Por: SentiLecto

O isolamento social nos Estados Unidos trouxe um novo problema para o país, que lidera o quadro de mortos e contagiados pelo coronavírus no mundo. A medida que o estressa amplia durante a quaretena, os estadunidense passaram a consumir mais álcool e drogas, segundo uma pesquisa nacional. De acordo com os estudos da «The Recovery Village», uma rede de instalações de tratamento de dependência da Flórida, hoube uma ampliação «esperada» na utilização de substâncias durante a pandemia, sendo que 55% dos entrevistados passaram a consumir mais bebidas álcoolicas no último mês. 36% dos estadunidense relataram ampliação da utilização de maconha e opióides prescritos, entre outros, quando se tratava de drogas ilícitas.

Conservar-se abaixo do platô de 1 é a condição que a Alemanha adotou, por exemplo, para flexibilizar as medidas de distanciamento social. caso alguma região volte a ter esse índice acima de 1, se vai adotar a quarentena , novamente.

Na quinta-feira 07 de maio alvo de críticas de membros dos governos brasileiro e dos Estados Unidos durante a pandemia de covid-19, a China tem tentado responder com um reforço na imagem internacional de credibilidade.

«Os experts já começaram a dizer preocupações sobre os conseqüência secundários que os EUA ainda não viram no Covid-19. Houve a ampliação das taxas de dependência depois do estresse do isolamento, do tédio, da redução do acesso a recursos de recuperação e com o desemprego», relatam os pequisadores.

Se os entrevistou cerca de 1000 estadunidense, com 18 anos ou mais, em o país sobre a utilização de drogas e álcool em o último mês, segundo o The Recovery Village. O objetivo era auxiliar os experts em saúde comportamental e vício a compreender melhor como a crise do coronavírus está afetando a utilização de substâncias. O estudo descobriu que o álcool era a substância preferida entre os entrevistados, com 88% relatando beber no mês passado. A maconha foi a segunda mais habitual e mencionada por 37% das pessoas, seguido pelos opióides prescritos, com 15%.

Outros remédios usados pelo público incluem benzodiazepínicos, como o remédio antiansiedade Xanax; Adderall e estimulantes similares da prescrição; e cocaína, de acordo com a pesquisa.

NY e New Jersey lideram pesquisa

Ainda conforme o relato, o crescimento no consumo de álcool foi de 67% nos estados mais atingidos pelo coronavírus, incluindo Nova York e Nova Jersey. Os resultados da pesquisa mostram que quase 30% dos entrevistados dessas áreas afetadas declararam que o consumo de álcool ampliou «significativamente» no mês passado.

Desde o começo da pandemia, também houve uma ampliação nas vendas e entregas de álcool, com 42% dos estadunidense bebendo no trabalho enquanto trabalham em casa, informou a «McClatchy News», mencionando um relatório da Fishbowl. Com a ampliação do consumo de álcool, também ampliou o número de chamadas para centros de tratamento de dependência, informou o jornal «USA Today» no começo deste mês.

A Johns Hopkins também analisa a chamada taxa de mortalidade, razão entre número de mortes por total de contagiados. Segundo a universidade de America, essa comparação internacional enfrenta diversas distorções. Essa taxa tende a ser menor em países que fazem mais testes na população e tende a ser maior quando há sobrecarga do sistema de saúde.

Em meio à pandemia, a pesquisa também constatou que muitos entrevistados uutilizavamdrogas ou álcool «por motivos recreativos, para tratar a dor ou porque fazia parte de sua rotina diária, como tomar uma bebida no jantar». A margem de erro do relatório foi de 3%, declarou The Recovery Village à «McClatchy News».

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

Countries: United States

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Coronavírus: Consumo de álcool nos EUA sobe 55%, e o de drogas para 33% durante a pandemia
>>>>>Coronavírus: 10 gráficos para entender a situação atual do Brasil na pandemia – (BBCBrasil-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 entrevistados 0 0 NONE 4 muitos entrevistados: 1, os entrevistados: 3
2 pandemia 0 150 NONE 3 a pandemia: 2, a pandemia de covid-19: 1
3 americanos 0 0 NONE 3 os americanos: 3
4 país 0 0 NONE 3 o país: 3
5 álcool 0 0 NONE 3 álcool: 2, o álcool era: 1
6 isolamento 0 100 NONE 2 O isolamento social: 1, o isolamento: 1
7 eu 0 50 NONE 2 (tacit) eu: 2
8 vocês 0 20 NONE 2 (tacit) vocês: 2
9 Nova_York e Nova_Jersey 0 0 PERSON 2 (tacit) eles/elas (referent: Nova_York e Nova_Jersey): 1, Nova_York e Nova_Jersey: 1
10 a McClatchy_News 0 0 OTHER 2 a McClatchy_News: 2