Sem alarde, Facebook abre ‘hub de inovação’ na China

Por: SentiLecto

O Facebook agora conta com uma subsidiária na China, onde os seus aplicativos são bloqueados há anos pelo governo local. As informações são da Reuters e do The Washington Post.

Vai focar-se a subsidiária de o Facebook em a China em fornecer treinamentos e workshops para empreendedores e desenvolvedores. A empresa de Mark Zuckerberg tem iniciativas parecidas pelo mundo, incluindo a Estação Hack, inaugurada em 2017 no Brasil.

Entre as novidades anunciadas nesta terça-feira para o mercado de Brasil está um recurso que vai classificar os anúncios políticos. O Brasil é o segundo país do mundo onde o Facebook arremessará marcações que informam às pessoas quem pagou pelos anúncios relacionados à política. Em 1 mês, o talento vai estar disponível. Anúncios pagos por campanhas de candidatos, por exemplo, vão vir com a tag “propaganda eleitoral”. Aqueles publicados por candidatos vão mostrar o CPF dele, assim como a legenda a qual se o filia . Já os anúncios de partidos conterão o CNPJ da agremiação.

Na sexta-feira 13 de julho a Justiça da Alemanha havia determinado recentemente que os pais de uma garota de 15 anos morta em 2012 podiam acessar o seu perfil no Facebook, de acordo com informações da Reuters.

Um representante do Facebook em comunicado mandado à Reuters aalegou “Estamos interessados em montar um hub de inovação em Zhejiang para apoiar os desenvolvedores, inovadores e startups chinesas”.Segundo a agência de notícias, que teve acesso a um documento aprovado recentemente pelo National Enterprise Credit Information Publicity System, a nova subsidiária da rede social tem um capital registrado de 30 milhões de dólares e fica em Hangzhou, lar da gigante de e-commerce Alibaba.

Além da rede social, cujos aplicativos continuam bloqueados na China, diversas outras empresas de tecnologia são barradas de atuarem no país asiático pelo governo local, como Twitter e Google.

Por outro lado, uma das saídas do Facebook tem sido investir em inteligência artificial para identificar posts que possam violar as normas da comunidade, além de impelirem violência. Kate defende que o Facebook se tornou bastante bom em identificar pessoas que tentam instituir contas via bots. “Nós identificamos 98% das contas falsas antes de elas serem reportadas”, diz ela. Para endossar o trabalho, a empresa informou que 20 mil pessoas compõem por mais de 20 mil pessoas , sendo que uma boa parte dessa equipe tem como missão revisar conteúdos potencialmente maliciosos.

Fonte: Idgnow-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: China, Brazil

Cities: Hangzhou

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Sem alarde, Facebook abre ‘hub de inovação’ na China
>>>>>Como o Facebook planeja aumentar a transparência na rede social durante as eleições – July 24, 2018 (Idgnow-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Facebook 80 0 ORGANIZATION 6 O Facebook: 1, o Facebook: 5
2 o Brasil 0 0 PLACE 4 o Brasil: 1, O Brasil: 1, (tacit) ele/ela (referent: O Brasil): 2
3 pessoas 0 0 NONE 4 pessoas: 1, as pessoas: 2, 20_mil pessoas: 1
4 CPF 0 0 ORGANIZATION 2 (tacit) ele (referent: o CPF de ele): 1, o CPF de ele: 1
5 Reuters 0 0 ORGANIZATION 2 a Reuters: 2
6 a China 0 0 PLACE 2 a China: 2
7 anúncios 0 0 NONE 2 os anúncios relacionados: 1, os anúncios políticos: 1
8 marcações 0 0 NONE 2 marcações: 2
9 recurso 0 0 NONE 2 um recurso: 2
10 subsidiária 0 0 NONE 2 uma subsidiária: 1, A subsidiária: 1