Por: SentiLecto

Pressionado pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre , o governo subiu o valor que vai ser aberto no Orçamento deste ano para execução de obras de infraestrutura. No lugar dos R$ 5 bilhões que vinham sendo ponderados, o presidente Jair Bolsonaro decidiu, segundo interlocutores da equipe econômica, por um valor de R$ 6,5 bilhões.

— Depois de participar de reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e outros integrantes do governo, o presidente Jair Bolsonaro alegou na noite desta terça-feira que deve definir, até a próxima sexta-feira, o novo valor do auxílio emergencial, menor que os atuais R$ 600, que pretende prorrogar até o fim do ano. Ele participou da abertura do congresso nacional da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes , em um hotel brasileiro. — O governo fez sua parte […] Acredito que nós tenhamos evitado aí a perda de muitos empregos. Exibiu-se a ajudinha emergencial por três meses. Já prorrogamos por mais dois, acaba esse mês. E nós pretendemos prorrogar –pretendemos, né?– até o final do ano, não com este valor que está aí, que pode até ser pouco para quem recebe, mas é bastante para quem paga. Quem paga somos todos nós. E não é dinheiro que o governo tem. Isso vem de endividamento. Então, nós estamos negociando — declarou Bolsonaro. O presidente continuou: — Hoje teve mais uma reunião com equipe econômica […] Demos mais um passo no tocante a isso daí, porque nós acreditamos que vamo ter mais um endividamento, não na ordem de R$ 50 bilhões por mês, como é esta ajudinha emergencial no momento, de R$ 600, mas diminuir um pouco esse valor para ver se a economia pega. Nós devemo pegar. A economia deve pegar — adicionou. Mencionando a presença de integrantes da equipe econômica no acontecimento, ele declarou que o governo vai «continuar fazendo o possível» para que o setor de bares e restaurantes não feche definitiva, e lamentou a informação de que cerca de 30% dos estabelecimentos comerciais tenham fechado as portas de vez. Sobre a reunião, que debateu o lançamento do programa Pró-Brasil, pacote de medidas econômicas e sociais que o governo pretende exibi nos próximos dias, Bolsonaro declarou ainda que «outras coisas foram debatidas, e logicamente não batemos o martelo ainda». Um pedido de Bolsonaro para aumentar o valor do Renda Brasil, programa que irá trocar o Bolsa Família, foi o principal motivo do deferimento. Técnicos trabalham para fechar com cenários e simulações para exibi ao presidente. — A gente espera que até sexta-feira esteja quase tudo já definido para nós darmos mais uma assistência, que é um dever nosso. Não é favor, não, é dever nosso auxiliar o Brasil a sair da crise que ainda temos e venhamos então voltar à normalidade. No mês de julho agora, o Caged declara que entre demitidos e admitidos tivemos um saldo de 130 mil, isso é bastante bom, em parte impulsionado pela ajudinha emergencial. Sabemos disso — comentou. O presidente cogitou em seguida que o pagamento do injetou, «por outro lado, dinheiro demais no mercado, papel demais». E declarou que esse foi o motivo da criação da nova nota de R$ 200, anunciada no mês passado pelo Banco Central. — isso colocou em o mercado , todo o papel que nós tínhamos que instituiu-se a nota de R$ 200, que alguns ficam falando aí… coisas… não tem nada a ver. Os R$ 200 é porque não temos mais papel. Mas papel demais no mercado leva a inflação. E isso aí é o pior mal que pode existir.

Na quarta-feira 19 de agosto ainda nesta semana, até sexta-feira, o presidente Jair Bolsonaro tinha que definir por qual valor irá prorrogar a ajudinha emergencial, atualmente em R$ 600, e em quantas parcelas complementares. O programa era considerado fundamental para turbinar a popularidade do presidente, mas custava cerca de R$ 50 bilhões por mês aos cofres públicos. Enquanto líderes dos partidos defendiam mais uma parcela de R, diante do alto gasto, a equipe econômica insistia em um valor menor $ 600 e duas de R$ 300, até o fim do ano.

O impasse sobre o total que seria destinado para obras públicas neste ano foi um dos fatores que levaram ao deferimento do anúncio do chamado «Pró-Brasil», calculado inicialmente para a última terça-feira. Esse programa irá reunir, além de um conjunto de medidas da área econômica como o Renda Brasil, também uma carteira de obras públicas. Os técnicos da equipe do ministro da Economia, que mas Alcolumbre insistiu com Bolsonaro, de acordo com fontes do governo, para que esse valor fosse aumentado, Paulo Guedes, vinham relatando nos últimos dias que só havia espaço para R$ 5 bilhões.

– A posição do presidente Jair Bolsonaro de descartar publicamente a utilização dos recursos da abono salarial para vitaminar o Bolsa Família encarna um tiro no coração do Renda Brasil tal qual estruturado pelo ministro da Economia, em novo capítulo do processo de desgaste padecido por Paulo Guedes. Ao custo anual de cerca de 19 bilhões de reais, o abono consiste no pagamento de um salário mínimo a cada ano aos trabalhadores formais que ganham até dois salários mínimos, funcionando como uma espécie de 14º na suplementação de renda. A extinção do abono encarnava a espinha dorsal da focalização nos mais pobres pretendida por Guedes no Renda Brasil, já que o direcionamento de recursos para o Bolsa Família com o fim de outros programas teria um efeito bastante menor. Ao todo, a equipe econômica calculava uma ampliação de 21 bilhões de reais ao programa de transferência de renda, considerando também a anexação do seguro-defeso e a restrição do Farmácia Popular somente aos que tivessem matricula em cadastro social do governo. A ideia era, com isso, aumentar a base de beneficiados e o valor pago a cada família. Em condição de anonimato, uma fonte do time assinalou que, sem a coluninha do abono, incrementar recursos para o Bolsa Família agora passa pela Proposta de Emenda à Constituição do Pacto Federativo, para que haja desvinculação de gastos ocompulsóriosde modo que novas despesas possam ser cinstituídascom respeito ao ttelhadode gastos, que impõe limites ao crescimento total da despesa pública. Uma segunda fonte da equipe econômica reconheceu que, descartado o abono, vai ser preciso «sentar-se e conversar» para calcular a validade ou não do esforço político de seguir adiante com uma proposta de focalização de programas no Renda Brasil sem que haja recursos tão vultosos para alimentá-lo. Na equipe econômica, a avaliação é que o abono acaba admirando pessoas que estão empregadas e que estão no setor formal, em contraposição à população em extrema pobreza ou que não consegue trabalhar com carteira assinada, esses dois segmentos vistos como mais vulneráveis. O governo já havia sido derrotado na sua tentativa, durante a reforma da Previdência, de restringi o abono aos que ganham somente um salário mínimo. Agora, a equipe de Guedes acreditava no êxito da junção de programas no Renda Brasil, sob o argumento de que era necessário priorizar recursos aos que mais necessitavam, no rastro da destruição econômica deixada pela pandemia de Covid-19. Bolsonaro, contudo, expôs sua diferença ao pontuar nesta quarta-feira que a proposta do Ministério da Economia para o Renda Brasil estava suspensa e que ele não podia «tirar de pobres para dar para paupérrimos», em referência à canalização dos recursos do abono para o Bolsa Família repaginado. A fala provocou imediata reação no mercado, com alta do dólar e queda da B3, a bolsa de Brasil. Com a declaração, o presidente jogou em território incerto a estrutura brasileira, programa que havia sido prometido por Guedes para terça-feira desta semana, dentro de um anúncio de peso, apelidado nos bastidores de «Big Bang», que viria para o reforço à economia no pós-coronavírus. A cerimônia acabou não ocorrendo, em parte porque Bolsonaro desejava um valor maior para o Renda Brasil do que os cerca de 250 reais sugeridos pela equipe econômica, tarefa que ganha contornos ainda mais desafiadores com sua rejeita em mexer no abono. O episódio desta quarta-feira também evidencia a posição delicada de Guedes enquanto fiador da política econômica e responsável pela construção de uma extensão da ajudinha emergencial e sua aterrissagem num Renda Brasil compatível com a norma do telhado, vista como única âncora fiscal do país. Final do ano, como prometido por Bolsonaro, ainda vai custar aos cofres públicos 100 bilhões de reais, caso o valor da ajudinha caia pela metade ante os atuais 600 reais mensais, sua prorrogação até o. No ano que vem o governo não vai ter a mesma prerrogativa para turbinar os gastos na área social, se a porteira para um gasto desta magnitude está aberta neste ano pela emenda do Orçamento de Guerra, que libera despesas relacionadas ao enfrentamento da crise da pandemia da restrição do telhado de gastos. Ao contrário do ministro, que segue empunhando publicamente o discurso da responsabilidade fiscal, Bolsonaro admitiu recentemente que havia debates dentro do governo para furar o telhado de gastos, diminuindo-as como somente uma discussão. Colhendo os frutos políticos da recomposição de renda garantida pela ajudinha emergencial, o presidente também tem viajado cada vez mais pelo país para inauguração de obras. Junto à saída recente de importantes auxiliares do Ministério da Economia, os ruídos entre Guedes e a ala desenvolvimentista do governo se intensificaram nas últimas semanas, alimentando especulações sobre a eventual saída do ministro doacposição Procurado, o Ministério da Economia não se pronunciou sobre as declarações de Bolsonaro.- O Ministério da Economia negou nesta quarta-feira coletiva dPaulo Guedes para pedido de demissão, após o presidente Jair Bolsonaro ter explicitado mais cedo diferenças em relação na proposta da equipe econômica para o Renda Brasil, novo programa de transferência de renda no lugar do Bolsa Família. Paulo Guedes é o ministro.»Não procede marcação de coletiva para pedido de demissão. Ministro continua enviando normalmente. Estava em reunião com secretários de Fazenda, conforme agenda», informou a assessoria de jornalismo da pasta.

O ministro conseguiu deixar o valor dentro do telhado de gastos, norma que restringe as despesas da União, apesar de ficar maior do que Guedes desejava. Ao longo deste mês, ministros do governo ponderaram editar uma medida provisória liberando recursos para obras fora do telhado de gastos, o que aborreceu Guedes.

Esses ministros argumentam ser necessário ampliar gastos públicos para recuperar a economia, além de pavimentar o percurso para a votação do presidente Bolsonaro para as votações de 2022.

Dos R$ 6,5 bilhões, R$ 3,3 bilhões vão ter o destino mencionado por parlamentares aliados ao governo, o que tem que irrigar suas bases eleitorais. Esse valor havia se modificado em um impasse dentro do governo, que só conseguira destinar R$ 1,8 bilhão para os deputados e senadores.

O restante , vai ficar principalmente com os ministérios do Desenvolvimento Regional e o da Infraestrutura. Nos últimos dias, os técnicos da equipe econômica buscavam despesas que pudessem ser canceladas no Orçamento de 2020, com o objetivo de comportar os recursos para as obras. O MDR, comandado por Rogério Marinho, tem que ficar com a maior parte, com algo em torno de R$ 2 bilhões. Utilizará-se o dinheiro especialmente para obras de segurança hídrica, concentradas em o Nordeste.

Para conseguir o espaço no Orçamento, a equipe econômica avalia cancelar dotações de ministérios que não estão conseguindo utilizar os recursos, que acabaram ficando empoçados.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Bolsonaro contraria recomendação do Ministério da Economia e aumenta para R$ 6,5 bi previsão para obras
>>>>>Auxílio emergencial: definição sobre novo valor deve sair até sexta-feira, diz Bolsonaro – August 26, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Renda Brasil de R$300 exigirá mais corte de despesa ou base menor de beneficiários, dizem fontes – August 25, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Auxílio emergencial deve ter mais quatro parcelas de R$ 300 – August 21, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Bolsonaro deve definir próximas parcelas do auxílio emergencial até 6ª feira – August 19, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Bolsonaro volta a dizer que respeitará teto de gastos – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Auxílio emergencial de R$ 600 é ótimo, mas não é sustentável, segundo secretário do Ministério da Economia – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Regulamentação de privatização dos Correios irá ao Congresso nas próximas semanas, diz Seillier – August 18, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Renda Brasil deve atender a 21 milhões de famílias a partir de janeiro do ano que vem – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Link falso para inscrição no Renda Brasil circula no WhatsApp – August 18, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Lançamento do Renda Brasil e Carteira Verde Amarela será na terça-feira, diz Guedes – August 21, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa fecha abaixo de 100 mil pontos com ruídos sobre Guedes – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Ibovespa futuro avança após governo reforçar compromisso com Guedes e teto de gastos – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Guedes quer Renda Brasil com benefício médio de R$ 247, com fim de abono salarial e Farmácia Popular – August 24, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>MP 936: Guedes confirma prorrogação de acordos de redução de salário e suspensão do contrato de trabalho – August 21, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Caged positivo é sinal excelente de que economia pode fazer retorno em V, diz Guedes – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Pagamento de auxílio emergencial lota agências da Caixa nesta sexta-feira – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Renda Brasil vira incógnita após Bolsonaro rechaçar espinha dorsal do programa – August 26, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Bolsonaro prorroga possibilidade de suspensão de contrato ou redução de jornada por mais 60 dias – August 24, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Senado derruba veto de Bolsonaro e permite aumento a servidores; Câmara ainda votará medida – August 20, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Maia e centrão costuram acordo para manutenção do veto que impede reajuste de servidores – August 20, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Bolsonaro diz que será ‘impossível governar o Brasil’ se Câmara permitir reajuste para servidores públicos – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Guedes chama de ‘crime contra o país’ decisão do Senado de derrubar veto e permitir aumento para servidores – August 20, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Existe muita confiança do presidente em mim, diz Guedes sobre sua permanência no governo – August 17, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>Ministério da Economia nega coletiva de Guedes para pedido de demissão – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 nós 0 130 NONE 17 Nós: 1, (tacit) nós: 9, nós: 7
2 Jair Bolsonaro 0 36 PERSON 12 Bolsonaro: 7, o presidente Jair_Bolsonaro: 3, ele (referent: Bolsonaro): 1, (tacit) ele/ela (referent: Bolsonaro): 1
3 governo 0 30 NONE 11 o governo: 6, governo: 3, O governo: 2
4 valor 790 20 NONE 8 um valor menor: 1, esse valor: 1, um valor maior: 1, Esse valor: 1, o valor: 3, valor: 1
5 R 0 0 PERSON 8 R: 8
6 Paulo Guedes 0 80 PERSON 7 Guedes: 4, Paulo_Guedes: 2, Paulo_Guedes (apposition: o ministro): 1
7 auxílio 0 40 NONE 7 uma ajuda: 2, este auxílio emergencial: 1, o auxílio emergencial: 4
8 eu 40 0 NONE 7 (tacit) eu: 7
9 equipe 0 0 NONE 6 equipe econômica: 1, a equipe econômica: 5
10 programa 100 0 NONE 5 Esse programa: 1, programa: 4