Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Jean Castex prades

Milhares de pessoas se reuniram em toda a França neste domingo para apoiar professores e defender a liberdade de expressão após o homicídio de Samuel Paty, um professor de história decapitado por um suspeito muçulmano na sexta-feira.

De Paris a Lyon, Marselha e Lille, grandes multidões se reuniram em silêncio, parando regularmente para aplaudir, fazer minutos de silêncio ou cantar o hino nacional.

Jean Castex participou do encontro na Place de la République, em Paris, com o ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer Jean Castex é o primeiro-ministro., e políticos de todo o espectro, mostrando solidariedade após um homicídio que chocou o país.

Jean Castex é um político francês, atualmente servindo como primeiro-ministro francês desde 3 de julho de 2020.

«Você não nos assusta. Nós não temos medo. Você não vai nos dividir. Nós somos a França!», declarou mais tarde Castex no Twitter.

Na sua vez , o Twitter que informou ter interrompido a conta por violar a política de a companhia removeu depressa a postagem ,.Uma foto do corpo do professor, acompanhada de uma mensagem na qual assumia a responsabilidade postada no Twitter, foi descobrimento no telefone do assaltante, encontrado próximo ao corpo. Ricard declarou que a conta do Twitter pertencia ao assaltante.

Um assaltante de 18 anos , de 47 anos , matou em frente em a escola de um subúrbio de Paris Paty.No começo deste mês, o professor mostrou a seus estudantes ilustrações estimulados do profeta Maomé em uma aula sobre liberdade de expressão, aborrecendo vários pais muçulmanos. Os islâmicos acreditam que qualquer representação do Profeta é uma blasfêmia.

O assaltante , e é de origem chechena , matou a tiros o assaltante e que nasceu em a Rússia logo após o ataque. A polícia deteve 11 pessoas em conexão com o homicídio.

As pessoas nos acontecimentos deste domingo utilizavam máscaras contra a Covid-19 e carregavam cartazes como «Ensinar, sim; sangrar, não» ou «Eu sou Charlie» –em uma referência à revista satírica Charlie Hebdo, cujos escritórios foram aagredidosem um ahomicídioem massa há cinco anos .

«Estamos aqui para defender a República, os valores da República: liberdade, igualdade, fraternidade e secularismo. Podemos sentir que a nação está ameaçada», declarou Pierre Fourniou, 83, em Paris.

Paty foi alvo de uma campanha furiosa nas redes sociais antes de ser morto. Castex declarou em uma entrevista ao jornal Journal du Dimanche que o governo está trabalhando em uma estratégia para proteger melhor os professores de ameaças.

Coordenará-se uma homenagem nacional para quarta-feira.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

Countries: France, Russian Federation, Brazil

Cities: Paris, Lille, Franca

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>’Ensinar, sim; sangrar, não’: França presta tributo a professor decapitado
>>>>>Adolescente pediu aos alunos que identificassem professor antes de decapitá-lo na França – October 17, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Jean Castex 25 0 PERSON 5 Castex: 2, Jean_Castex (apposition: O primeiro-ministro): 1, Jean_Castex: 1, (tacit) ele/ela (referent: Jean_Castex): 1
2 nós 95 0 NONE 4 (tacit) nós: 1, Nós: 2, nos: 1
3 Twitter 0 0 ORGANIZATION 4 o Twitter: 4
4 assassinato 0 210 NONE 3 um assassinato: 2, o assassinato: 1
5 eu 0 50 NONE 3 (tacit) eu: 2, Eu: 1
6 agressor 0 45 NONE 3 o agressor: 1, O agressor e: 2
7 polícia 0 120 NONE 2 A polícia: 1, a polícia: 1
8 professor 60 80 NONE 2 o professor: 2
9 Samuel Paty 0 60 PERSON 2 Paty: 2
10 pessoas 0 25 NONE 2 11 pessoas: 1, As pessoas: 1