Por: SentiLecto

– Roberto Campos Neto alegou nesta terça-feira que o governo estuda medidas complementares de crédito para micro e grandes companhias, após ter arremessado um programa de financiamento na folha que admira as pequenas e médias. Roberto Campos Neto é o presidente do Banco Central.»A gente também está estudando o que fazer para cima, companhias maiores, e aí será uma análise mais setorial, e o objetivo não é falar sobre isso aqui, mas algumas medidas sairão», declarou ele, em coletiva no Palácio do Planalto. «E para baixo também, que é companhias que têm rendimento abaixo dos 360 mil até os trabalhadores informais, também estamos olhando isso», completou. Campos Neto evidenciou que o programa de financiamento à folha, que cadmiraránegócios com faturamento anual de 360 mil reais a 10 milhões de reais, começará a ser operacionalizado nesta semana. O empréstimo de dois meses para pagamento dos salários vai ser bancado por recursos do Tesouro, com 34 bilhões de reais, e dos bancos, com 6 bilhões de reais. Segundo o presidente do BC, a parte do Tesouro deverá ser transferida nesta terça-feira ao BNDES, que coordenará o repasse às instituições financeiras. Ele defendeu que o Brasil arremessou um pacote vultoso de medidas para lutar os conseqüência da disseminação do novo coronavírus e declarou que os recursos chegarão rápido a companhias e famílias na comparação com o que está ocorrendo no restante do mundo. Campos Neto também fez um pedido para que todos satisfaçam contratos em meio à crise, revidenciandoque qé, uando isso não acoocorrerecuperação econômica»muibastanteis lenta e dolorosa». «Sei que existe ansiedade bastante grande de todos para que recurso chegue rápido na ponta, mas se a gente comparar o Brasil com o resto do mundo, nós fomos rápidos, eficientes e grandes, gostaria de declarar que «, alegou ele. Segundo Campos Neto, o programa de pagamento feito nos Estados Unidos para enfrentamento dos efeitos do Covid-19 na economia tem um fase de análise de 30 dias. «Se o anunciou em 17-3, foi aprovado em 25/3, os primeiros pagamentos saem a partir de 15 de abril e 20% dos cheques, a partir de 4 de maio. Nós faremos um ‘delivery’ bem mais rápido do que isso», alegou. Em sua fala, Campos Neto também declarou que o BC vê a necessidade de «condições monetárias estimulativas, sempre de olho no canal de crédito».

— Uma semana depois, conseguimos editar a lei, está indo para assinatura do presidente hoje à noite. A medida provisória está indo para a assinatura dele e estamos fazendo o detalhamento — declarou Marcelo Guaranys responsável pelo comitê de crise da pasta. Marcelo Guaranys é o secretário-executivo do Ministério da Economia.O anúncio foi feito por técnicos da equipe econômica, durante pronunciamento no Palácio do Planalto. Se o oficializou agora , o programa havia sido anunciado na semana passada e.- O presidente Jair Bolsonaro vai assinar na noite desta sexta-feira a Medida Provisória sobre o financiamento à folha de pagamento das pequenas e médias ecompanhiascom recursos do Tesouro e dos bancos, aalegouo secretário-executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys. Em coletiva de jornalismo no Palácio do Planalto, membros da equipe econômica repetiram os detalhes do programa, que já havia sido anunciado na sexta-feira passada. Depois da MP, reunião do Conselho Monetário Nacional ainda vai regulamentar os detalhes operacionais da investida. Guaranys, adicionando que esse passo vai possibilitar implementação imediata pelos bancos no começo da próxima semana declarou: «Isso é questão de horas, podemos fazer reunião extraordinária no final de semana». «Companhia viva significa emprego vivo. Nossa lógica, em conjunto com proteção da saúde, é proteger empregos», alegou o secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco. O programa de 40 bilhões de reais vai financiar por dois meses a folha de pagamento das companhias com faturamento anual de 360 mil a 10 milhões de reais. O Tesouro vai entrar com 17 bilhões de reais por mês, e os bancos vão contribuir com 3 bilhões de reais. O BNDES vai ser culpado pela operacionalização. Na prática, isso significa que o governo vai ficar com 85% do risco de inadimplência e os bancos com os demais 15%. A taxa aos tomadores vai ser de 3,75% ao ano, com zero de spread, e a linha de financiamento vai contar com seis meses de escassez e 30 meses para o pagamento. Os recursos poderão ser usados exclusivamente para a folha de pagamento dos funcionários das companhias, com o dinheiro sendo canalizado por meio dos bancos diretamente para a conta dos empregados. A dívida, portanto, vai ficar com a companhia. Aquelas que aderirem à iniciativa fvão ficarimpedidas de demitir seus funcionários pelos 60 dias seguintes ao término do programa. – As instituições financeiras que participarem do novo programa de financiamento da folha de pagamento de pequenas e médias companhias a juros diminuídos poderão concluir o valor financiado por elas do recolhimento obrigatório sobre depósitos a prazo, informou o Banco Central. A norma consta da regulamentação da concessão de empréstimos do novo programa, que foi aprovada nesta segunda-feira pelo Conselho Monetário Nacional. Este era o último passo necessário para a implementação da iniciativa, criada em Medida Provisória editada na sexta-feira para auxiliar no enfrentamento ao efeito econômico do surto do Covid-19. Com o aval para diminuição dos obrigatórios, o BC dá um impulso extra para que as instituições financiem a folha de pagamento das companhias. Em nota, o Banco Central alegou que o volume a ser concluído do recolhimento pode chegar a 6 bilhões de reais, o que equivale a 5% da soma do obrigatório sobre recursos a prazo. O valor corresponde ao volume máximo que poderá ser aportado pelas instituições na iniciativa, denominada Programa Emergencial de Suporte a Empregos . Vai financiar-se o programa de 40 bilhões de reais ao todo o programa, de 40 bilhões de reais ao todo, com recursos de o Tesouro e de os bancos. Se tomou a resolução segundo a autarquia, de permitir o abatimento em o recolhimento de obrigatórios a atual conjuntura de aumentada procura por liquidez em o Sistema Financeiro Nacional considerando » «. Faz 2 meses, o BC já havia reduzido o obrigatório sobre depósitos a prazo de %31 para %25 e adaptado uma norma de pré-requisito de liquidez de as bancos, liberando 135 bilhões de reais para empréstimos, em fevereiro. Faz 1 mês, com o agravamento de os efeitos econômicos devido a o surto de o coronavírus, o BC anunciou nova diminuição em a alíquota de o obrigatório para %17, com liberação complementar de 68 bilhões de reais. Desde então, Roberto Campos Neto vinha pontuando em falas públicas que a autoridade monetária seguia estudando novas liberações de obrigatórios. Roberto Campos Neto é o presidente do BC. Voltado aos negócios com faturamento anual de 360 mil a 10 milhões de reais, o Pese financiará por dois meses a folha de pagamento das companhias, a uma taxa de 3,75% ao ano, equivalente ao platô atual da Selic. Os recursos poderão cobrir salários de valor equivalente a até dois salários mínimos. [nL1N2BK1FQ] As companhias vão ter escassez de seis meses para começar a pagar, e um prazo de 30 meses para quitar as parcelas.

Na sexta-feira 27 de março – O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, anunciou um programa de 40 bilhões de reais para financiamento subvencionado a folha de pagamento das companhias com recursos do Tesouro e dos bancos e declarou que o governo prepara medida para permitir que a autoridade monetária faça a compra direta de crédito, a exemplo do que feito por outros bancos centrais do mundo. Campos Neto sobre a compra direta de crédito, adicionando que a iniciativa demandava a aprovação de uma emenda constitucional alegou: «Hoje em dia BC brasileiro não tem essa habilidade, máximo que podia faz
er era injetar liquidez no sistema». O programa de financiamento de folhas de pagamento teria prazo de dois meses e seria voltado a pequenas e médias companhias, declarou Campos Neto. A taxa seria de 3,75% ao ano, com zero de spread, alegou. O programa seria financiado pelo Tesouro, que entraria com 17 bilhões de reais por mês, e pelos bancos, que contribuiriam com 3 bilhões de reais. O BNDES seria culpado pela operacionalização.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: United States, Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Governo estuda medidas complementares de crédito para micro e grandes companhias, declara Campos Neto
>>>>>Bolsonaro assina hoje MP para financiar R$ 40 bi em salários para pequenas e médias empresas – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Bolsonaro assinará nesta 6a-feira MP de financiamento à folha de pagamento, diz Economia – April 03, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Medidas para coronavírus de R$200 bi serão oficializadas até 5a-feira, diz Guedes – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Nova MP permite redução de até 70% nos salários e deve preservar 24,5 milhões de emprego – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Bancos poderão deduzir de compulsório recursos aportados em financiamento de folha de pagamento – April 06, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>BC veda aumento de dividendos e remuneração pelos bancos em meio à crise do coronavírus – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>BC decide proibir temporariamente aumento da remuneração de dirigentes de bancos – April 06, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>CMN adota novas medidas e autoriza BC a conceder empréstimos com garantia de carteiras de crédito – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>CMN autoriza BC a conceder empréstimos a instituições financeiras mediante emissão de LFG – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>BC veda distribuição de dividendos dos bancos e aumento de remuneração em meio à crise – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Roberto Campos 160 130 PERSON 12 Roberto_Campos_Neto (apposition: o presidente de o BC): 1, (tacit) ele/ela (referent: Campos_Neto): 2, Roberto_Campos_Neto: 1, (tacit) ele/ela (referent: Roberto_Campos_Neto): 1, Campos_Neto: 6, Roberto_Campos_Neto (apposition: O presidente de o Banco_Central): 1
2 eu 165 0 NONE 10 (tacit) eu: 10
3 bancos 200 0 NONE 9 bancos: 1, os bancos: 8
4 BC 80 60 ORGANIZATION 7 o BC: 4, (tacit) ele/ela (referent: o BC): 2, BC: 1
5 empresas 50 40 NONE 6 empresas maiores: 1, pequenas e médias empresas: 1, empresas: 3, grandes empresas: 1
6 programa 240 0 NONE 6 o novo programa: 1, O programa: 2, O programa de 40_bilhões de reais no_total: 1, O programa de 40_bilhões: 1, o programa: 1
7 nós 90 0 NONE 6 (tacit) nós: 4, Nós: 1, nós: 1
8 BNDES 50 0 ORGANIZATION 6 Ele (referent: o BNDES): 1, O BNDES: 2, o BNDES: 2, (tacit) ele/ela (referent: o BNDES): 1
9 recursos 220 0 NONE 5 recursos: 2, os recursos: 1, Os recursos: 2
10 instituições 0 0 NONE 5 as instituições: 2, as instituições financeiras: 1, As instituições financeiras: 2