Por: SentiLecto

— Paulo Guedes reforçou nesta quarta-feira que o governo federal pretende instituir o que chama de rampa de ascensão social para os 38 milhões de «invisíveis» descobertos com o pagamento da ajudinha emergencial de R$ 600 durante a pandemia do novo coronavírus. Paulo Guedes é o ministro da Economia. Os programas passam pela reformulação do Bolsa Família a desoneração do trabalho formal até um salário mínimo e um sistema de capitalização para a Previdência. A reformulação do Bolsa Família é a criação de um Imposto de Renda negativo. As políticas estão sendo esboçadas e não são triviais, declarou o ministro em entrevista à rádio Jovem Pan. A reformulação do Bolsa Família vai ser uma “aterrissagem” em relação aa ajudinha emergencial de R$ 600. O valor terá de ser diminuído, mas o governo deseja pagar mais do que os R, que seriam R$ 250, quase R$ 300, declarou, $ 200 que o Bolsa Família deposita em média. O Renda Brasil, nova versão do programa, vai ser resultado da fusão do Bolsa Família, do abono salarial e mais dois ou três programas, informou o ministro. O programa cobrirá 26 milhões de pessoas do Bolsa Família, de acordo com Guedes, mais 10 milhões dos “invisíveis”. O ministro evidenciou, porém, que a ideia é animar essas pessoas a trabalharem e aumentarem sua renda. Haveria, explicou Guedes, uma conversão automática. Se a pessoa não conseguir emprego, volta para o Renda Brasil. Se instituirá a carteira verde-amarela para a pessoa regressar a o mercado de trabalho em o regime de serviços, . Vai servir para trabalhos no setor de serviços, com pagamento por hora. Mande acusações, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra — Não tem um empregador — observou Guedes: — E não tem sentido cobrar encargo de quem não tem empregador. Para esse público, o governo quer instituir um sistema de Imposto de Renda negativo. — Ganhou R$ 500, toma mais 20% de IR negativo — exemplificou o ministro. Ele observou, no entanto, que o governo talvez não tenha recursos suficientes, por isso a ideia está ainda em análise. Esse regime serviria para rendas de até mil reais. Acima desse nível, declarou o ministro, a ideia é animar a entrada do trabalhador no mercado formal. O governo deseja desonerar o primeiro salário mínimo formal, pago por intermédio do que ele chamou de “carteira azul simplificada”. Segundo o ministro, os encargos são bastante elevados e um trabalhador que recebe um salário mínimo custa praticamente o dobro. Por isso a necessidade de desonerar, acredita. Ele não deu mais detalhes de como isso será feito. Os trabalhadores da carteira verde-amarela não contribuirão para a Previdência, mas gerarão pressão sobre o sistema à medida em que envelhecerem, reconheceu o ministro. Para eles, a ideia é instituir um sistema de capitalização. Esses trabalhadores teriam uma espécie de caderneta de poupança. — Trabalhou, credita no fundo especialmente instituído para transferir riqueza — declarou o ministro: — Desejamo começar-los na acumulação para um futuro melhor. Nesse caso, não vai ser necessária contribuição da companhia nem do trabalhador. — O Estado dá a ele um crédito por ter trabalhado — informou.

— O governo federal transfere, nesta segunda-feira , a segunda parcela da ajudinha aos estados e municípios. Com a soma de R$ 15 bilhões desta parcela, metade dos R$ 60 bilhões aprovados pelo Congresso Nacional já foram para as mãos dos prefeitos e governadores. Do total, R$ 50 milhões poderão ser utilizados livremente e R$ 10 bilhões foram direcionados para ações em saúde e assistência social relacionadas ao coronavírus. Faz 2 meses, o Congresso a os estados e municípios aprovou a ajudinha em o começo e sancionado por o presidente Jair Bolsonaro em o fim de aquele mês. Para receber a assistência financeira, estados e municípios devem se comprometer a não entrar com ações contra a União. Além disso, o reajuste para servidor público está congelado até 2021. Em 2 meses, os estados e municípios vão receber as próximas parcelas, conforme calendário : Além das transferências, o projeto também interrompe as dívidas de os estados e municípios com a União. A assistência é no valor de R$ 49 bilhões em suspensões e renegociações de dívidas e mais R$ 10,6 bilhões pela renegociação de empréstimos com organismos internacionais que contam com o aval da União. Mande acusações, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra O estado que mais receberá recursos nesta parcela é São Paulo, com R$ 1,9 bilhão, seguido de Minas Gerais, com R$ 860 milhões e Rio de Janeiro, com R$ 604 milhões. Os municípios que mais recebem são, respectativamente, as capitais desses estados, com R$ 343 milhões para a capital paulista, R$ 156 milhões para a fluminense e R$ 69 milhões para a mineira. A distribuição dos recursos segue critérios de população e de taxa de incidência na população de cada estado.“Trata-se de uma operação inédita, e sua melhoria precisa ser realizado durante o processo, em função da urgência da situação em atender a população”, alegou a companhia, que ainda processa 35 milhões de vantagens do INSS e 12 milhões de compensações pagas a trabalhadores com suspensão de contrato ou diminuição de jornada e salário.Para os experts, se tiver uma boa experiência de utilização agora, o cliente vai ficar dentro do sistema digital, que oferece benefícios como remuneração de conta, preço mais baixo e, futuramente, acesso a crédito.

Na terça-feira 30 de junho – O governo anunciou a prorrogação da ajudinha emergencial por dois meses. Os repasses complementares serão feitos entre julho e agosto, mas não há detalhes sobre o programa de pagamentos. Quem já se cadastrou para receber as primeiras parcelas não precisa fazer um novo cadastro. Quem ainda não fez o requerimento, no entanto, Faz 14 dias, podia fazer isso. A lei que instituiu a ajudinha estabelecia repasses de R$ 600 por três meses, contados a partir de abril, mas permitia que o Executivo prorrogue a duração do programa por decreto. O texto não abria brecha, no entanto, para uma mudança do valor dos repasses mensais. A equipe econômica, no entanto, defendia que se diminuam as parcelas de maneira gradativa, em o lugar de pagar mais duas prestações de R$ 600. Mudar o valor calculado na lei, no entanto, exigiria o envio de um projeto de lei ao Congresso. Para fazer pagamentos em valores decrescentes sem o aval do Legislativo, o governo planeja controlar os valores repassados ao longo do mês, de forma que o total transferido em cada mês sempre some R$ 600. Durante a solenidade, Paulo Guedes declarou que uma chance era fazer isso de maneira que, na prática, beneficiários recebam uma parcela de R$ 500, outra de R$ 400 e outra de R$ 300. Paulo Guedes é o ministro da Economia. 300. Isso seria feito da seguinte maneira: um pagamento de R$ 500 no começo de julho; um pagamento de R$ 100 no fim de julho seguido por um de R$ 300 no começo de agosto ; e, por fim, outra transferência de R$ 300 no fim de agosto. — podíamo fazer um pagamento de R$ 500 no começo do mês, R$ 100 no final do mês, com R$ 300 logo depois. Ou seja, ficava uma prestação de R$ 500, outra de R$ 400 logo depois e outra, no fim do mês, R$ 300. Você acabava cobrindo três meses com R$ 500, R$ 400 e R$ 300. Esse era o desejo do presidente — declarou Na falava de Guedes, no entanto, não estava claro se essa era uma chance considerada pelo ministro ou um programa fechado. Procurado, embora a declaração tenha, o Ministério da Economia declarou que o Ministério da Cidadania passaria os detalhes sido feita por Guedes. A Cidadania ainda não regressou. Diante do agravamento da pandemia, o presidente Jair Bolsonaro já havia sinalizado a extensão do programa de ajudinha, mas ainda não havia confirmado os valores e a duração dos repasses extras. O GLOBO revelou que o plano estava em estudo em meados de maio. Npassada, Bolsonaro declarou, em transmissão ao vivo por redes sociais, que os novos pagamentos teriam que ser de R$ 500, R$ 400 e R$ 300. Mas, na ocasião, não confirmou que os valores seriam esses. O plano chegou a ser anunciado pelo ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, por meio de rede social. No entanto, apagou em seguida a postagem. Mande acusações, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra Inicialmente, a equipe econômica propôs fazer mais dois pagamentos de R$ 300, mas a proposta enfrentou resistência. Rodrigo Maia chegou a defender a extensão da vantagem integral por três meses. Rodrigo Maia é o presidente da Câmara. O governo, então, chegou a uma solução intermediária. Faz 4 meses, se anunciou o programa de a ajudinha emergencial em o fim. No início, Guedes propôs pagar R$ 200 a trabalhadores informais e autônomos. O valor tinha como referência a média dos repasses no Bolsa Família, que era de R$ 190. Revisou-se o valor de a vantagem no entanto, ao longo do processo de eleição. No Senado, subiu para R$ 300. Na Câmara, foi a R$ 500. Finalmente, Bolsonaro acertou um acordo com o Congresso para fechar nos atuais R$ 600.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Ganha até mil reais para Governo federal. Elas estuda «Imposto de Renda negativo».
>>>>>Governo transfere R$ 15 milhões aos estados e municípios na segunda parcela do socorro – July 13, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Legado da pandemia: milhões de brasileiros passam a ter acesso a bancos – July 12, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Nascidos em março, que foram incluídos em lote extra do auxílio emergencial em maio, já podem sacar 1ª parcela – July 08, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Trabalhadores nascidos em setembro e outubro recebem hoje novas parcelas do auxílio emergencial em contas digitais – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>FGTS: Caixa deposita nesta segunda-feira R$ 1.045 para nascidos em fevereiro – July 06, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Trabalhadores nascidos em julho e agosto têm auxílio emergencial depositado nesta quinta-feira – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Caixa admite problemas no aplicativo Caixa Tem nesta quinta-feira – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Caixa recebe cerca de 200 mil novos cadastros nos últimos dois dias de inscrição para o auxílio emergencial – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>FGTS: Caixa deposita até R$ 1.045 para nascidos em fevereiro nesta segunda-feira – July 06, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Saque da 1º parcela do auxílio emergencial começa nesta quinta-feira para nascidos em abril – July 09, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>TCU identifica indícios de pagamento de auxílio emergencial indevido a mais de 230 mil empresários – July 07, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Caixa encerra depósitos de novas parcelas do auxílio emergencial, contemplando nascidos em novembro e dezembro – July 04, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Auxílio emergencial: 400 mil nascidos em maio incluídos em lote extra começam a sacar 1ª parcela do benefício – July 10, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>Legado da pandemia: com necessidade de pagar auxílio emergencial, governo se viu obrigado a identificar brasileiros ‘invisíveis’ – July 12, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>TCU aponta indícios de pagamento de auxílio emergencial indevido a mais de 230 mil empresários – July 07, 2020 (EntretenimientoBit)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 R 0 0 PERSON 24 R: 21, (tacit) ele/ela (referent: R): 1, mais R: 1, quase R: 1
2 governo 60 0 NONE 8 o governo: 3, O governo federal: 1, o governo federal: 1, O governo: 3
3 ministro 40 0 NONE 8 o ministro: 7, O ministro: 1
4 Paulo Guedes 0 0 PERSON 8 Paulo_Guedes (apposition: O ministro de a Economia): 1, Guedes: 6, Paulo_Guedes (apposition: o ministro de a Economia): 1
5 eu 75 10 NONE 6 (tacit) eu: 6
6 Jair Bolsonaro 70 0 PERSON 4 Bolsonaro: 2, o presidente Jair_Bolsonaro: 1, (tacit) ele/ela (referent: Bolsonaro): 1
7 ideia 70 0 NONE 4 a ideia: 4
8 municípios 0 0 NONE 4 municípios: 2, Os municípios: 2
9 Congresso 0 60 ORGANIZATION 3 o Congresso: 3
10 valor 225 0 NONE 3 O valor: 2, o valor previsto: 1