Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Astrahassleentrance

O CEO do Instituto Serum da Índia, Adar Poonawalla, negou, nesta terça-feira, que haja limitações do governo de India à exportação de vacinas contra a Covid-19 produzidas pelo laboratório, como a fórmula desenvolvida pela farmacêutica britânica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford . No domingo, horas após o Brasil anunciar um acordo com a instituição para a compra de 2 milhões de doses prontas do imunizante, Poonawalla declarou à Associated Press que a exportação seria vetada até que toda a população indiana vulnerável ao coronavírus fosse vacinada.

AstraZeneca Plc é um conglomerado farmacêutico anglo-sueco instituído em 6 de abril de 1999 pela fusão da empresa de Suecia Astra AB e da britânica Zeneca Group.

O recuo aconteceu em mensagem divulgada no Twitter pelo CEO, que também incluiu um comunicado conjunto entre o Serum e a Bharat Biotech, farmacêutica indiana responsável pelo desenvolvimento a vacina candidata Covaxin. Sem indicar as afirmações categóricas feitas à AP e à Reuters no domingo, Poonawalla dideclarouue, para contornar «faequívocose comunicação», ensublinhaue a exportação está liberada «para todos os países».

Ela em entrevista à Reuters ia videoconferência. declarou: «Para não haver atraso, nós decidimos com base na autorização no Reino Unido entrar também com esse pedido de utilização emergencial da vacina».Na terça-feira 22 de dezembro a Fiocruz entregaria 1 milhão de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca nde 8 a 12 de fevereiro. A Nísia Trindade Lima deu a informação em audiência online de a Comissão Externa de Enfrentamento em a Covid-19 , em a Câmara dos Deputados , em esta terça-feira. Nísia Trindade Lima é presidente da instituição.No comunicado conjunto entre o Instituto Serum e a Bharat Biotech, assinado também pelo presidente da segunda companhia, Krishna Ella, os dois laboratórios enfatizam que «a principal tarefa diante deles é salvar vidas e os meios de subsistência de populações na Índia e em todo o mundo». A nota enfatiza, ainda, que vacinas são «um bem de saúde pública mundial e têm o poder de resgatar vidas e agilizar o regresso à normalidade econômica o mais rápido possível».

«Estou otimista com a chance de, no máximo, no final de Janeiro ou começo de fevereiro, começar essa vacinação”, declarou a presidente da Fundação Oswaldo Cruz.

No último domingo, Poonawalla alegou que o governo indiano teria vetado a exportação de doses. À Reuters, o executivo disse que o envio de vacinas prontas para o exterior só seria permitido após o fornecimento de 100 milhões de doses às autoridades indianas, a US$ 2,70 cada.

A medida poderia prejudicar não somente o acordo firmado com o Brasil, cuja importação a Anvisa de as 2 milhões de doses aprovou ela em o dia 31 de dezembro, mas também o envio de imunizantes para a Covax Facility, iniciativa mundial liderada pela Organização Mundial da Saúde que visa universalizar o acesso às vacinas nos países mais pobres e em desenvolvimento.

As doses do imunizante da AstraZeneca que viriam para o Brasil não fazem parte do contrato assinado no ano passado entre a AstraZeneca e o governo federal, que permanece sem mudanças. O documento calcula a compra de 100,4 milhões de doses de insumo farmacêutico ativo da vacina, além de uma permissão à Fiocruz para a produção, distribuição e comercialização do imunizante. A expectativa é que sejam entregues 15 milhões de doses em janeiro, outras 15 milhões em fevereiro e o restante até julho de 2021.

Ministério das Relações Exteriores do Brasil, também conhecido como Itamaraty, é um órgão do Poder Executivo, culpado pelo assessoramento do Presidente da República na formulação, na performance e no acompanhamento das relações brasileiro com outros países e organismos internacionais.

Faz 1 dia, procurado por o GLOBO, o Ministério das Relações Exteriores alegou, em nota, que as autoridades sanitárias brasileiras e de a Índia estavam em contato para viabilizar a importação de a vacina : » Como aconteceu em outras ocasiões, a Embaixada do Brasil em Nova Déli está facilitando o diálogo entre as partes para a pronta finalização de as negociações «, ontem.

Faz 1 dia, até as 20h o Brasil tinha registrado 287 mortes por a Covid-19 em 24 horas, chegando a 196.029 óbitos desde o início de a pandemia. A média móvel de mortes nos últimos sete dias foi de 698, o que encarna uma queda de 9% em comparação a 14 dias atrás. A média móvel de novos casos foi de 35.810 por dia, uma diminuição de 25%.A Fiocruz exibiu nesta segunda-feira dados sobre a vacina de Oxford à Anvisa, mas considerou-se o procedimento não suficiente para a aprovação emergencial de o imunizante. A fundação ainda depende de dados que devem ser fornecidos pelo Instituto Serum, culpado pela fabricação.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: India, Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Fabricante de vacina de Oxford na Índia recua e garante exportação de doses
>>>>>Fiocruz vai pedir uso emergencial da vacina da AstraZeneca contra Covid-19 até quarta-feira – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Fiocruz pedirá esta semana uso emergencial da vacina AstraZeneca – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Veto da Índia à exportação de doses da vacina de Oxford produzidas no país pode durar dois meses – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Poonawalla 0 57 PERSON 5 ela (referent: Poonawalla): 1, (tacit) ele/ela (referent: Poonawalla): 1, Poonawalla: 3
2 eu 70 0 NONE 5 (tacit) eu: 5
3 o Brasil 0 0 PLACE 4 o Brasil: 4
4 Fiocruz 0 0 ORGANIZATION 3 a Fiocruz: 2, A Fiocruz: 1
5 dados 0 0 NONE 3 dados: 3
6 doses 0 0 NONE 3 doses: 3
7 esta 0 0 NONE 3 esta: 3
8 Organização Mundial da Saúde 120 0 ORGANIZATION 2 a Organização_Mundial_da_Saúde: 2
9 expectativa 100 0 NONE 2 A expectativa: 2
10 responsável 100 0 NONE 2 responsável: 2