Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Jair e Michelle Bolsonaro com a filha Laura em 7 de setembro de 2019

— O presidente Jair Bolsonaro, que advertiu que vai considerar essa espécie de medida «fora das quatro linhas» da Constituição, alegou nesta segunda-feira que não irá admitir ser banido das redes sociais durante a campanha eleitoral do ano que vem. Inda que durante seu governo não adotou nenhuma medida para utilizar seu poder para conseguir uma reeleição, em entrevista à «Jovem Pan», Bolsonaro ddeclaroua.— Me banir das redes sociais é jogar fora das quatro linhas. O jogo tem que ser realizado dentro das quatro linhas. Eu só posso declarar isso. A gente não pode admitir um jogo baixo dessa natureza. Aí não é uma disputa eleitoral dentro do critério democrático, é uma imposição. A gente não pode admitir isso daí. O bom senso se vai fazer presente — declarou Bolsonaro. O presidente voltou a criticar a resolução do Tribunal Superior Eleitoral que, no ano passado, cassou o mandato do deputado estadual Felipe Francischini, no Paraná. Cassou-se Francischini porque divulgou informações falsas sobre as urnas eletrônicas antes de as votações de 2018. Desde o começo do mandato, Bolsonaro utiliza a expressão «fora das quatro linhas da Constituição» para fazer referência a medidas autoritárias ou de exceção. Segundo o presidente, apesar de ter sido criticado durante a campanha, ele não teria feito nada nesse sentido no seu governo. — O que é natural é o chefe de executivo tomar medidas restritivas para ele continuar no poder. E ocorre o oposto aqui no Brasil. Me acusavam que eu seria um ditador, perseguiria negros, gays, mulheres e viram que o oposto ocorreu. Desejava que ao longo de três anos alguém assinalasse uma ação antidemocrática da minha parte, uma só tentativa de desejar burlar, utilizar do poder que a gente tem para conseguir uma reeleição — alegou Bolsonaro. Durante o se acusaram seu mandato o presidente Jair Bolsonaro e alguns de seus aliados seu mandato, o presidente Jair Bolsonaro e alguns de seus aliados já de realizarem atos antidemocráticos. Faz 4 meses, o presidente fez dois discursos, um em Brasília e outro em São Paulo em que declarou que não obedeceria mais em as resoluções de o ministro Alexandre de Moraes,, de o Supremo Tribunal Federal, em o úiltimo dia 7 de setembro.A reação às declarações foi negativa em diversos setores da sociedade e Bolsonaro spadeceupressão para recuar, o que aocorreudias depois. Na ocasião, o presidente publicou uma «carta à Nação», em que ddeclarouque as afirmações foram feitas no calor do momento.

A perda do posto pode custar caro aos deputados governistas neste ano. Podem passar pela delegação bandeiras ideológicas da bancada conservadora que estão em tramitação na Câmara. Saiba, em reportagem exclusiva para assinantes, que propostas são essas, quais foram os principais triunfos do governo no colegiado e quem é o deputado que aliados de Bolsonaro trabalham para emplacar na presidência da CCJ.Deputado Luciano Bivar espera que o Tribunal Superior Eleitoral dê a chancela na união até fevereiro, quando as atividades parlamentares serão recomeçadas. Deputado Luciano Bivar é o presidente da nova legenda.O processo está sob a relatoria do ministro Edson Fachin e já conta com parecer favorável do Ministério Público.— O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal , prorrogou nesta sexta-feira a investigação que apura as supostas interferências do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal. Se prorrogou a apuração sobre interferência em a PF por a quinta vez e foi aberta após acusação de o ex-ministro de a Justiça e Segurança Pública Sergio Moro. » Considerando a necessidade de prosseguimento dos inquéritos e a existência de diligências em andamento, nos termos calculados no art. 10 do Código de Processo Penal, prorrogo por mais 90 dias, a partir do fechamento do prazo final anterior declara o despacho de Moraes publicado nesta sexta. Fechamento do prazo final anterior é a presente investigação». Faz 2 anos, a investigação estava, aguardando uma definição de o Supremo sobre o formato de o testemunho de Bolsonaro em a PF, se pessoalmente ou por escrito.Em outubro, quando a questão começou a ser julgada, o presidente mudou de idiea e encaminhou uma manifestação declarando que iria depor pessoalmente. Faz 2 meses, em o testemunho Bolsonaro admitiu que pediu a Moro para trocar diretor de a corporação, Maurício Valeixo o então diretor da corporação, Maurício Valeixo, e dois superintendentes do órgão, mas negou que os pedidos configurem interferência politica. Segundo o presidente, o pedido foi feito por «falta de interlocução» do comando da PF com ele. Bolsonaro também alegou que Moro dirigia o ministério sem «alinhamento» com as demais pastas ou sua salinha presidencial. Faz 2 anos, o ministro Celso de Mello de a investigação autorizou a abertura. O juiz compreendeu que os crimes supostamente praticados por Bolsonaro, conforme contado por Moro, podem ser conexos ao exercício do mandato presidencial. O então relator também compreendeu que o testemunho de Bolsonaro deveria ser realizado presencialmente. A investigação sobre as denúncias de Moro, ex-ministro do governo e ex-juiz da Operação Lava Jato, já colheu uma série de testemunhos. Ao final das apurações, vai caber ao procurador-geral decidir se vai delatar Bolsonaro, arquivar os inquéritos ou pedir novas diligências.O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta quinta-feira a autorização de vacinas contra a Covid-19 para crianças entre 5 e 11 anos, questionando «qual o interesse das pessoas taradas por vacina». Bolsonaro declarou que os pais de crianças não devem se deixar levar «propaganda» e alegou desconhecer casos de óbitos provocados pela enfermidade nessa faixa etária — apesar de dados do próprio governo mostrarem 301 mortes.

Na sexta-feira 31 de dezembro Na última quarta-feira , Ivete Sangalo incentivou o público de um show em Natal, no Rio Grande do Norte, a berrar injúrias contra o presidente Jair Bolsonaro . Um registro da ocasião viralizou nas redes sociais . No registro, a plateia gritava: «Ei, Bolsonaro, tomará no c*». Ao que Ivete declarava: «Não escutávei, estava baixinho».

Jair Messias Bolsonaro Gomm é um capitão reformado, político e atual presidente brasileiro, filiado ao Partido Liberal .

Luis Felipe Bonatto Francischini é um advogado e político brasileiro, atualmente deputado federal do estado do Paraná.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: Brazil, Argentina

Cities: Sao Paulo, Parana, Brasilia

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Bolsonaro declara que não admitirá ser banido de redes sociais durante a campanha: ‘Jogo baixo’
>>>>>Governo deve perder presidência da CCJ da Câmara, posto crucial para a agenda de Bolsonaro – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Moraes prorroga pela quinta vez inquérito que investiga interferência de Bolsonaro na PF – January 07, 2022 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Delegado que investigou facção criminosa de SP assume apuração da facada contra Bolsonaro – January 05, 2022 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Moro inicia ‘tour’ pelo Nordeste ciceroneado por ex-coordenador de campanha de Bolsonaro – January 06, 2022 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Usuários vão ao Twitter acusar plataforma de ‘apoiar fake news’; entenda os motivos da mobilização – January 05, 2022 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Bolsonaro critica liberação de vacinas para crianças: ‘qual o interesse das pessoas taradas por vacina?’ – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Jair Bolsonaro 70 111 PERSON 19 Bolsonaro: 11, O presidente Jair_Bolsonaro: 3, ele (referent: Bolsonaro): 1, (tacit) ele/ela (referent: Bolsonaro): 4
2 eu 80 53 NONE 8 Me: 2, Eu: 1, eu: 1, (tacit) eu: 4
3 presidente 0 0 NONE 6 O presidente: 1, o presidente: 5
4 inquérito 0 0 NONE 4 O inquérito: 1, o inquérito: 3
5 Felipe Francischini 0 108 PERSON 3 Felipe_Francischini: 1, Francischini: 1, (tacit) ele/ela (referent: Francischini): 1
6 gente 39 0 NONE 3 A gente: 2, a gente: 1
7 PF 0 0 ORGANIZATION 3 a PF: 3
8 interferência 0 70 NONE 2 interferência: 2
9 Luciano Bivar 80 0 PERSON 2 (tacit) ele/ela (referent: deputado Luciano_Bivar): 1, deputado Luciano_Bivar (apposition: O presidente de a nova legenda): 1
10 conseguir uma reeleição 60 0 NONE 2 conseguir uma reeleição: 2