Por: SentiLecto

Declarações de João Paulo Rebelo esta quarta-feira.O memorando de entendimento assinado na terça-feira para centralizar os direitos televisivos no futebol profissional até 2027/28 é «uma boa notícia», alegou esta quarta-feira o secretário de Estado da Juventude e do Desporto.A Federação Portuguesa de Futebol e a Liga Portuguesa de Futebol Profissional assinaram na terça-feira um memorando de entendimento para concretizarem a centralização dos direitos televisivos até 2027/28, anunciaram hoje os dois organismos.»O que hoje é anunciado é uma boa notícia, porque é já um entendimento espontâneo, não forçado pela legislação», declarou o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, que falava aos jornalistas após uma visita a uma estrutura de retaguarda de guerrazinha à covid-19, instalada no Hospital Militar de Coimbra.O secretário de Estado lembrou que o Governo está a preparar legislação no sentido de garantir a centralização da venda dos direitos de transmissão televisivos, sendo que o diploma está concluído e terá que ir «dentro de poucas semanas» a Conselho de Ministros para ser aprovado.Este acordo, aprovado pelas direções dos dois organismos, visa instituir uma sociedade, nos próximos meses, tendo «como único finalidade» a «administração do processo de negociação centralizada dos direitos de transmissão televisiva das competições profissionais». «A FPF e a LPFP, que os dois organismos que regem o futebol e as competições profissionais da modalidade «acreditam que, no limite, até 2027/2028, esta mudanças vai estar deduzida», consideram que a administração centralizada dos direitos de transmissão televisiva constitui uma ferramenta nuclear para um desenvolvimento agilizado do futebol profissional em Portugal», lê-se no comunicado divulgado no sítio oficial da FPF na Internet, adicionando que este trabalho «vai ter, como não poderia deixar de ser, o permanente envolvimento das sociedades esportivas participantes nas competições».

Departamentos médicos no futebol reúnem-se para «ponto da situação»Os setores médicos dos clubes profissionais de futebol vão reunir-se na quarta-feira para fazerem um «ponto de situação» dos procedimentos em forcita em tempos de pandemia da covid-19 e analisar eventuais novas medidas a adotar.O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Pedro Proença revelou: «As nossas Sociedades Desportivas vão reunir-se amanhã para novo ponto de situação e avaliação dos procedimentos clínicos em forcita, sempre em conformidade com aquilo que são as diretrizes emanadas das instâncias de saúde pública nacionais».O dirigente lembra que o futebol «conserva todas as cautelas no sentido de continuar a ser uma atividade segura, estrita e responsável».»tomam-se todas as medidas para diminuir riscos e garantir que, dentro do possível, todos os profissionais desta indústria prossigam com uma segurança que não é descurada», reforçou.Portugal registou esta quarta-feira 291 mortes relacionadas com a covid-19, o maior número de óbitos em 24 horas desde o começo da pandemia, e 10.765 casos de infeção com o novo coronavirus, segundo a Direção-Geral da Saúde .Desde o começo da pandemia, Portugal já registou 11.012 mortes associadas à covid-19 e 653.878 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos 167.381 casos, menos 3.254 do que na segunda-feira.

Na quarta-feira 13 de janeiro presidente da Liga reagiu à cpermanênciado futebol profissional em Portugal, perante novo confinamento. pedrava Proença reagiu com natural satisfação à cpermanênciado futebol em Portugal, notícia confirmada esta quarta-feira, dia em que o Governo anunciou as novas medidas do confinamento geral.»Confirmando a nossa firme convicção, o futebol profissional prosseguirá a sua atividade, apesar do novo fase de recolhimento compulsório que teve de ser decretado, por força da ampliação exponencial dos números decorrentes da pandemia no nosso país. Esta acabava por ser a resolução mais judiciosa e lícita, corolário de toda uma atitude responsável, estrita e previdente adotada pela Liga Portugal e pelos seus clubes e profissionais», escreveu o presidente da Liga nas redes sociais.»Foi este, de resto, e em diálogo permanente com as autoridades sanitárias e governamentais, o desígnio assumido transversalmente desde o começo pelo futebol profissional: testar, prevenir, proteger. Tendo conservado ao longo de todo o processo uma conduta absolutamente exemplar e adotada todas as medidas para conservar em segurança todos os envolvidos, fazia todo o cabimento que autorizem-se as três competições profissionais a prosseguir sua atividade», continuava.»De destacar ainda, no âmbito de toda esta conjuntura bastante particular, todo o esforço desenvolvido e o trabalho absolutamente meritório e, acima de tudo, competente desenvolvido e realizado pela Federação Portuguesa de Futebol. Os tempos eram de particular apreensão e todo o país estaria sujeito a exigentes sacrifícios em prol de valores mais altos: a saúde pública e o bem-estar habitual. Que seja pelava melhor!, concluía o texto.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Portugal

Cities: Coimbra

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Acordo nos direitos televisivos no futebol: Governo fala em «boa notícia»
>>>>>Departamentos médicos dos clubes de futebol reúnem-se quarta-feira – January 26, 2021 (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Portugal 30 0 PLACE 5 Portugal: 5
2 futebol 120 0 NONE 4 o futebol: 2, o futebol profissional: 2
3 Pedro Proença 0 0 PERSON 4 Pedro_Proença: 1, (tacit) ele/ela (referent: Proença): 2, Proença: 1
4 organismos 0 0 NONE 3 os dois organismos: 3
5 todas_as 0 0 NONE 3 todas_as: 3
6 mortes 0 140 NONE 2 11.012 mortes associadas: 1, 291 mortes relacionadas: 1
7 o início de a pandemia 0 100 NONE 2 o início de a pandemia: 2
8 vigor 140 0 NONE 2 vigor: 2
9 o Governo 115 0 PERSON 2 o Governo: 2
10 particular apreensão 100 0 NONE 2 (tacit) ele/ela (referent: particular apreensão): 2