Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Jair Bolsonaro

— Março do ano que vem é a data-limite do presidente Jair Bolsonaro para conseguir viabilizar o Aliança pelo Brasil. Arremessado em novembro do ano passado, quando ele se desfiliou do PSL, Bolsonaro declarou nesta segunda-feira que «terá uma nova alternativa», caso não consiga formar o partido. Mais de um ano depois, a legenda não conseguiu reunir nem 10% das 492 mil assinaturas necessárias para o registro da legenda junto ao Tribunal Superior Eleitoral . O presidente revelou o prazo em conversa com uma apoiadora em a chegada a o Palácio da Alvorada , em o fim de a tarde. A mulher declarou integrar o Aliança pelo Brasil de União da Vitória, no Paraná, ao que Bolsonaro comentou: — Não é fácil formar um partido hoje em dia. A gente está tentando, mas terá uma nova alternativa, tá ok, que — disse,, se não conseguir a gente em março ? Passada a ressaca pós-eleições municipais, interlocutores do presidente deram começo a estratégia para reorganizar uma estrutura partidária que sedie o chefe do Executivo rumo à disputa a uma reeleição em 2022. Auxiliares avaliam que a maior lição do pleito municipal foi perceber quão desorganizados estão conservadores e ideológicos e que, sem uma nova estrutura, Bolsonaro pode patinar na corrida à sucessão presidencial daqui a dois anos. Defensores da formação do Aliança seguem sem esperança de que o presidente vá se mobilizar para progredir na criação da legenda. A tendência, declaram, caso oposto deverá fazer uma campanha à reeleição novamente sem qualquer dinheiro público, é o presidente voltar a fazer rodada de negociações com os partidos que já têm recursos em caixa.Na conversa com apoiadores nesta segunda, a militantes pediu que o presidente mandasse um abraço para os integrantes do Aliança e ele atendeu: — Coalizão de todo o Brasil, aquele abraço e obrigado pelo suporte. Legendas que integram o Centrão e que estão alinhadas ao governo, como PP, PR e Republicanos, estão entre as alternativas para abrigar Bolsonaro. Na Câmara dos Deputados, esses partidos têm dado sustentação à base aliada do governo e aajudadona aprovação de tassuntosimportantes para a área econômica. Faz 5 meses, apesar das antigas críticas de o presidente e de seus apoiadores a os partidos de o Centrão, o governo Bolsonaro se aproximou de esse grupo em meados de este ano. Se filiou Bolsonaro a o PP, presidido por o senador Ciro Nogueira, por nove anos. Este ano, Bolsonaro estreitou ainda os laços com as legendas do Centrão participando de reuniões com dirigentes partidários como Valdemar da Costa Neto, do PL, e também com Gilberto Kassab, do PSD. O presidente também tem bom diálogo com Marcos Pereira partido selecionado pelo filho 01, senador Flávio Bolsonaro , para se filiar após deixar o PSL no ano passado. Marcos Pereira é presidente do Republicanos. Bolsonaro e Flávio deixaram o PSL, do deputado federal Luciano Bivar , depois de consecutivas brigas pelo comando dos diretórios estaduais, que recebem parte dos recursos milionários partidários que a legenda passou a ter direito após as votações presidenciais de 2018. Nem mesmo o regresso de Bolsonaro ao PSL está descartado. O presidente já admitiu que poderia voltar a conversar com Bivar sobre uma reaproximação com a legenda. Neste momento, porém, Bivar evita comentar essa possiblidade porque está em campanha para se tornar um nome viável à sucessão de Rodrigo Maia na presidência da Câmara. Aliados de Bivar avaliam que o candidato de Rodrigo Maia não pode estar atrelado ao governo, já que Bolsonaro tem defendido suporte a Arthur Lira , que disputa em outra frente.

– O presidente Jair Bolsonaro alegou nesta segunda-feira que, se o partido Aliança pelo Brasil não sair, em março buscará uma nova alternativa. «Não é fácil formar um partido hoje em dia. A gente está tentando e, em março teremos uma nova alternativa, se a gente não conseguir», declarou ele a um apoiador no Palácio da Alvorada. Eleito presidente pelo PSL, Bolsonaro desfiliou-se do partido por divergências com a direção da sigla e iniciou um trabalho para auxiliar na criação da sua própria legenda, o Aliança. Contudo, a efetivação do partido não deslanchou até agora — apoiadores tentaram criá-lo para asvotaçõess municipais. O presidente já admitiu publicamente conversas com ao menos três partidos para ele se filiar –essa é uma condição imposta pela legislação eleitoral, caso ele deseje disputar a reeleição em 2022.

Na quinta-feira 29 de outubro – Em uma longa conversa com apoiadores, de quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro justificou a proximidade com o centrão e alegou que esta é «a norma do jogo» em Brasília. «Alguns criticavam que estava me aproximando de determinados partidos. Deputados eram 513. Para aprovar uma emenda constitucional precisava de 308 votos. Me assinale os 308 que eu tinha que conversar com eles», declarou o presidente. «Não me criticava ‘ah, se aproximou de tal pessoa que não prestava’. Eu preciso desse voto para aprovar as coisas que interessavam para a gente. Como era que vou escapar dele?» «Essa era a norma do jogo», completou o presidente aos seus apoiadores. Depois de instituir uma relação de confronto direto com o Congresso pelava maior parte de seus quase dois anos de governo , aliados persuadiram Bolsonaro a diminuir o tom e se aproximar das siglas do chamado centrão para conservar seu mandato e facilitar a aprovação de medidas sugeridas no Congresso. Nos últimos meses, o presidente trocou o líder do governo na Câmara, tirando Vitor Hugo , com que tinha muito proximidade mas que tinha obstáculos de relacionamento na Câmara, pelo deputado veterano Ricardo Barros , ofereceu posições de segundo e terceiro escalão no governo para os partidos do centrão e passou a ter entre seus principais conselheiros o senador Ciro Nogueira e o deputado Arthur Lira , ambos investigados pela operação Lava Jato.

Flávio Nantes Bolsonaro GOMN • Gorb é um empresário, advogado e político brasileiro, atualmente filiado ao Republicanos.

Luciano Caldas Bivar é um político e empresário brasileiro, atualmente deputado federal por Pernambuco.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: Brazil, Argentina

Cities: Parana, Alvorada

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Bolsonaro declara que vai ter ‘nova alternativa’ se não formar Aliança pelo Brasil até março
>>>>>Bolsonaro diz que, se Aliança não sair, em março vai ter ‘nova opção’ – November 23, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Jair Bolsonaro 0 0 PERSON 13 senador Flávio_Bolsonaro: 1, O presidente Jair_Bolsonaro: 1, Flávio_Nantes_Bolsonaro_GOMN: 1, ele (referent: o presidente Jair_Bolsonaro): 1, o governo Bolsonaro: 1, Bolsonaro: 7, o presidente Jair_Bolsonaro: 1
2 presidente 80 72 NONE 12 o presidente: 8, O presidente: 3, presidente: 1
3 eu 42 0 NONE 10 (tacit) eu: 6, me: 2, eu: 1, Me: 1
4 apoiadores 0 0 NONE 5 seus apoiadores: 2, apoiadores: 3
5 gente 0 0 NONE 5 A gente: 2, a gente: 3
6 legenda 60 0 NONE 4 a legenda: 3, sua própria legenda: 1
7 partidos 60 0 NONE 4 três partidos: 1, esses partidos: 1, determinados partidos: 1, os partidos: 1
8 Luciano Bivar 30 0 PERSON 4 (tacit) ele/ela (referent: Bivar): 1, Luciano_Bivar: 1, Bivar: 2
9 PSL 0 0 ORGANIZATION 4 o PSL: 4
10 governo 0 0 NONE 4 o governo: 3, governo: 1