Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro criticou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e a metodologia utilizada para medir o desemprego no país. O instituto de o mercado de trabalho compila os dados em a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios que reúne informações sobre emprego , com e sem carteira assinada.

Jair Messias Bolsonaro é um capitão reformado, político e atual presidente brasileiro.

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio é uma pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em uma amostra de domicílios de Brasil que, por ter finalidades múltiplas, investiga diversas qualidades socioeconômicas da sociedade, como população, educação, trabalho, rendimento, habitação, previdência social, migração, fecundidade, nupcialidade, saúde, nutrição etc., entre outros assuntos que são incluídos na pesquisa de acordo com as necessidades de informação para o Brasil.

A presidente do IBGE, Susana Guerra, deixa hoje o instituto, após cortes na verba que invializam o Censo, a mais importante pesquisa do órgão, que ergue informações sobre o perfil demográfico, social e econômico dos municípios de Brasil.

De agosto até outubro, cerca de 213 milhões de moradores, em aproximadamente 71 milhões de endereços, seriam visitados pelos recenseadores nos 5.570 municípios do país.

Na quarta-feira 31 de março a taxa de desemprego no Brasil ficou em 14,2% no trimestre concluído em janeiro, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do IBGE, divulgados . quando começou, era a maior já registrada para o trimestre desde 2012 -se a série histórica. Segundo a pesquisa, 14,3 milhões de brasileiros estavam desempregados neste começo de ano.

— Estamos instituindo empregos formais, e muito, mês a mês, mas tem ampliado o desemprego por causa dessa metodologia do IBGE, que atendia ao governo da época. Essa espécie de metodologia, no meu compreender é o espécie errado. Vou padecer críticas do IBGE, mas eles podem mudar a metodologia – disse o presidente em entrevista à CNN na noite desta quinta-feira.

Bolsonaro mencionou números errados para corroborar seu argumento. Segundo o presidente, o país tinha 14 milhões de desempregados, e agora tem 20 milhões. Ele declara que se inflou esse número porque a metodologia de o IBGE consideraria como empregados os 40 milhões que perderam trabalho em a pandemia de informais.

— Como elas perderem seu ganha pão, vendiam churrasquinho de gato, vendiam água mineral no sinal um sorvete na arquibancada do estádio de futebol… Como não tem ganho, não tem como catar latinha mais, não tem latinha por aí, procuraram emprego. O sinal é um biscoito na praia. Ao procurar emprego, tínhamos 14 milhões de desempregados e agora temos mais de 20 milhões – declarou o presidente.

Os números estão errados. O número de desempregados no Brasil é de 14,3 milhões de pessoas no trimestre concluído em janeiro, de acordo com dados da Pnad Contínua do IBGE, divulgados no fim de março. Este é o maior número de desempregados desde o começo da série histórica da pesquisa, em 2012.

A pesquisa ainda mostrou que 5,9 milhões de brasileiros se encontram em desânimo. Essa categoria enquadra aqueles que desistiram de procurar uma chance no mercado de trabalho. O número também foi recorde na série do IBGE.

A previsão para contratação era dia 31 de maio no caso dos agentes censitários, e em julho, para os recenseadores. O trabalho de campo do Censo 2021 iniciaria em agosto.

CONTESTAÇÃO: Prazo para contestar ajudinha negada conclui na segunda-feira; cheque como requerer

Essa não é a primeira vez que Bolsonaro critica a metodologia utilizada pelo IBGE nas pesquisas de emprego. Quando havia, ele já havia reclamado dos dados sido recém-eleito e meses após assumir a posição.

Faz 3 anos, ele classificou o cálculo de o desemprego como uma farsa em entrevista a o Jornal da Band, em 2018.

— Vou desejar que a metodologia para dar o número de desempregados seja modificada no Brasil, porque isso daí é uma farsa – quando se o confrontou com os dados de que havia 12,4 milhões de desempregados em o país, disse.

NOVA RODADA: Ajudinha emergencial: inicia o pagamento dos trabalhadores informais nascidos em fevereiro

— Como é feita hoje em dia a taxa? Leva-se em conta quem está procurando emprego, só quem está procurando emprego. Quem não procura emprego, não é tido como desempregado. Quem está, por exemplo, recebendo Bolsa Família, é tido como não empregado. Quem recebe auxílio-reclusão também está tido como empregado. Quando há uma pequena melhora na questão do emprego no Brasil, então essas pessoas que não estavam procurando emprego, procuram, e, quando procuram e não acham, amplia a taxa de desemprego. É uma coisa que não mede a realidade. Parecem índices que são feitos para iludi a população — alegou.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

Countries: Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Bolsonaro critica IBGE e volta a colocar em dúvida estatísticas de desemprego
>>>>>IBGE suspende concurso com mais de 204 mil vagas para o Censo 2021 – April 06, 2021 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Jair Bolsonaro 0 95 PERSON 7 Ele (referent: Bolsonaro): 1, ele (referent: Bolsonaro): 1, (tacit) ele/ela (referent: Bolsonaro): 1, Bolsonaro: 2, (tacit) ele (referent: Bolsonaro): 1, O presidente Jair_Bolsonaro: 1
2 eu 0 100 NONE 6 (tacit) eu: 6
3 emprego 0 0 NONE 6 emprego: 6
4 desempregados 0 320 NONE 4 desempregados: 4
5 metodologia 0 180 NONE 4 a metodologia usada: 2, a metodologia: 2
6 dados 0 0 NONE 4 os dados: 3, Os dados: 1
7 nós 0 0 NONE 4 (tacit) nós: 4
8 o Brasil 0 0 PLACE 4 o Brasil: 4
9 pesquisa 0 0 NONE 4 A pesquisa: 1, a pesquisa: 2, uma pesquisa feita: 1
10 pessoas 0 0 NONE 3 essas pessoas: 2, pessoas: 1