Por: SentiLecto

Além de medidas de incentivo à volta às aulas presenciais, obcompulsóriasesde a última quarta-feira, a rede municipal de ensino do Rio tevai terno ano que vem outras iniciativas para tentar recuperar o tempo de aprendizagem perdido durante a pandemia. Vai dedicar-se o projeto » Travessia » a os estudantes que chegarem a o fim de o 5º ano de o ensino fundamental I este ano com grande defasagem em o aprendizado. Em 1 ano, seguirem para o 6º ano convencional, eles vão receber reforço de conteúdo, com uma abordagem pedagógica específica, em 2022 em vez de. Se ele vai cursar o 6º ano regular, no fim do ano, a escola vai decidir, pelo diagnóstico do aluno ou já vai estar adequado a progredir para o 7º.

Uando estudantes de cinco séries voltaram para a escola todos os dias, o regresso inteiro às aulas presenciais na rede municipal do Rio começou a ser implementado no dia 18 de outubro, q sem esquema de rodízio.Fora a pré-escola, o 1º e 2º anos do Ensino Fundamental I e o 5º e 9° anos do Ensino Fundamental II. Faz 21 dias, a mudança admirou as demais séries : creche, 3º, 4º, 6º, 7 e 8º anos, além da turmas de jovens e adultos e as classes especiais, em o dia 25.

Na segunda-feira 18 de outubro mais de 25 mil estudantes da rede municipal do Rio estavam fora das escolas no modelo presencial ou remoto, lamentou o secretário municipal de Educação, Renan Ferreirinha. Ele esteve nesta segunda-feira, na Escola Municipal Estados Unidos, no Catumbi, para acompanhar o primeiro dia do regresso total dos estudantes às salas de aulas da rede pública da cidade. Faz 1 dia, o Comitê Especial de Enfrentamento em a Covid-19 de a Secretaria Municipal de Saúde recomendou de este mês, o regresso de %100 de os alunos em as unidades de ensino públicas e privadas.Vai á os programas “Carioca I e II” visam a solucionar o déficit educacional de estudantes mais velhos. O foco vai ser o aluno cuja idade é bastante discrepante da faixa etária adaptada para a série que ele cursa. Um estudante de 16 anos que está no 6º ano, por exemplo, poderá fazer o Carioca I, módulo que une dois anos letivos num só — neste caso, o 6º e o 7º. Já o Carioca II combina conteúdos do 8º e 9º anos.

— Estamos instituindo programas de aceleração e suporte maior para estudantes com muita defasagem, para tentar solucionar a deficiência curricular que passou a existir em 2020 e 2021 — explica Ferreirinha.

A Ferreirinha é uma série de TV de Portugal apresentada pela RTP1 em 2004.

Faz 1 mês, segundo a SME, a retomada de o ensino presencial chegou em a marca de %85 de adesão em o começo de outubro.Dos 15% de estudantes restantes, 4% são estudantes que durante a pandemia não se exibiram nem presencial nem remotamente, e os outros 11% correspondem àqueles que permaneceram em ensino totalmente remoto. São esses, um grupo de aproximadamente 70 mil alunos, os maiores afetados pela volta compulsória às salas de aula.

— Alguns desses estudantes chegaram a ir para outros estados. Temos alunos morando no Maranhão. Precisamos resolver isso — declara Ferreirinha.

A secretaria ainda pretende atrair de volta às escolas 25 mil aestudantesfaltosos recorrendo a telefonemas para os pais, visitas às casas das crianças e até parcerias com associações de mohabitantesOutra medida anunciada na quarta-feira pretende fazer com que os alunos regressem às escolas: o ano letivo de 2021 na rede municipal do Rio, que se icomeçouem fevereiro e sEm 1 mês, se econcluirátvai terreprovação por falta, conforme dresoluçãoda Secretaria municipal de Educação . Segundo o titular da pasta, Renan Ferreirinha, a possibilidade de os estudantes também serem reprovados por avaliação do conteúdo aprendido ainda será definida em discussão com o Conselho Nacional de Secretários de Educação , que reúne dirigentes dos estados e do Distrito Federal. Isso porque, em se tratando de aprendizado, a pandemia de Covid-19 impôs a muitos estudantes obstáculos inéditas, que não serão solucionadas simplesmente pela reprovação, pontua o secretário.

As aulas presenciais voltaram a ser compulsórias ontem nas unidades da rede municipal do Rio. Até então, o ensino estava no modelo híbrido. A mudança é uma das estratégias para tentar mitigar os prejuízos provocados pela pandemia no processo de aprendizado de seus alunos.

Faz 1 dia, a Secretaria Municipal de Educação do Rio anunciou em esta que as aulas presenciais vão voltar a ser compulsórias em a rede municipal de a cidade a partir de amanhã, dia 3 de novembro. Recomeçou-se o ensino presencial pleno com salas de aula em lotação máxima e sem rodízio o ensino presencial pleno, com salas de aula em lotação máxima e sem rodízio, já em a cidade de o Rio, mas o ensino remoto ainda era, até esta terça-feira, uma alternativa para as famílias que o preferirem.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Prefeitura do Rio monta programas para mitigar o déficit educacional deixado pela pandemia
>>>>>Ensino presencial volta a ser obrigatório nas escolas municipais do Rio a partir desta quarta – November 02, 2021 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 alunos 100 0 NONE 13 alunos restantes: 1, alunos: 3, muitos alunos barreiras: 1, 70_mil estudantes: 1, esses alunos: 1, o estudante: 2, os estudantes: 1, estudantes: 1, os alunos: 2
2 nós 100 0 NONE 5 (tacit) nós: 5
3 pandemia 100 190 NONE 3 a pandemia: 2, a pandemia de Covid-19: 1
4 alunos 0 0 NONE 3 (tacit) eles/elas (referent: alunos): 3
5 reprovação 0 140 NONE 2 reprovação: 1, a reprovação: 1
6 modelo 140 30 NONE 2 o modelo presencial ou remoto: 1, o modelo híbrido: 1
7 defasagem 50 0 NONE 2 muita defasagem: 1, grande defasagem: 1
8 Ferreirinha 0 0 PERSON 2 Ferreirinha: 2
9 um aluno de 16 anos por_exemplo 0 0 NONE 2 Um aluno de 16 anos por_exemplo: 2
10 aprendizado 0 0 NONE 2 o aprendizado: 1, aprendizado: 1