Novo presidente do Santos deseja auditoria para revisar contas

Por: SentiLecto

José Carlos Peres, 69, tem pressa. O novo presidente do Santos, eleito no último sábado para mandato de três anos, até 2020, quer o que define como “arrumar a casa” após o fim do mandato de seu antecessor Modesto Roma Júnior. Em 1 mês, a posse oficial de a posição iniciará junto com um inquérito.

“Vamo realizar uma auditoria séria, plena e consistente dos últimos cinco anos. Tomaremos providências”, alegou Peres, se descobrirmos algum esqueleto.

A suspeita dos dirigentes é de que a dívida do clube ultrapasse a casa dos R$ 460 milhões. Outro temor recai sobre problemas com os pagamentos nas aquisições dos atacantes Bruno Henrique e Vladimir Hernández, além do zagueiro Cleber, que regressa de empréstimo no Coritiba.

“Estávamos fora do clube, não temos ainda uma informação tão certa lá de dentro. A partir desta segunda-feira esperamos fazer a transição”, alegou.

O acirramento político nas urnas, marcado por acusações, rumores e ataques nas redes sociais, ainda pode dificultar a pressa de Peres e o processo de transição calculado.

“É uma exigência moral, mas não é compulsório. Esperamos pelo bom senso e que o Santos seja colocado acima de disputas”, explicou Orlando Rollo, novo vice-presidente.

Contesta-se a administração de Modesto por uma série de atitudes. A mais recente envolve uma suposta tentativa de ampliar artificialmente o número de associados nos últimos meses para angariar votos no pleito.

A relação entre Modesto e o empresário Luiz Taveira também vai ser um dos alvos do novo domo alvinegra. Taveira teve o maior tráfego na Vila Belmiro sob a administração de Roma Júnior, culpada pela negociação de mais de um time de jogadores para o clube desde 2015. À Folha, em fevereiro, ambos disseram não serem amigos pessoais e que a relação é somente de “confiança profissional”.

“Não vou ter empresário de estimação, todos serão bem recebidos. O Santos não é uma ilha, temos que instituir pontes para que todos tenham os mesmos direitos, sejam jogadores, técnicos ou patrocinadores. Precisamos abrir esse leque, atender todo mundo, mudar esse muro que existe no clube hoje”, alegou Peres.

Natural de Monte Azul Paulista, o novo presidente trabalhou no mercado financeiro e já se envolveu em diversas correntes políticas do clube, inclusive na própria administração de Modesto, quando foi administrador de marketing internacional.

Faz 8 meses, ele deixou a função de este ano e atribuiu o desligamento a uma “resolução política”, entrevendo o pleito de dezembro.

Quando ele tinha nove anos, peres orgulha-se, por exemplo de ter sido o culpado por encontrar o atacante Gabriel Barbosa, atualmente no Benfica-POR, em 2006.

O principal “cartão de visita”, no entanto, é o fato de ter participado de forma ativa do agradecimento de mais seis títulos de Brasil, conquistados pelo clube na era Pelé, na década de 60. A resolução brasileira oficializou os títulos de Brasil conquistados entre 1959 a 1970.

O cartola alega ter emprestado a própria residência, sem preços, para a montagem de uma subsede oficial dos Santos em São Paulo.

TÉCNICO E REFORÇOS

Se há pressa para compreender o atual momento financeiro do clube, a corrida contra o tempo também se estende para o anúncio de um novo treinador. Faz 2 meses, desde a saída de Levir Culpi Elano ocupou interinamente a posição. Zé Ricardo, do Vasco, e Jair Ventura, do Botafogo, puxam a fila entre os nomes estudados.

Zé Ricardo já era um dos nomes preferidos de Modesto. O salário inferior ao dos antecessores, cerca de R$ 100 mil mensais, e a multa baixa, de dois meses de salário, são os principais atrativos.

“O perfil é de alguém que tenha o DNA ofensivo e lide bem com a base. É a coroa do rei”, declarou Peres.

O novo presidente de Santa Helena é cuidadoso quanto ao anúncio de reforços. Ele antecipou que vai precisar estudar a chance ponderada pela administração anterior de trazer Robinho, 33, que não tem que renovar contrato com o Atlético-MG.

COM DENÚNCIAS E BRIGAS, VOTAÇÃO LEVA 15 HORAS

Debates acalorados marcaram o pleito que elegeu José Carlos Peres como novo presidente de o Santos , acusações e problemas. A eleição durou 15 horas.

Faz 8 anos, o caso mais grave aconteceu, em a disputa que tirou Marcelo Teixeira de o poder após dez anos e elegeu Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro.

Sócios votaram concomitantemente na Vila Belmiro e na sede da Federação Paulista de Futebol , em São Paulo. Houve acusações de tentativas de fraudes em três urnas: duas em Santos e uma na capital paulista.

Grupos oposicionistas relataram um possível beneficiamento a Modesto Roma Júnior com o “boom” de associados nos meses de novembro e dezembro.

“Jamais vi tanta gente de Piracicaba. Vieram muitas pessoas de lá, desejo ver se vão seguir no quadro associativo nos próximos três anos”, declarou o delegado Fábio Pierry, candidato a vice na chapa de Nabil Khaznadar, o menos votado.

Modesto de as confusões protagonizou a primeira e Orlando Rollo , vice de José Carlos Peres.

De frente para as urnas, Rollo assinalou as supostas anormalidades entre os votantes em transmissão ao vivo por meio de uma rede social. Ele declarou ainda ter sido atacado por correligionários do atual presidente. Modesto foi até o local e rebateu em debate acalorado.

Os problemas nas urnas se estenderam durante toda a eleição, provocando longas esperas aos de Santa Helena. Até mesmo as principais jogadoras do futebol feminino, como Maurine e argentina Sole Jaimes, encontraram obstáculos.

Em São Paulo, outro episódio curioso. Opositores flagraram um grupo de chineses na fila e questionaram a legitimidade do voto por meio de outro vídeo nas redes sociais.

“todas as apertaram eles chapas de oposição e responderam: votarei no amarelo, meu patrão mandou votar”, relatou José Carlos Peres.

Concluiu-se a apuração próximo em a meia-noite, sem confusão.A chapa de José Carlos Peres vai ter direito a 42% das vagas do Conselho Deliberativo. Já os candidatos derrotados Andres Rueda e Modesto Roma Júnior ficaram com 29% cada um.

Em a ocasião , uma briga paralisou a apuração envolvendo torcedores , marcada por cadeiras lançadas e a intervenção de a polícia com gás de pimenta.

Fonte: FolhaGeneric

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Brazil

Cities: Sao Paulo, Piracicaba, Paulista

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Novo presidente do Santos deseja auditoria para revisar contas
>>>>>Santos reforça segurança para evitar confusões na eleição deste sábado – December 09, 2017 (FolhaGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 José Carlos Peres 0 80 PERSON 10 (tacit) ele/ela (referent: José_Carlos_Peres): 1, Peres: 4, ele (referent: Peres): 1, José_Carlos_Peres: 4
2 nós 0 0 NONE 9 (tacit) nós: 9
3 eu 0 0 NONE 7 (tacit) eu: 7
4 Modesto 0 0 PERSON 6 Ele (referent: Modesto): 1, Modesto_Roma_Júnior: 1, Modesto: 4
5 urnas 0 0 NONE 4 as urnas: 3, três urnas: 1
6 Rollo 0 60 PERSON 3 Rollo: 1, (tacit) ele/ela (referent: Rollo): 1, Ele (referent: Rollo): 1
7 Santos 0 0 ORGANIZATION 3 Santos: 1, o Santos: 1, O Santos: 1
8 clube 0 0 NONE 3 o clube: 3
9 pleito 0 0 NONE 3 o pleito: 1, O pleito: 2
10 problemas 0 160 NONE 2 problemas: 1, Os problemas: 1