Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Arco Triunfal da Rua Augusta, Plaza del Comercio, Lisboa, Portugal, 2012-05-12, DD 02

Vertente conseguiu a melhor performance de sempre em globais, com cinco medalhas conquistadas em Copenhaga, o nono melhor registo do medalheiroO Vítor Félix considerou este domingo que esta modalidade tinha que ser «mais apoiada» pelo governo, sendo até uma «aposta estratégica» do país em termos do «êxito esportivo». Vítor Félix é presidente da Federação Portuguesa de Canoagem .O dirigente, à Lusa.V declarou: «Tem que haver um agradecimento por parte da gestão pública esportiva no que diz respeito ao financiamento no alto rendimento, porque estamos aqui com nove desportistas mais dois [da paracanoagem] num campeonato do Mundo e era desejável que estivessem muitos mais».ítor Félix, que falava após a canoagem lusa ter conseguido o melhor performance de sempre em Mundiais, com cinco medalhas – uma de ouro, em distância olímpica, três de prata e uma de bronze -, defendeu que o reforço da aposta na «efetividade comprovada do trabalho da FPC» redundaria em melhores resultados internacionais.»Estamos bastante preocupados com a renovação dos grandes valores da canoagem de Portugal e isso só se faz com mais financiamento, para trazermos jovens canoístas a estas competições para ganharem ritmo competitivo. Infelizmente, nem sempre o financiamento é o suficiente para trazermos mais desportistas», lamentouFernando Pimenta, João Ribeiro, Emanuel Silva e Teresa Portela são desportistas da melhor geração da canoagem de Lusaka, todos eles já em a casa de os 30 anos de idadesO nono o facto em o medalheiro de o Mundial realçou lugar de Portugal de ter sido conseguido por «cerca de um terço» dos canoístas que outras nações, com performance semelhante, trouxeram a Copenhaga.»A canoagem tinha que ser uma aposta estratégica do desenvolvimento esportivo do país. Tinha que haver um maior entrosamento entre o alto rendimento do IPDJ [Instituto Português do Desporto e da Juventude] e do COP [Comité Olímpico de Portugal] para podermos trazer mais desportistas e assim podermos ir fazendo a renovação da canoagem de maneira mais tranquila», completou.

Teresa Portela, de 33 anos, tinha sido sétima nos Jogos Olímpicos em K1 500 metros e 10.ª em K1 200.Enquanto Kevin Santos concluiu o K1 200 metros em nono no lago nos arredores da capital de Dinamarca, a canoísta Teresa Portela foi este domingo sexta classificada na final do K1 500 metros dos Mundiais de Copenhaga.Depois da quinta posição em K1 200, a sua melhor de sempre em Mundiais, Teresa Portela arriscou na parte inicial do desafio dos 500 metros, que concluiria em 1.51,97 segundos, a 3,89 segundos da neozelandesa Aimee Fisher, que bateu a húngara Tâmara Csipes por 91 centésimos e a dinamarquesa Emma Jorgensen por 1,76 segundos.Teresa Portela, de 33 anos, tinha sido sétima nos Jogos Olímpicos em K1 500 metros e 10.ª em K1 200.Kevin Santos não iniciou bem e já foi tarde para recuperar, acabando o K1 200 metros em nono, em 36,44 segundos, a 1,65 segundos do ouro do italiano Andrea di Liberto, que foi somente dois centésimos mais rápido do que o sueco Petter Menning e 16 do que o letão Roberts Akmens.O canoísta de Lusaka tinha integrado igualmente o K4 500 metros, com João Ribeiro, Messias Baptista e Ruben Boas, que deduziu o sua performance na Dinamarca na 11.ª posição.Enquanto Francisca Laia e Messias Baptista têm, ainda esta manhã, o vice-campeão da Europa João Ribeiro disputa a final de K1 500 metros a regata das medalhas no K2 200 misto.À tarde, Fernando Pimenta, novo campeão do Mundo de K1 1.000 metros, vai tentar novo pódio em K1 5.000 metros.Além da medalha de Pimenta, Portugal tem o bronze de Norberto Mourão em canoagem ajustada, em VL2.Kevin Santos foi terceiro em K1 200 metros e progrediu para as semifinaisAs quatro tripulações de Portugal que esta sexta-feira se estrearam nos mundiais de canoagem de Copenhaga apuraram-se para as semifinais, unindo-se a outras três que a seleção já tinha garantido na quinta-feira para esta tarde.Numa série que contava com a dinamarquesa Emma Jorgensen, medalha de bronze em Tóquio’2020, embora nos 200 metros, e uma só vaga disponível para a regata das medalhas, Teresa Portela foi terceira pelo que às 15h25 vdisputaráas meias, após competir em igual fperíodopara o K1 200, às 13h00.O canoísta Hélder Silva precisava classificar-se até terceiro, contudo o desportista que foi olímpico no Rio’2016 foi sétimo e no sábado às 13h00 tdeverá agarrarum dos três lugares ainda disponíveis.As outras duas tripulações não tinham qualquer alternativa para a final, por haver mais países inscritos nas provas, caso do vice-campeão da Europa em K1 500, João Ribeiro, que passou em segundo e às 13h18 de sábado tvai tentaro acesso à final.O olímpico português une-se esta sexta-feira às 14h09 a Messias Baptista, Kevin Santos e Ruben Boas no K4 500 que pvai procurar igualmente, ser bem-sucedido.Kevin Santos foi terceiro em K1 200 metros e progrediu para as semifinais, que disputa às 15h05.Às 13h50, Francisca Laia e Maria Rei vão tentar o acesso à regata decisiva do K2 500, depois de já o terem conseguido sexta-feira em K2 200, tal como Fernando Pimenta em K1 1.000 metros.Na paracanoagem, o campeão da Europa de VL2 Norberto Mourão tem a final às 14:35, na qual defende a prata da última edição, em 2019.Alex Santos, quinto em Tóquio’2020, estreia-se em finais globais no sábado em KL1.O português de 40 anos, que em Tóquio’2020 foi medalha de bronze nos Jogos Paralímpicos, debateu a liderança até aos 150 metros, contudo cedeu na parte final e deduziu em terceiro.O desportista de canoagem ajustada Norberto Mourão conquistou esta sexta-feira a medalha de bronze na prova de VL2 200 metros do campeonato do Mundo da modalidade em Copenhaga, a primeira de Portugal no acontecimento.O português de 40 anos, que em Tóquio’2020 foi medalha de bronze nos Jogos Paralímpicos, debateu a liderança até aos 150 metros, contudo cedeu na parte final e deduziu em terceiro.Sob chuva ininterrupta, Mourão fez a prova em 56,54 segundos, a 2,60 segundos do brasileiro Fernando Paulo, que bateu o espanhol Higinio Rivero por 2,28.Faz 3 meses, Norberto Mourão, que detinha o título de vice-campeão de o Mundo, de 2019, já que em 2020 a pandemia de covid-19 não permitiu provas de canoagem, foi campeão de a Europa em junho em a Polónia.

Na sexta-feira 03 de setembro Competição decorria em Montemor-o-Velho até segunda-feira.A seleção portuguesa de canoagem estreou-se nos Mundiais júnior e sub-23 com a conquista de nove presenças para as finais em Montemor-o-Velho, Coimbra, onde a competição decorre até segunda-feira.Em sub-23, foram bem sucedidos Maria Rei em K1 1.000 metros, Tiago Henriques e Bruno Brasileiro em K2 1.000, Marco Apura em C1 1.000, Beatriz Penetra em C1 500 e Beatriz Lamas e Márcia Faria em C2 500.Em juniores, destaque para as performances da K1 1.000 metros de João Duarte, do K2 1.000 metros de Vítor Pinto e Adolfo Ferreira, bem como as canoas de Beatriz Fernandes em C1 500, Gabriela Resende e Ana Pereira em C2 500.A Federação Portuguesa de Canoagem tinha fixado como objetivo para esta prova a obtenção de oito finais e uma medalha.Além das nove finais, os portugueses garantiram mais três finais B, com classificações entre os 10.º e 18.º, e ainda participavam em mais quatro semi-finais, com chance de garantir lugar na regata das medalhas.O olímpico Messias Baptista, finalista em Tóquio2020 em K4 500, com Emanuel Silva, João Ribeiro e David Varela, ainda não entrou em competição, sendo candidato aos primeiros lugares em K1 200 e K1 500.No Centro de Alto Rendimento de Montemor-o-Velho, Portugal estava encarnado por 45 canoístas, sendo 26 masculinos e 19 femininos.A competição reunia cerca de 850 canoístas oriundos de 55 países, num dos maiores desafios logísticos do desporto nacional em tempos de pandemia da covid-19.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Portugal

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Federação de canoagem quer ser «mais apoiada» e uma «aposta estratégica» de Portugal
>>>>>Mundiais de canoagem: Teresa Portela sexta no K1 500, Kevin Santos nono em K1 200 – September 19, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Teresa Portela na final de K1 200 dos Mundiais de Copenhaga – September 17, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Norberto Mourão não embandeira em arco: «Medalha nos mundiais? Uma coisa de cada vez» – (ojogo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Fernando Pimenta apura-se diretamente para a final dos mundiais em K1 1.000 – (ojogo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Portugal acede a quatro finais na estreia nos mundiais de canoagem – (ojogo-pt)
>>>>>Quatro tripulações portuguesas nas semifinais dos Mundiais de canoagem – (ojogo-pt)
>>>>>Medalha de bronze para Norberto Mourão nos Mundiais de canoagem adaptada – September 17, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Paracanoagem portuguesa é «potência internacional» e deve captar mais atletas – (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 metros 0 0 NONE 12 os 200 metros: 1, K1 1.000 metros: 1, K1 500 metros: 2, K1 200 metros: 2, os 500 metros: 1, metros: 3, os 150 metros: 2
2 nós 515 205 NONE 7 (tacit) nós: 7
3 Teresa Portela 100 30 PERSON 7 (tacit) ele/ela (referent: Teresa_Portela): 2, A canoísta Teresa_Portela: 1, Teresa_Portela de 33 anos: 2, Teresa_Portela: 2
4 eu 60 0 NONE 6 (tacit) eu: 6
5 o português de 40 anos que em tóquio 50 0 NONE 6 (tacit) ele/ela (referent: O português de 40 anos que em Tóquio): 6
6 Kevin Santos 25 0 PERSON 6 (tacit) ele/ela (referent: Kevin_Santos): 2, Kevin_Santos: 4
7 Norberto Mourão 200 50 PERSON 4 (tacit) ele/ela (referent: Norberto_Mourão de 2019): 1, Norberto_Mourão de 2019: 2, Norberto_Mourão: 1
8 final 0 0 NONE 4 a final de o K1 500: 1, a final: 3
9 segundos 0 0 NONE 4 56,54 segundos: 1, 1.51,97 segundos: 1, 1,76 segundos: 1, 36,44 segundos: 1
10 atletas 240 0 NONE 3 nove atletas: 1, mais atletas: 2