Por: SentiLecto

Daniel Ramos deseja aproveitar jogo com o Braga para mostrar que o Santa Clara está vivo.Daniel Ramos declarou este sábado que a equipa deseja aproveitar o encontro diante do Sporting de Braga para provar que está viva e voltar nos triunfos na I Liga. Daniel Ramos é o treinador do Santa Clara.Independentemente do oponente, nós desejamo é que, neste momento, a equipa aproveite o mais rápido possível as chances que tem, que são os jogos, para mostrar presença e declarar que estamos vivos, que estamos bem e que desejamo fazer o nosso campeonato», disse em conferência de jornalismo.O treinador falava este sábado no estádio de São Miguel, em Ponta Delgada, na véspera de receção ao Braga, a contar para a sétima jornada da I Liga.Em seis jogos no campeonato, a equipa açoriana adicionou um triunfo, um empate e quatro derrotas.»Escaparam-nos alguns pontos, o que nos traz algum sabor amargo na tabela classificativa, na posição da tabela. Temos de depressa subir na tabela, porque é esse o nosso desejo. E isso passa por conseguir triunfos», alegou.Daniel Ramos declarou que, devido aos últimos resultados, a equipa perdeu «um bocadinho de confiança» e reconheceu que existem aspetos a melhorar no jogo dos açorianos.»Ninguém se pode cortar no processo defensivo. [Temos de] começar a defender bem e a defender bem a partir da frente. Depois, com bola, onde temos também de melhorar, não nos podemos esconder novamente», indicou.Sobre o próximo encontro, o treinador declarou calcular um jogo «bastante interessante», entre «duas equipas que gostam de jogar».»Nós precisamos efetivamente de retornar àosvtriunfose esta é a próxima ochance É assim que estamos a pensar no jogo de amanhã [domingo] e sabemos da valia bragançana, da característica do seu plantel, da sua equipa técnica e da grandeza do clube», adicionou.Ramos considerou ainda o Braga uma equipa «bastante objetiva» e «determinada».»O Braga é uma boa equipa que vai tentar dominar certamente [o jogo]. É uma equipa que gosta de ter posse de bola, que tem circulação, tem largura, tem muito ataque à profundidade e tem uma verticalidade no jogo também alta», rdestacouBraga, quinto classificado, com 11 pontos, e Santa Clara, com quatro, defrontam-se a partir das 18h00 de domingo, no Estádio São Miguel, em Ponta Delgada, num jogo que será arbitrado por Fábio Veríssimo, da associação de Leiria.

O Santa Clara recebe o FC Porto na próxima jornadaRio Ave e Santa Clara empataram 2-2, no primeiro jogo do grupo D da Taça da Liga. A equipa insular, da I Liga, esteve por duas vezes em benefício, com tentos de Luiz Phellype, de grande penalidade , e Jean Patric .Mas, por duas vezes o Rio Ave, do segundo escalão, salvou a igualdade, por Aziz e Zé Manuel , tendo o guarda-reds Léo Vieira segurado empate, aos 72, a defender uma grande penalidade assinalada por Lincoln.Com este resultado, num jogo em que o Santa Clara atuou desde os 67 minutos em inferioridade numérica, devido à expulsão de Rafael Ramos, os dois conjuntos ficam em igualdade, com um ponto, num grupo do qual ainda faz parte o FC Porto, que folgou.Jogo no Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde.Rio Ave – Santa Clara, 2-2.Aa pausa: 1-2.Marcadores:0-1, Luiz Phellype, 15 minutos .1-1, Aziz, 17.1-2, Jean Patric, 34.2-2, Zé Manuel, 59.Rio Ave: Léo Vieira, Sylla , Ângelo Menezes, Hugo Gomes, Pedro Amaral, Vítor Gomes, Guga, Fábio Ronaldo , Ukra , Aziz e Zé Manuel .Treinador: Luís Freire.Santa Clara: Ricardo Fernandes, Rafael Ramos, João Afonso, Tassano, Mansour, Júlio Romão , Morita, Ricardinho , Jean Patric , Rui Costa e Luiz Phellype ..Treinador: Daniel Ramos.Juiz: Fábio Melo .Ação disciplinar: Cartão amarelo para Aziz , Rafael Ramos , Hugo Gomes , Bouldini e Nené . Cartão vermelho por acumulação para Rafael Ramos .Assistência: Cerca de 1.000 espectadores.Treinador do Barcelona, em reação ao empate com o Cádiz, num jogo relativo à La Liga, não fez qualquer reparo à equipa culé, enalteceu a sua atitude e produção ofensiva, admitiu a oenervosismoo grupo, lamentou várias ausências e como que relativizou a instabilidade vivida no comando técnico.Empate: «Não é preciso olhar sempre para o resultado. Penso que é preciso analisar o que a equipa fez, a atitude e a persistência, e não me posso queixar de nada neste jogo. Estou infeliz porque tivemos quatro ou cinco chances bastante claras e não pontuámos. Gostaria de realçar a atitude até ao último segundo. Quando estávamos com um a menos, a equipa mostrou muita atitude para vencer, mesmo. Combatemo para obter um bom resultado, mas perdemos alguma criatividade na frente. Estamos sob pressão como equipa e isto é às vezes difícil de lidar».Realismo: «Já disse várias vezes que é preciso tentar sempre ganhar cada jogo. É preciso tentar sempre ganhar títulos, mas é preciso ser realista. É preciso olhar para o plantel que temos, os jogadores que nos faltam. Também declarou que se tivermos todos os jogadores disponíveis, auxiliaria, mas faltaram hoje sete jogadores que poderiam ser titulares desta equipa».Expulsão do banco: «Não foi por tensão, foi por declarar ao quarto Juiz do jogo que havia uma segunda bola em campo e que o Juiz devia parar o jogo, todos viram, exceto o Juiz. Fui expulso por nada, neste país é-se expulso por nada. Perguntei ao Juiz com toda a normalidade.»Futuro no clube: «A única coisa que devo fazer é continuar a trabalhar com a equipa, o sentimento que tenho com a equipa é bastante bom. Fico com a atitude dos jogadores e não com a minha situação pessoal. Se ganho, continuo, se perco há que encontrar outro treinador. Isso é para vocês [jornalistas].»O treinador falou em conferência de jornalismo de antevisão da partida com o FamalicãoO treinador do Tondela, Pako Ayestarán, declarou esta sexta-feira que responsabilidade é o vocábulo de ordem no jogo de receção ao Famalicão, a contar para a sétima jornada da I Liga.O Tondela é «uma equipa consciente da responsabilidade que tem», alegou o técnico Pako Ayestarán em conferência de jornalismo de antevisão à receção ao Famalicão, sábado, pelas 20h30, no Estádio João Cardoso.»Não temos desculpas, somos o que somos e a partir daí devemo trabalhar. Penso que temos característica suficiente para ganhar os jogos e jogadores de diferentes qualidades, em diferentes posições, com as condições para sair de uma situação difícil», defendeu.O técnico de Espanha reconheceu a «situação difícil» que o Tondela vive, em que os únicos três pontos conquistados foram na primeira jornada, em casa, frente ao Santa Clara, mas também reconheceu que o Famalicão, que ainda não venceu neste campeonato, «tem a mesma responsabilidade».»É um Famalicão com a mesma responsabilidade com que nós estamos. É uma equipa com muita característica individual, que nos porá as coisas bastante difíceis. Agride com muito critério e com muitos homens e vai-nos dificultar bastante as coisas», considerou.Pako Ayestarán assumiu também que o Tondela tem de se «livrar de qualquer espécie de pressão» e insistiu que o que é preciso ter é «responsabilidade» e «ir para jogo a pensar o menos possível».Neste sentido, defendeu que tem de, «exclusivamente, atuar, porque bloqueia, quando se pensa o jogo» e o que o Tondela precisa é que «o jogo tenha intensidade e tenha ritmo e que, tanto a nível defensivo como ofensivo haja muito equilíbrio» na equipa que comanda.»Trato sempre de declarar aos jogadores que devemo focar a nossa atenção nas coisas que devemo controlar. Não podemos controlar o resultado de amanhã [sábado], podemos controlar o que fazemos no dia a dia para estar preparados e ter um bom rendimento [sábado] e, dependendo do rendimento, temos um resultado ou outro», adicionou.Sobre a semana de treinos, após a derrota em casa do Sporting de Braga, por 3-1, o técnico declarou acreditar que «a equipa está a dar mostras de estar bastante responsabilizada e a trabalhar com muita intensidade».»Está a vir em cada dia com muita vontade de superar as dificuldades e a trabalhar como equipa, que é a fórmula de obter resultados e de sair de situações difíceis como as que temos», contou.O Tondela, que está na 18.ª e última posição da tabela classificativa, com três pontos, recebe no Estádio João Cardoso também com três pontos e na 16. O Estádio João Cardoso é o Famalicão.ª posição, num jogo com arbitragem de João Gonçalves, da associação do Porto.

Na quarta-feira 15 de setembro Daniel Ramos declarava que derrota com o Benfica não terá consequências no Santa Clara.Daniel Ramos declarou que a derrota diante do Benfica na última jornada da I Liga não terá consequências no rendimento da equipa frente ao Portimonense. Daniel Ramos é o treinador do Santa Clara.Em conferência de jornalismo, Daniel Ramos declarou «não acreditar» que o resultado do jogo de sábado, nos Açores, tenha consequência na prestação da equipa, que jogava na em Portimão.»Na análise do jogo há que discernir o resultado da exposição. E há que discernir aquilo que nós fizemos e as condutas que nós tivemos. Percebemos que a efetividade fez a diferença», alegou, falando no estádio de São Miguel, em Ponta Delgada, se nós olharmos com frieza e com olhos de ver para o jogo passado.O treinador destacou que a equipa «agora já só pensava» no jogo frente ao Portimonense.»A partir de segunda-feira já não existiu mais assunto Benfica. Nem podia entrar. O que existia era Portimonense. era com foco no jogo do Portimonense que estávamo a trabalhar. tinha que ser assim. Não podia ser de outra maneira», assinalou.E adicionou: «[com o Benfica] foi uma equipa que percebeu que tinha o jogo perdido, mas se a derrotou não em as condutas. era isso que eu desejava no Santa Clara. Uma equipa que trabalhe até ao final na luta pelo resultado e era isso que procuraremos fazer no jogo frente ao Portimonense».Daniel Ramos declarou estar a «faltar» ao Santa Clara «ser mais hábil no processo defensivo».Após a saída esta época do defesa Fábio Cardoso para o FC Porto, Daniel Ramos reconheceu estarem a faltar «mais treinadores dentro do campo».Assinalou: «Não tendo essa voz tão visível como tínhamos o ano passado do Fábio, temos soluções dentro do campo que se podiam tornar bastante boas e que podiam auxiliar neste período, mesmo durante campeonato completo, a que a equipa tenha mais confiança».O treinador considerou o Portimonense uma «boa equipa», que era «forte nas bolas paradas» e nas «transições rápidas».» era uma equipa que tem característica, sabia ter bola e sabia o que fazer com a bola. Uma equipa que defensivamente também nestes jogos tem vindo a provar alguma intermitência defensiva pela maneira como defendia», alegou.O Portimonense, nono classificado com sete pontos, recebia o Santa Clara, 14.º com quatro, na sexta-feira, às 20h15, em jogo da sexta jornada da I Liga.

Daniel António Lopes Ramos é um ex-futebolista e treinador de futebol português.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: Portugal, Cuba

Cities: Santa Clara, Ponta Delgada, Leiria, Braga

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>»Desejamo é que a equipa aproveite os jogos para declarar que estamos vivos»
>>>>>Rio Ave e Santa Clara protagonizam empate eletrizante na Taça da Liga – September 22, 2021 (ojogo-pt)
>>>>>Koeman: «Estamos sob pressão como equipa e isto é, por vezes, difícil de lidar» – September 23, 2021 (ojogo-pt)
>>>>>Pako Ayestarán: «Não temos desculpas, somos o que somos e a partir daí temos de trabalhar» – September 24, 2021 (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 nós 310 90 NONE 44 Nós: 1, nos: 6, (tacit) nós: 32, nós: 5
2 equipa 780 0 NONE 29 a equipa: 10, Uma equipa: 4, uma equipa: 8, equipa: 1, a equipa açoriana: 1, A equipa: 1, uma boa equipa: 3, sua equipa técnica: 1
3 eu 264 150 NONE 27 (tacit) eu: 25, me: 1, eu: 1
4 Daniel Ramos 40 0 PERSON 17 (tacit) ele/ela (referent: Daniel_Ramos): 7, Daniel_Ramos: 6, Ramos: 1, Treinador Daniel_Ramos: 1, Daniel_Ramos (apposition: O treinador de o Santa_Clara): 2
5 jogo 0 60 NONE 14 um jogo relativo: 1, o jogo perdido: 1, um jogo: 3, o jogo frente: 1, o jogo: 6, jogo: 1, este jogo: 1
6 Clara 40 0 PERSON 8 Santa_Clara: 1, o Santa_Clara: 6, O Santa_Clara: 1
7 Tondela 120 0 ORGANIZATION 7 (tacit) ele/ela (referent: O Tondela em a 18): 1, O Tondela: 1, O Tondela em a 18: 2, o Tondela: 3
8 Portimonense 0 0 ORGANIZATION 7 (tacit) ele/ela (referent: o Portimonense): 4, o Portimonense: 3
9 treinador 150 0 NONE 6 outro treinador: 1, O treinador: 4, o treinador: 1
10 Benfica 0 0 ORGANIZATION 6 mais tema Benfica: 1, (tacit) ele/ela (referent: mais tema Benfica): 1, (tacit) ele/ela (referent: o Benfica): 1, o Benfica: 2, Benfica: 1