Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Arco Triunfal da Rua Augusta, Plaza del Comercio, Lisboa, Portugal, 2012-05-12, DD 02

Presidente da Liga de Clubes declara que equipas B são «um filão pouco menos que inesgotável»Pedro Proença, presidente da Liga de Clubes, considera que as equipas B são «um filão pouco menos que inesgotável» no futebol de Portugalde Portugal, que se traduz em «vantagens desportivas e económicas», de acordo com o estudo divulgado esta quinta-feira.o culpado máximo , denominado de Plano B que abrange as últimas oito temporadas de o segundo escalão , , enalteceu este documento de o organismo , através da sua página em a rede social Facebook.»Não é por acaso, que nas últimas oito épocas, cerca de metade dos 500 jogadores chamados a encarnar Portugal – sub-19, sub-21 e Seleção A, passaram pelas equipas B», realçou.Foi na época 2012-13 que a II Liga registou um alargamento para um modelo de 24 equipas, passando a incluir as formações B de FC Porto, Benfica, Sporting, Marítimo, Braga e Vitória de Guimarães, sendo que, atualmente, somente resistem dragões e encarnados, rostito «à competitividade desta competição».Uma vez que equipas B como o Belenenses SAD, Marítimo, Rio Ave, Braga, Sporting e Vitória de Guimarães combatem pela subida à II liga profissional.O, a aposta nas equipas B, permitiu, de acordo com o estudo divulgado no sítio oficial da entidade na Internet, «ampliar o panorama do futebol português», sustentado na competitividade que existe no Campeonato de Portugal Plano B modificou-se num «verdadeiro êxito», por ter contribuído para a «afirmação de novos talentos no principal escalão e, consequentemente, para algumas das maiores transferências do futebol mundial», aumentando ainda a «visibilidade da prova».Além do êxito esportivo, Pedro Proença deu conta, com base no site especializado Transfermarkt.pt, que os jovens jogadores também são «responsáveis por mais de mil milhões de euros no encaixe financeiro» para os clubes, «benefícios demais evidentes para serem desprezados».Um total de 853 desportistas foram usados nas equipas secundárias, desde 2012/13, tendo contribuído de maneira fundamental para «alimentar» a I Liga, com 489 jogadores , a darem o salto para o maior palco português.Também a seleção nacional portuguesa beneficiou com este Lado B, recebendo 25 jogadores que por lá passaram, sendo que, dos 33 atletas convocados pelo selecionador Fernando Santos, em 2020, «61% apareceram na ribalta» via B.O estudo revela o ingresso de 84 futebolistas, formados nas equipas secundárias, nas ligas Big 5 europeias – Alemanha, Espanha, França, Inglaterra e Itália -, que participaram em pelo menos um jogo. Nas competições europeias, foram 136 aqueles que atuaram.Sendo Portugal um país reconhecido por formar jovens habilidades e, posteriormente, «exportar uma grande quantidade de ativos», verifica-se que «a receita proveniente da venda direta de jogadores das B é bastante elevada, ascendendo a praticamente 1,115 milhões de euros «.A quinta maior transferência a nível global, designadamente do avançado de Portugal João Félix, que se mudou do Benfica para o Atlético de Madrid, em 2019/20, a troca de 126 ME, é fruto da formação e da passagem pelo conjunto secundário.Por fim , indica fim , graças em a visibilidade de estas equipas.Se em 2012/13 foram transmitidos 24% dos encontros, na presente época registou-se um recorde fixado em 75%.

Relatório elaborado pela Liga mostra a influência das equipas B na criação e lançamento de craques no futebol de Portugal. Efeito financeiro também em evidência.Um relatório elaborado pela Liga centrado numa observação sobre a protagonismo da introdução de equipas B no futebol profissional português – desde 2012/13, com FC Porto, Benfica, Sporting, Braga, V. Guimarães e Marítimo – deu a conhecer diversos dados a ter em conta no plano esportivo e na vertente financeira.A destacar há, desde logo, uma orçamento descomunal: os jogadores que passaram por equipas B em Portugal perfazem um soma de mais de mil milhões de euros em transferências , com destaque para as vendas de Rúben Dias , Fábio Silva e Trincão .Em 8 anos, desde 2012-13, 24 por cento de os jogadores usados em a Liga NOS passaram por as equipas B : 853 futebolistas 84 já jogaram num dos cinco principais campeonatos da Europa .O efeito nas seleções nacionais também é evidente, nomeadamente na principal: dos 33 jogadores convidados por Fernando Santos em 2020, vinte passaram por equipas B em Portugal. Em termos internacionais, 45 seleções de todas as confederações já contaram ou contam com o contributo de jogadores saídos dos «bês» lusos.A nível de jogos realizados, Otávio é o jogador com passagem por uma equipa B com mais jogos disputados, posteriormente, na I Liga: foram mais de 140.Dados que são enaltecidos por Pedro Proença, presidente da Liga, através de uma publicação no Facebook. «As equipas B têm, ao longo dos anos, sido um platô intermédio entre a formação e a afirmação nos semeeis principais onde as maiores habilidades têm acumulado experiência para brilhar nos maiores palcos. Não é por acaso, que nas últimas oito épocas, cerca de metade dos 500 jogadores chamados a representar Portugal – nos sub-19, sub-21 e Seleção A – passaram pelas equipas B, que são ainda responsáveis por mais de mil milhões de euros no encaixe financeiro para as sociedades desportivas portuguesas», assinala Proença, que se refere às equipas B como um «filão»:»Os benefícios desportivos e económicos são por demais evidentes para serem desprezados. As equipas B são um filão pouco menos que inesgotável, a habilidade que o futebol de Portugal tem para oferecer», remata o líder do organismo que tutela o futebol profissional.

Na segunda-feira 01 de fevereiro Dois avançados deveriam ser emprestados a símbolos do principal escalão do futebol de Portugal.O Sporting chegou a acordo com o Almería para o término do empréstimo de Pedro Mendes.Determinados a dar mais minutos ao avançado, que adicionou somente 235′ na sua aventura em Espanha, os leões procuraram colocar o jogador num clube da I Liga onde tenha francas suposições de jogar, tendo chegado a acordo com o Nacional para o empréstimo.Já Pedro Marques, que levava nove golos em 11 jogos disputados pela equipa B, estava em vias de ser cedido ao Gil Vicente até final da temporada. A confirmar-se o negócio seria a primeira experiência do dianteiro, de 22 anos, na elite do futebol de Portugal.

Portugal, oficialmente República Portuguesa, é um país soberano unitário localizado no sudoeste da Europa, cujo território se situa na zona ocidental da Península Ibérica e em arquipélagos no Atlântico Norte.

No alfabeto cirílico, essa letra equivale ao fonema v latino.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Portugal

Cities: Braga

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Pedro Proença realça: «Metade dos chamados a encarnar Portugal passaram pelas equipas B»
>>>>>Liga associa equipas B a mais de mil milhões de euros em transferências – (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 equipas 60 0 NONE 11 as equipas secundárias: 1, equipas: 4, As equipas: 2, as equipas: 4
2 B 0 0 PERSON 11 B: 11
3 futebol 60 0 NONE 5 o futebol profissional: 1, o futebol português: 4
4 Portugal 0 0 PLACE 5 (tacit) ele/ela (referent: Portugal): 1, Portugal: 4
5 eu 167 0 NONE 4 (tacit) eu: 4
6 jogadores 0 0 NONE 4 os jogadores: 2, os 500 jogadores chamados: 1, os 33 jogadores convocados: 1
7 Pedro Proença 40 0 PERSON 3 Pedro_Proença: 2, Proença: 1
8 Pedro Marques 0 0 PERSON 3 Pedro_Marques: 2, (tacit) ele/ela (referent: Pedro_Marques): 1
9 filão 0 0 NONE 3 um filão: 3
10 talento 180 0 NONE 2 o talento: 2