Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Brazilian Supreme Federal Tribunal

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro estão compartilhando nas redes sociais informações falsas sobre tentativas de fraude no primeiro turno das votações municipais. O movimento iniciou após a divulgação do Tribunal Superior Eleitoral de que houve uma tentativa de ataque hacker no sistema do órgão, sem Sucesso.

– As votações municipais marcadas para o próximo domingo fizeram com que voltasse a aumentar em alta velocidade nas redes sociais postagem com informações falsas e que põe em dúvida o sistema eleitoral brasileiro, que concluem por receber mais atenção do que informações verdadeiras, mostrou um estudo do Laboratório de Democracia Digital da Fundação Getúlio Vargas . O levantamento, divulgado nesta quinta-feira, acompanha posts publicados no Facebook e no YouTube nos últimos sete anos e mostra que houve uma ampliação exponencial de postagens com notícias falsas em 2018, enquanto 2020, com a proximidade das votações municipais, já é o segundo com maior conteúdo publicado. Somente em nove meses de 2020, chegou a 17.958 o número de links no Facebook para conteúdos falsos tratando do processo eleitoral –a maioria erguendo dúvidas sobre fraudes ou confiabilidade das urnas eletrônicas–, com cerca de 1,5 milhão de engajamentos, como curtidas, observações e compartilhamentos. No YouTube foram 387 vídeos com cerca de 1,8 milhões de visualizações. O estudo evidencia que 2018 foi o ano em que as postagens e as interações com as fake news atingiu seu auge no país, chegando a 32 mil posts no Facebook e 534 no YouTube, em ambos os casos com os milhões de interações, e que boa parte dessas postagens voltou a circular agora. O link mais compartilhado em 2018 também é o campeão agora 2020: uma postagem em um site já investigado por notícias falsas alegava que o Tribunal Superior Eleitoral teria entregue a uma companhia de Venezuela os códigos das urnas eletrônicas brasileiras. Em seguida vem material do mesmo site que trata da acusação de fraude feita pelo próprio presidente Jair Bolsonaro –que em março deste ano, durante visita a Miami, declarou ter provas de que teria vencido a votação de 2018 no primeiro turno, mas até hoje se negou a exibi o material– associada a um suposto incêndio misterioso que teria queimado urnas eletrônicas na Venezuela. O terceiro mais compartilhado também trata das supostas provas do presidente. O estudo declara: «Observa-se que os três links mais compartilhados são, na verdade, publicações antigas, com forte presença nas redes ao menos desde 2018». «Os links antigos, no entanto, também foram acompanhados por seis matérias que tiveram a primeira publicação em 2020. O número de links inéditos, adicionado aa ampliação geral de compartilhamentos sobre o tema, propõe uma qualidade de campanha intencional no agendamento desse assunto.» Dos 15 links sobre o processo eleitoral mais compartilhados dos últimos sete anos, seis –inclusive as duas primeiras– tem informações falsas ou extremamente deformadas, cinco relatam ações tomadas por pessoas ou grupos que erguem desconfiança sobre as urnas eletrônicas ou o processo eleitoral, e o restante trata de informações verdadeiras, publicadas por veículos regulares, mas também sobre problemas relacionados às urnas ou às elvotaçõesO estudo deduz: «Os dados analisados validam a afirmação de que as narrativas de desconfiança no sistema eleitoral, nesse fase, estão associadas a um maior engajamento e recorrência em ambientes digitais». «Dessa forma, foi possível observar uma extensa circulação de conteúdos arriscados, hiperpartidarizados e fake news no corpus examinado, que propõem normas de polarização, intolerância e desinformação na história recente do país.»

Entre as informações incorretas que estão circulando, está a de que dados de eleitores que justificaram a ausência no pleito poderiam se modificar em votos válidos para candidatos de esquerda. O blogueiro ergueu a tese bolsonarista Oswaldo Eustáquio que já foi preso por a Polícia Federal em a investigação que apura , as execução de manifestações antidemocráticas em o Brasil.

‘URGENTE: A invasão hacker do TSE revela a fraude nas urnas com a chancela da justiça eleitoral. A @crisbrasilreal descobriu que os votos válidos e os de quem justifica estão em banco de dados diferentes. Eles podem descarregar os votos de quem justificará na esquerda. ASCOM OE’, escreveu em seu Twitter. O blogueiro Bernardo Pires Kuster, também pelo Twitter, alegou que os hackers expuseram o ‘banco de dados’ do TSE, que acaba de ser hackeado, sem exibi nenhuma prova, descredibilizando a segurança das urnas eletrônicas. O Tribunal negou o ataque e aí os hackers expuseram o banco de dados em dia da votação. Pode confiar nas urnas eletrônicas, viu amiguinho. Voto impresso já!’, postou.

— Houve uma notícia de que teria havido vazamento dos dados dos servidores. Dos funcionários. Houve notícia que teria havido vazamento de dados dos funcionários do TSE. Isso não é produto de um ataque atual, é um ataque antigo, que ainda não fomos capazes de precisar. Não sabemos se antigo há dez dias ou cinco anos.— A justificação pelo e-Título não teve nenhuma relação direta com o ataque, mas indireta — alegou Barroso, explicando que o fato de o sistema operar com somente um servidor acabou gerando sobrecarga.

Um tribunal é um órgão de soberania cuja propósito é exercer a jurisdição, ou seja, resolver litígios eficazmente de coisa julgada.

Apoiadores de Bolsonaro também estão aproveitando a tentativa de ataque para defender a implantação do sistema de voto impresso nas votações. A sugestão foi umas das principais bandeiras de campanha de Bolsonaro nas votações presidenciais.

Beatriz Kicis Torrents de Sordi, mais conhecida como Bia Kicis é uma advogada ativista, youtuber e política de Brasil. Uma advogada é procuradora do Distrito Federal aposentada.

A deputada federal Bia Kicis também ironizou em sua conta a segurança das, utilizando a tentativa de ataque ao TSE.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Bolsonaristas disseminam onda de desinformação sobre fraude nas votações após tentativa de ataque hacker ao TSE
>>>>>Eleições municipais fazem crescer circulação de informações falsas em redes sociais, diz FGV – November 12, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Cantora e compositora Mo Bentley cresce nas redes – (Extraoglobo-pt)
>>>>>TSE foi alvo de ataque hacker, mas sem sucesso, diz Barroso – November 15, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Forças federais vão garantir a segurança das eleições em 11 estados – November 11, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Como justificar o voto nas eleições 2020 por celular: saiba o que fazer em caso de ausência no dia da votação – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Às vésperas das eleições, site do TSE sofre instabilidades – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>TSE suspende eleição municipal em Macapá em meio a apagão – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Medida de proteção do TSE para evitar ataque hacker sobrecarregou sistema e afetou e-Título – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 informações 160 240 NONE 6 informações verdadeiras publicadas: 1, informações verdadeiras: 1, informações falsas: 3, as informações incorretas: 1
2 urnas 0 0 NONE 5 as urnas eletrônicas: 2, as urnas: 2, urnas eletrônicas: 1
3 ataque 0 110 NONE 4 o ataque: 2, um ataque antigo: 2
4 Tribunal 80 0 ORGANIZATION 4 O Tribunal: 1, (tacit) ele/ela (referent: O Tribunal): 3
5 notícia 0 0 NONE 4 uma notícia: 2, notícia: 2
6 Bia Kicis 0 50 PERSON 3 Bia_Kicis: 2, (tacit) ele/ela (referent: Bia_Kicis): 1
7 votos 50 0 NONE 3 os votos: 2, os votos válidos: 1
8 TSE 0 0 ORGANIZATION 3 o TSE: 3
9 a justificativa 0 0 NONE 3 (tacit) ele/ela (referent: A justificativa): 3
10 eleições 0 0 NONE 3 as eleições presidenciais: 1, As eleições municipais marcadas: 1, as eleições: 1