Órgão Especial do TJ-RJ arquiva projeto para garantir os 24% dos serventuários

Nesta segunda-feira, a sessão do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio debateu ser desnecessário o envio de um projeto de lei para a Assembleia Legislativa do Estado para se garantir os 24% de reajuste concedidos entre 2011 e 2014 ao serventuários do poder.

Leer Más

GPA anuncia integração de operações de comércio eletrônico da Cnova Brasil à Via Varejo

Foto: Wikipedia – Via Varejo logo

– O Grupo Pão de Açúcar divulgou nesta segunda-feira que foi implementada nesta data a reestruturação societária para a integração dos negócios de comércio eletrônico operados pela Cnova Brasil, que “, segundo o fato pertinente, aos negócios da Via Varejo. A integração permite que “se dê começo à implementação das medidas necessárias à captura das sinergias esperadas em decorrência da integração dessas atividades às atividades de varejo em lojas físicas desenvolvidas pela Via Varejo”, afialegadocumento. Faz 3 meses, a Cnova Brasil era controlada por a Cnova de o grupo francês, Casino, antes de o anúncio em agosto de acordo entre Cnova e Via Varejo, para combinação de negócios em o Brasil. Assim, Cnova Brasil se tornou uma subsidiária integral da Via Varejo, que faz parte do GPA.

O presidente-executivo da empresa, nesta quinta-feira declarou: – A rede de móveis e eletroeletrônicos Via Varejo não tem notado melhora no fluxo de clientes em suas lojas e avalia que o quarto trimestre e o primeiro semestre do próximo ano seguirão “muito difíceis”. Peter Estermann em teleconferência com analistas declarou: “O fluxo de clientes ainda não é positivo comparado com o fluxo do ano passado Ano que vem não melhorará tão depressa como alguns esperam, trabalhamos com cenário ainda muito difícil”. A Via Varejo divulgou no final da noite de quarta-feira que a perda do terceiro trimestre foi quase duas vezes maior que o registrado no mesmo fase do ano passado, enquanto a receita ficou praticamente estável.

Leer Más

Lucro da EDP Brasil salta 317% no 3° tri com assistência de forte posição de caixa

– A elétrica EDP Energias do Brasil fechou o terceiro trimestre com lucro líquido de 230,8 milhões de reais, alta de 317,2 por cento ante o mesmo fase de 2015, principalmente devido a um melhor resultado financeiro decorrente da forte posição de caixa da empresa, segundo comunicado divulgado nesta segunda-feira. A companhia, que atua em geração e distribuição de eletricidade, exibiu uma geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização de 625,8 milhões de reais no trimestre, com progressão de 6,6 por cento na comparação anual. A receita operacional líquida da empresa teve retração de 1,6 por cento, para 2,38 bilhões de reais, principalmente devido à queda no volume de energia comercializada pelo grupo. Na área de geração, a energia negociada caiu 3,8 por cento na comparação anual. Já na distribuição, a subsidiária EDP Bandeirante teve alta de 1,2 por cento na energia comercializada, mais do que compensada por uma retração de 13,1 por cento na EDP Escelsa. Os resultados, no entanto, uma alta compensou eles de 77,6 por cento em a receita financeira que adicionou 132,1 milhões de reais em o trimestre ,. Segundo a EDP Brasil, houve uma ampliação de 59,7 milhões na receita financeira somente devido a aplicações realizadas com o maior saldo de caixa da empresa no fase. Faz 2 meses, a elétrica contabilizou caixa e equivalentes consolidados de 2,477 bilhões de reais em o final O saldo teve alta de 1,3 bilhão em relação ao final de 2015, decorrente de uma ampliação de capital de 1,5 bilhão de reais realizado pela empresa.

Leer Más

EDP Brasil tem lucro líquido de R$230,8 mi no 3° tri

– A elétrica EDP Energias do Brasil fechou o terceiro trimestre com lucro líquido de 230,8 milhões de reais, alta de 317,2 por cento ante o mesmo fase de 2015, principalmente devido ao melhor resultado financeiro, informou a empresa em comunicado nesta segunda-feira. A companhia, que atua em geração e distribuição de eletricidade, exibiu uma geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização de 625,8 milhões de reais no trimestre, com progressão de 6,6 por cento na comparação anual.

Leer Más

Meirelles: equilíbrio fiscal vai fazer desemprego cair

Foto: Wikipedia – By Carlos Barretta stk 001068 (7310177286)

– Henrique Meirelles alegou nesta segunda-feira que o descontrole das contas públicas é culpada pela crise econômica, que ampliou o desemprego no país. Henrique Meirelles é o ministro da Fazenda. No total, 12 milhões de pessoas estão sem trabalho no Brasil. Em entrevista à “Voz do Brasil”, da Empresa Brasileira de Educação, ele ddeclarouque a confiança já aampliae economia deve voltar a caumentare a consequência disso será a queda do desemprego. Quando a população poderia, no entanto, questionado sobre sentir isso, Meirelles não marcou uma data para a reação do emprego. Mencionou somente alguns sinais de melhora e falou que a queda do desemprego deve acontecer. — Como consequência absolutamente natural e inevitável, teremos o crescimento do emprego. Isso vai ser numa escala crescente e, cada vez mais, a população vai sentir os conseqüência disso não só no seu próprio emprego, mas como dos amigos do parentes e da sociedade como um todo — calculou o ministro. Ele defendeu a Proposta de Emenda à Constituição que lrestringeos gastos públicos. O projeto deve ser lido amanhã na Comissão de Constituição e Justiça no Senado. Aí, vai passar a tramitar na Casa. Henrique Meirelles declarou que a PEC faz parte da estratégia do governo que é reformar para aumentar. — O Brasil precisa reformar a economia para que aumente e que possa gerar emprego, gerar renda para a população e diminuir a inflação. Esse é o objetivo e é isso que se espera das medidas e das reformas que estão sendo feitas. Ele também desmentiu que a PEC vai cortar recursos da saúde e educação. Declarou que a proposta somente estabelece o mínimo dos gastos e que esse mínimo aumentará. — O Executivo e o Congresso ainda podem aprovar mais despesas para saúde e educação — completou.

Em palestra para empresários gaúchos, Padilha defende a PEC do Teto e declarou que o governo Michel Temer tem a maior “base aliada: de todos os governos. E comemorou os votos.— O Brasil não pode ser o “joãozinho do passo certo”. Mas não vai se retirar direitos. A reforma da Previdência não é feito para o governo ou para o Congresso — declarou Padilha.

Leer Más