Por: SentiLecto

– Roberto Campos Neto alegou nesta quarta-feira que a atual crise por conta do coronavírus gerará entendimento diferente sobre o papel dos bancos e seu capital. Roberto Campos Neto é o presidente do Banco Central. Ele, em videoconferência com executivos do Credit Suisse alegou: «Não tem como apertar mais capital, acho que isso é coisa que mudará». Campos Neto fez um pedido para que essa grande crise seja modificada em chance de progredir com as reformas, mas evidenciou ser óbvio que o momento agora é de lidar com as medidas emergenciais.

– Roberto Campos Neto avaliou nesta quarta-feira que a liquidez que se a injetou já em a economia por meio das medidas de o governo para lutar conseqüência econômicos de o coronavírus é suficiente Roberto Campos Neto é o presidente do Banco Central., mas que a autoridade monetária tem mais iniciativas na manga caso seja necessário. , durante acontecimento virtual promovido pelo banco Credit Suisse alegou: «Estamos sempre olhando para ver o que precisa fazer». Sobre o programa de financiamento da folha de pagamento de pequenas e médias companhias, Campos Neto declarou que a alternativa por compartilhar riscos com o setor financeiro –responsável por uma parcela do financiamento– se deu porque o governo não sabe recuperar crédito e essa foi uma maneira de instituir um incentivo para que os bancos tivessem interesse na tarefa. Segundo o presidente do BC, inicialmente o governo pensou em um programa maior, mas compreendeu que se adaptavam os 40 bilhões de reais efetivamente destinados a o plano . Destes, 34 bilhões de reais serão aportados pelo Tesouro e 6 bilhões de reais, pelos bancos. – Roberto Campos Neto declarou nesta quarta-feira que a autoridade monetária está preparada para atuar a qualquer momento bastante mais forte em suas intervenções cambiais caso considere que isso seja necessário. Roberto Campos Neto é o presidente do Banco Central. Em acontecimento virtual promovido pelo banco Credit Suisse, Campos Neto frisou que a cotação é flutuante e que o BC compreende que as intervenções têm sido feitas de maneira apropriada até o momento, mas evidenciou que o país tem reservas internacionais significativas que podem ser utilizadas. Alegou: «Estamos preparados, as reservas são grandes». «Temos atuado e podemos, a qualquer momento, atuar bastante mais forte do que até então.» — A Câmara dos Deputados aprovou, nesta sexta-feira, em primeiro turno, o texto-base do “Verba de combate”, que permite o aumento das despesas públicas para conter o coronavírus, sem as amarras que hoje limitam os gastos federais. A proposta de emenda em a Constituição pensou Rodrigo Maia de a Câmara , o presidente, e conta com suporte do Ministério da Economia. O texto dá ao governo a segurança jurídica necessária para gastar o que for preciso para conter a progressão da Covid-19, além da adoção de medidas econômicas relacionadas à pandemia. Aprovou-se A PEC por 505 votos a favor e 2 contra. Como se trata de uma mudança na Constituição, é preciso duas eleições. Ainda é preciso votar um destaque do PSOL antes de analisar a PEC em segundo turno. O trecho mais controverso, que ergueu debates no plenário nos últimos dias, amplia o poder do Banco Central durante a crise. A PEC cria um comitê de crise comando pelo presidente Jair Bolsonaro e composto por ministros e secretários estaduais, além de deputados. Esse colegiado vai ter poder de invalidar atos e contratos festejados pela União e suas autarquias e companhias públicas. O Congresso poderá sustar qualquer resolução do comitê. A proposta autoriza a contratação de pessoal, obras, e serviços e execução de compras por meio de um processo simplificado, mais rápido que as normas estabelecidas para situações normais. Para aumentar os gastos públicos durante a crise, a PEC permite que as despesas relacionadas aa guerrazinha à pandemia e seus econseqüênciana economia possam ser feitas sem o cumprimento das rnormasque hoje regem o Orçamento público. Esses gastos, porém, não podem ser permanentes e restringidos à crise. Uma das normas em forcita hoje, por exemplo, é a necessidade de mencionar fonte de financiamento para o gastos. Com a PEC, as despesas devem ser cobertas com a emissão de dívida por parte do governo. A PEC calcula validade retroativa a 20 de março. Os técnicos do governo estão com receio de assinar os atos necessários para gastar com a crise, por conta das obstáculos impostos pelas normas orçamentárias. Por isso, essa medida é importante para dar segurança ao que se o publicou já . O “Verba de combate” segrega os gastos que são impostos pela crise das despesas tradicionais do governo. Essa é uma forma de garantir a permanência do ajuste fiscal quando a pandemia passar. Ou seja, apesar de permitir uma ampliação de gastos em 2020, garante a volta das medidas de contenção de despesas em 2021. O texto permite ao governo emitir dívida para pagar as ações. A “norma de ouro” — que proíbe o governo de emitir dívida para pagar despesas correntes, como salários — fica suspensa neste ano, pela proposta aprovada, o que também atende a equipe econômica. Após a líder do PCdoB, Perpétua Almeida , fazer uma reclamação durante a sessão, Rodrigo Maia vetou a chance de apresentação de nove emendas ao texto. Rodrigo Maia é o presidente da Câmara. Entre elas, estava uma emenda com o objetivo de cortar salários de servidores federais durante a crise. A resolução revoltou os deputados do partido Novo. Esses parlamentares desejavam incluir na PEC uma emenda que liberava a utilização de orçamento das fundos partidária e eleitoral para a guerrazinha ao coronavírus. A atitude de Maia impossibilitou que esse trecho fosse votado separadamente. Maia justificou a resolução argumentando que o Regimento Interno da Câmara não permite a apresentação de emendas insólitas ao assunto central da proposta. Segundo ele, as nove emendas não tinham «relevância temática». O projeto também autoriza o Banco Central a adquiri títulos do Tesouro Nacional e dívidas de companhias diretamente no mercado. O BC exibiu a ideia para possibilitar ações em a guerrazinha a os conseqüência econômicos de a crise de o coronavírus mais eficazes. Atualmente, a autoridade monetária só pode atuar por meio do sistema bancário e não diretamente no mercado. O projeto permite que o BC ajude o funcionamento do mercado de títulos públicos. É uma forma de dar liquidez ao mercado, colocando recursos e equilibrando a oferta e procura. A proposta também permite que o BC adquira crédito direto no mercado. A intenção do Banco Central é evitar que o mercado de crédito fique frear. Na prática, o BC adquire os títulos e assume o risco do não pagamento das dívidas. Dessa maneira, o crédito pode fluir com mais facilidade. Alex Agostini avalia que a medida pode ser efetiva para o momento atual. Alex Agostini é economista-chefe da Austin Rating. — É um instrumento complementar que moderniza a ação de política monetária do Banco Central, que já é estabelecida e praticada em países desenvolvidos, mercados consolidados. Isso é uma progressão que se dá no Brasil — alegou. No entanto, a autorização é para atuação somente no mercado secundário, ou seja, exclusivamente para ativos que já estão no mercado. Dessa forma, o BC não pode adquiri títulos diretamente do Tesouro ou crédito diretamente das companhias. Para atuar no mercado de crédito, o Banco Central vai precisar da autorização do Ministério da Economia e informar ao Congresso Nacional a cada operação. O projeto também calcula que as atuações precisam ter pelo menos 25% de aporte do Tesouro Nacional. Esse dever restringe a atuação do BC à disposição do Tesouro de prover esses recursos. De última hora, o relator incluiu um trecho que obriga o presidente Banco Central, Roberto Campos Neto, a prestar contas das operações ao Congresso Nacional a cada 45
dias. O texto calcula que enquanto durar a pandemia, os novos instrumentos só poderão ser utilizados. Mande acusações, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Crise gerará entendimento diferente sobre papel dos bancos e seu capital, declara Campos Neto
>>>>>BC tem mais medidas para injetar liquidez na economia se necessário, diz Campos Neto – April 08, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>BC veda aumento de dividendos e remuneração pelos bancos em meio à crise do coronavírus – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Brasil está sendo rápido em levar recursos de combate à crise para a ponta, diz Campos Neto – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Bolsonaro assina hoje MP para financiar R$ 40 bi em salários para pequenas e médias empresas – (Extraoglobo-pt)
>>>>>BC está preparado para atuar mais forte no câmbio a qualquer momento, diz Campos Neto – April 08, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Governo estuda medidas adicionais de crédito para micro e grandes empresas, diz Campos Neto – April 07, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Bolsonaro assinará nesta 6a-feira MP de financiamento à folha de pagamento, diz Economia – April 03, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Medidas para coronavírus de R$200 bi serão oficializadas até 5a-feira, diz Guedes – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Nova MP permite redução de até 70% nos salários e deve preservar 24,5 milhões de emprego – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Bancos poderão deduzir de compulsório recursos aportados em financiamento de folha de pagamento – April 06, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>BC decide proibir temporariamente aumento da remuneração de dirigentes de bancos – April 06, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>CMN adota novas medidas e autoriza BC a conceder empréstimos com garantia de carteiras de crédito – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>CMN autoriza BC a conceder empréstimos a instituições financeiras mediante emissão de LFG – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>BC veda distribuição de dividendos dos bancos e aumento de remuneração em meio à crise – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Câmara aprova ‘Orçamento de guerra’, para aumentar gastos públicos durante a crise – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Roberto Campos 50 0 PERSON 11 Campos_Neto: 3, (tacit) ele/ela (referent: Campos_Neto): 4, Roberto_Campos_Neto (apposition: O presidente de o Banco_Central): 3, ele (referent: Roberto_Campos_Neto): 1
2 PEC 60 0 ORGANIZATION 8 a PEC: 3, A PEC: 3, (tacit) ele/ela (referent: A PEC): 2
3 BC 300 0 ORGANIZATION 6 o BC: 6
4 governo 0 0 NONE 6 o governo: 5, governo: 1
5 gastos 0 395 NONE 5 os gastos: 2, gastos: 1, Esses gastos: 1, os gastos federais: 1
6 forma 175 0 NONE 5 essa forma: 1, uma forma: 1, essa maneira: 1, uma maneira: 2
7 crise 50 0 NONE 5 essa grande crise: 1, a crise: 3, a atual crise: 1
8 eu 0 0 NONE 5 (tacit) eu: 5
9 nós 0 0 NONE 5 (tacit) nós: 5
10 emenda 40 0 NONE 4 emenda: 1, uma emenda: 3