Por: SentiLecto

A Latam Airlines informou nesta sexta-feira que vai demitir 1.400 funcionários, marcando o primeira movimento de uma grande empresa aérea da região nesse sentido por causa da crise do coronavírus. A Latam Airlines é maior empresa aérea da América Latina.

– A Avianca Holdings sabia desde o final de março que o caixa da empresa aérea cobriria somente alguns meses de despesas, uma vez que toda a sua frota estava estacionada em razão de medidas estritas de confinamento. Nessas condições, o pedido de recuperação judicial da companhia no domingo não foi uma surpresa. O que foi admirável foi a ausência de uma das partes interessada: a Colômbia. Isso contrapõe fortemente com países como a França, a Alemanha e os Estados Unidos, que desde o começo da crise priorizaram suas indústrias aéreas. 20 mil empregos, a maioria na Colômbia, vão estar em risco, se a Avianca falir. Mas a atitude de não interferência da Colômbia, que somente deu sinais de mudança esta semana, não foi uma exceção entre os governos da região, que, em sua maioria, ignoraram o clamor do setor por resgates. Em público, a Latam Airlines, a Gol, a Aeromexico e a Avianca declaram estar de forma ativa negociando pacotes de assistência governamentais. Quando os resultados podem, mas nos bastidores há uma preocupação crescente sobre se materializar e se não vai ser tarde demais. Uma fonte de uma empresa aérea, para não afetar as negociações da companhia. declarou: «Não está vindo rapidamente o suficiente». Os números da própria Avianca mostram um quadro sombrio para uma empresa aérea que até recentemente era promissora o muito para a United Airlines desejar uma estreita relação comercial. A Avianca vale agora 17 milhões de dólares, 0,02 dólar por ação. No final de março, após uma semana de paralisação, a Avianca tinha 304 milhões de dólares de caixa disponível, quase sem dinheiro entrando e com despesas crescentes. Em maio, a companhia já havia usado mais de metade desse dinheiro somente para pagar dois meses de salários e liquidar uma dívida. À medida que o vencimento de as dívidas era aproximado , o presidente-executivo divulgou publicamente a situação de a Avianca. O presidente-executivo é anko van der Werff. Mas foi tudo em vão. Gonzalo Yelpo um grupo do setor aéreo declarou: «Na América Latina, não vimos tanta assistência como em outras regiões». Gonzalo Yelpo é diretor jurídico da ALTA.Analistas advertiram que a crise pode ser particularmente arriscada para as empresas aéreas da região, que tiveram perdas nos últimos anos. A ALTA advertiu para uma «pandemia de falências». Maurício França, da L.E.K Consulting, que estima que as empresas aéreas de Brasil perderam 11 bilhões de reais entre 2014 e o terceiro trimestre de 2019 alegou: «O ponto de partida é pior para as empresas aéreas latino-americanas». A recuperação judicial da Avianca pode começar a mudar a maré, mas não está claro a que velocidade. Na segunda-feira, a Colômbia declarou que iria considerar a chance de conceder empréstimos para salvar a Avianca. Na terça-feira, o Peru declarou que estava considerando a chance de auxiliar as aéreas. Mas isso chega tarde demais para a Avianca, que está concluindo suas operações no Peru e demitindo mil funcionários. No Brasil, há semanas que as empresas aéreas estão num impasse nas negociações de empréstimos. O Chile alegou que a «assistência direta» não estava disponível para a Latam. Embora os contribuintes sejam diretamente proprietários da Aerolíneas Argentinas, na Argentina e no México, os governos de esquerda sinalizaram que não vão resgatar grandes companhias , complicando a equação. PARALISAÇÃO AÉREA A Avianca enfrentou um perfeito conjunto de complicações com sua sede na Colômbia e centros em El Salvador, Equador e Peru. Estes quatro países suspenderam todas as viagens aéreas comerciais, declarando que os seus fracos sistemas de saúde exigiam medidas extremas. Mas isso imobilizou a Avianca. A Latam não padeceu tanto porque ainda pode voar no Chile e no Brasil, os seus principais mercados. A Latam é a adversária mais próxima da Avianca. Agora, a Avianca, que tinha consentido em adquiri mais de 100 jatos Airbus antes de 2029, enfrenta um íngreme percurso de recuperação. A empresa consente que não precisa e nem pode pagar por essas aeronaves. No curto prazo, a Avianca declara esperar que as suas despesas ultrapassem significativamente suas receitas, sinalizando que «poderá precisar de uma nova e substancial injeção de capital». A Copa Holdings, do Panamá, igualmente imobilizada sem nenhum lugar para voar, é cerca de um terço menor que a Avianca e declarou estar queimando 85 milhões de dólares por mês. Mesmo a esse ritmo, a Avianca teria dinheiro para menos de quatro meses ao todo. Já se passaram quase dois meses. Mas ainda pior, a pandemia de coronavírus está num período mais precoce na América Latina do que nos Estados Unidos, na Europa ou na Ásia, o que adia as previsões de reabertura. Uma fonte da indústria, «e agora há uma maior relutância em reabrir os mercados. alegou: «A paralisação na América Latina foi, de certa maneira, mais rígida e mais forte».»

Depois que a Reuters reportou um vídeo interno mandado aos funcionários, a Latam confirmou as demissões, encarnando cerca de 3% da força de trabalho da companhia.

Roberto Alvo no vídeo declarou: «Infelizmente, deduzimo que não temos outra alternativa a não ser diminuir o tamanho da companhia». Roberto Alvo é o presidente da Latam.

A Latam já havia cortado pela metade os salários de seus 43 mil funcionários.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Latam Airlines dispensará 1.400 funcionários devido ao efeito do coronavírus
>>>>>ANÁLISE-Companhias aéreas da América Latina torcem por resgates para evitar mesmo destino da Avianca – May 13, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Segunda maior cia aérea da América Latina, Avianca entra com pedido de recuperação judicial – May 10, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Avianca 0 50 ORGANIZATION 11 A Avianca: 1, a Avianca: 9, (tacit) ele/ela (referent: a Avianca): 1
2 companhia 50 160 NONE 5 A companhia: 1, uma companhia aérea: 2, a empresa: 1, grandes empresas: 1
3 Latam 37 0 ORGANIZATION 5 (tacit) ele/ela (referent: a Latam): 1, a Latam: 1, a Latam (apposition: A rival mais próxima de a Avianca): 1, A Latam: 2
4 eu 0 0 NONE 5 (tacit) eu: 5
5 a Colômbia 0 0 PLACE 4 a Colômbia: 4
6 companhias 80 240 NONE 3 as companhias aéreas latino-americanas: 1, as companhias aéreas brasileiras: 1, as companhias aéreas: 1
7 funcionários 0 100 NONE 3 1.400 funcionários: 1, mil funcionários: 1, os funcionários: 1
8 despesas 50 0 NONE 3 despesas crescentes: 1, despesas: 2
9 Copa Holdings 35 0 ORGANIZATION 3 (tacit) ele/ela (referent: A Copa_Holdings de o Panamá): 2, A Copa_Holdings de o Panamá: 1
10 a América_Latina 0 0 PLACE 3 a América_Latina: 3