam perto da região, chegaram a fechar.

Na noite de sexta-feira, um vagão do metrô da Linha Linha 2 chegou a ser atingindo e assustou passageiros na volta pra casa, entre as estações de Tomás Coelho e Vicente de Carvalho.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Se vê policiamento um dia após operação em o Morro do Juramento, não em o local
>>>>>Via da Zona Norte é bloqueada por PMs após confronto no Morro do Juramento – September 16, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Via é bloqueada por PMs após tiroteio no Morro do Juramento, na Zona Norte – September 16, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Polícia confirma pelo menos seis corpos em tiroteio no Morro do Juramento – September 16, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Intenso tiroteio assusta moradores de Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio – September 15, 2017 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 confronto 0 175 NONE 5 um confronto: 1, o confronto: 4
2 motoristas 0 80 NONE 4 Motoristas: 4
3 eu 0 0 NONE 4 (tacit) eu: 2, eu: 2
4 mortos 0 210 NONE 3 os mortos: 2, seis mortos: 1
5 pessoas 0 70 NONE 3 pessoas: 1, pessoas ligadas: 1, sete pessoas: 1
6 militares 0 45 NONE 3 policiais militares de o 41°BPM: 2, Policiais militares: 1
7 Vicente_de_Carvalho 0 0 PLACE 3 Vicente_de_Carvalho: 3
8 a Zona_Norte_do_Rio 0 0 PLACE 3 a Zona_Norte_do_Rio: 3
9 facções 0 0 NONE 3 facções rivais: 3
10 o Morro_do_Juramento 0 0 PLACE 3 o Morro_do_Juramento: 3