Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Senadores da 56ª Legislatura – Randolfe Rodrigues (46149534405)

O testemunho do coronel Marcelo Blanco à CPI da Covid no Senado, nesta quarta-feira, foi marcado por duas pintervalosainda naopprimeirofperíododo dtestemunho antes do almoço. Durante os questionamentos do relator da Comissão, Renan Calheiros , o senador Randolfe Rodrigues pediu para suspender a sessão para questionar por que o deputado governista Reinhold Stephanes Junior , presente no local, fazia injúrias à cdelegação Randolfe, que pediu que o parlamentar se identificasse e indagou sua autoridade para estar presente ali, pediu que Stephanes Junior fosse retirado da sessão, por tumultuar o testemunho. — Deputado, algum problema? Vossa Excelência aqui gravou um vídeo, se referindo a essa CPI.

Randolph Frederich Rodrigues Alves é um professor e político brasileiro atualmente filiado a Rede Sustentabilidade . Conhece-se Randolph Frederich Rodrigues Alves é mais conhecido como Randolfe Rodrigues.

Delegação é uma recompensa, na maioria das vezes financeira, oferecida pela intermediação de negócios ou cumprimento de metas ou objetivos definidos anteriormente com o intuito de incentivar os resultados comerciais.

— Qual é o problema? — rebateu, no fundo da sala.

— O problema é que Vossa Execlência praticou ainda há pouco um ato de desacato a essa delegação — respondeu o vice-presidente da delegação.

— O senhor não pode desrespeitar essa Comissão Parlamentar de Inquérito, não pode atuar dessa maneira e eu pedirei para os seguranças daqui do Senado tomarem as devidas providências sobre Vossa Excelência. Eu desejo pedir para a Polícia Legislativa autuar esse parlamentar.

— Continua o modus operandi do governo — comentou Renan.

Em testemunho na CPI da Covid no Senado, o coronel Marcelo Blanco alegou que visava negociar vacinas para o mercado privado e não para o Ministério da Saúde. O coronel Marcelo Blanco é ex-assessor do Ministério da Saúde.para o Ministério da Saúde. Ele é suspeito de ter intermediado um encontro onde houve o susposto pedido de propina para a compra de vacina.

— A CPI da Covid, no Senado, escuta hoje o tenente-coronel Marcelo Blanco, ex-assessor do Ministério da Saúde que teria intermediado encontro onde houve o susposto pedido de propina para a compra de vacina. Segundo o de Polinesia Francesa militar Luiz Paulo Dominguetti, que declarava encarnar a companhia Davati Medical Supply, Blanco estava no jantar em que o PM afirma ter recebido a proposta de propina de Roberto Dias, ex-diretor de Logística da pasta, por uma suposta venda de imunizantes da AstraZeneca ao governo federal. Se assinala o tenente-coronel como intermediador de a reunião que aconteceu em um shopping brasileiro,. O coronel abriu uma companhia poucos dias antes da conversa, o que ergueu suspeitas no colegiado. ASSISTA AO VIVO Segundo o GLOBO apurou, o principal argumento de Blanco à CPI svai serde que eDominguetti eiludiuele.O de Polinesia Francesa se anunciava como um representante comercial que poderia vender ao Brasil 400 milhões de doses da vacina Astrazeneca, mas não tinha nem sequer autorização do laboratório. O militar admite que, após ser procurado por Dominguetti, em fevereiro, viu a chance de negociar os imunizantes para a iniciativa privada. Na época, ele já tinha deixado a posição de assessor na Saúde. Blanco abriu uma consultoria três dias antes do jantar com o de Polinesia Francesa e, cerca de um mês depois, incluiu atividades ligadas à área da saúde no ealcancedas atividades da ecompanhia Blanco tem um Habeas Corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal que lhe permite ficar em silêncio durante seu testemunho à cdelegação A resolução foi dado ministro Luiz Fux para que o depoente fique isento de responder questões que possam lhe incriminar. O ministro Luiz Fux é o presidente da Corte. O ministro Luiz Fux é o presidente da Corte. No entanto, ao GLOBO, o tenente-coronel declarou que vai responder aos senadores.- A CPI da Covid confirmou o deferimento do testemunho de Francisco Maximiano, presidente da Precisa Medicamentos. O executivo pediu para não depor na data calculada, na semana que vem, porque está em viagem na Índia. A Precisa vendeu a vacina de India Covaxin ao governo federal, contrato suspenso pelo Ministério da Saúde. Entrevista: ‘É óbvia a contradição do discurso de Bolsonaro como candidato e a prática do presidente hoje’, declara ACM NetoNesta quinta-feira, a defesa do empresário pediu à CPI da Covid que o dtestemunhodele seja remarcado para o dia 10. Ele viajou para a Índia no último domingo e a previsão é que volte somente em 9 de agosto. A CPI ainda não confirmou a data exata em que Maximiano tem que depor.— Tenho insatisfação total com essa colher de infusão que demos para o Maximiano. Não vejo razoabilidade de ter desmarcado o testemunho dele — declara Randolfe Rodrigues. Nesta quinta-feira, Rodrigues havia considerado a chance de pedir a prisão preventiva ou condução coercitiva de Maximiano pela denúncia de obstruir os inquéritos. Omar Aziz considerou que não há sanção possível a ser requerida contra Maximiano porque ele viajou para a Índia um dia antes da convocação ter sido feita. Omar Aziz é o presidente da CPI.Senadores defendem o debate de medidas mais duros contra Maximiano para que ele coopere com os trabalhos da delegação, caso ele não compareça novamente. Veja também: Rosa Weber nega pedido de ex-diretor do Ministério da Saúde para interromper conseqüência de prisão na CPI A Precisa era a parceira do laboratório indiano Bharat Biotech, que desenvolveu a Covaxin, a vacina contra a Covid-19 mais cara a ter negócio fechado com o Ministério da Saúde. O negócio entrou na mira da CPI e, após suspeitas de anormalidade, acabou suspenso. Na semana passada, a Bharat anunciou o fim do acordo com a Precisa. O governo anunciou que irá romper o contrato que, segundo o ministro Marcelo Queiroga, perdeu o objeto.A CPI regressa do recesso na semana que vem. Na terça-feira deve ser escutado o reverendo Amilton Gomes negociadas pelo Ministério da Saúde sem o aval da fabricante de vacinas. O reverendo Amilton Gomes é responsável por intermediar uma proposta de venda de supostas 400 milhões de doses de AstraZeneca.E RIO — Após duas semanas de recesso parlamentar, a CPI da Covid recomeça as atividades no Senado Federal na manhã desta terça-feira. A segunda etapa da delegação aprofundará os inquéritos sobre negociações de vacinas envolvendo intermediários sem o aval de fabricantes estrangeiros. Entre os testemunhos cruciais para a progressão das apurações está o do reverendo Amilton Gomes, que fala nesta terça à cdelegação e teria exercido papel fundamental em uma negociação paralela para compra de 400 milhões de doses da vacina AstraZeneca. Fundador da Senah , uma associação evangélica privada, o testemunho do reverendo atende ao requerimento exibido pelo vice-presidente da CPI, o senador Randolfe Rodrigues . Gomes entrou na mira dos senadores após ter sido assinalado pelo PM Luiz Paulo Dominguetti Pereira como intermediador entre o governo federal e as companhias que ofereciam vacinas à pasta. Suposto representante da empresa americana Davati Medical Supply, Dominguetti disse à CPI da Covid que procurou o Ministério da Saúde para oferecer as 400 milhões de doses da vacina da AstraZeneca e que o ex-diretor de logística da pasta Roberto Ferreira Dias teria exigido US$ 1 de propina para cada dose de vacina negociada. Após o encontro, Dominguetti teria procurado a Senah para auxiliar a viabilizar o negócio com a Pasta. Nas mensagens de Dominguetti, que teve o celular apreendido pela CPI, três pessoas supostamente ligadas ao reverendo declaram que Gomes se reuniu com Bolsonaro em 15 de março, o que nenhum não confirmou ele de os envolvidos. “Faz 1 dia, falei com quem, ontem manda! Tudo certo! Estão fazendo uma corrida compliance da informação da grande quantidade de vacinas!”, disse Amilton Gomes em uma das mensagens a Dominguetti. Procurado pelo GLOBO, na época, Gomes negou o encontro. Se recebeu Dominguetti e o reverendo e se comunicaram mais de uma vez com integrantes de o ministério em o começo de o ano. Em 4 de março, os dois aparecem lado a lado em uma fotografia na sede da Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde, compartilhada nas redes sociais. Ao GLOBO, o reverendo declarou que Dominguetti procurou ele. Segundo a versão de Gomes, o PM teria oferecido uma doação à entidade religiosa em troca de aassistênciapara conseguir marcar reuniões com integrantes do governo. Faz 1 mês, o Jornal Nacional revelou e-mails em que o então Laurício Cruz autorizava o reverendo a efetivar a compra de as doses com a Davati, em julho. Laurício Cruz é diretor de Imunização do Ministério da Saúde. Em entrevista ao GLOBO, Amilton Gomes alegou que sua entidade recebeu uma oferta de doação de Dominguetti para auxiliar nas negociações, e que Herman Cárdenas teria feito doações semelhantes a organizações em outros países. Herman Cárdenas é presidente da companhia nos Estados Unidos. Faz 5 meses, de acordo com Amilton a Senah levou a o Ministério da Saúde a proposta de a Davati e, em a ocasião, houve uma reunião com o então secretário-executivo, Elcio Franco. Nos contatos com o ministério, o reverendo teria recebido a informação de que o encerramento do negócio estava condicionado à apresentação de um documento capaz de comprovar que a Davati teria autorização da AstaZeneca para intermediar a venda das vacinas. Como o PM jamais exibiu esse documento, a negociação não caminhou. Segundo Amilton Gomes, a Senah é procurada por diversas organizações para intermediar contato com o governo por contar com suporte no Congresso – fundada em 1999, a instituição tem uma relação próxima com a Frente Parlamentar Evangélica. Apesar disso, o caso ergue suspeitas dos senadores pois nem Amilton de Paula nem a sua entidade têm qualquer ligação com órgãos públicos. A farmacêutica AstraZeneca também já havia informado oficialmente ao governo federal que não autoriza intermediários a comercializar seus imunizantes. Faz 1 mês, o testemunho de o reverendo estava, mas ele pediu deferimento por questões de saúde. Uma perícia da área médica do Senado Federal confirmou que ele padecia de um problema renal que o impedia de ir à cdelegaçãonaquele momento.

Na quinta-feira 22 de julho – O Ministério da Saúde pagou R$ 39 milhões para abastecimento de reagentes para testes de Covid-19, mesmo depois de a Controladoria-Geral da União assinalar suspeita de anormalidades no contrato. Desembolsaram-se os recursos em abril de este ano e autorizados por o ex-diretor de logística de a pasta Roberto Ferreira Dias, investigado por a CPI da Covid em o Senado. Documentos obtidos pelo GLOBO mostravam que Dias assinou o negócio mesmo após a CGU assinalar suspeitas de anormalidades no processo de contratação. A proposta ganhadora, da americana Thermo Fisher, não continha alguns materiais calculados na convocação, fazendo com que o custo fosse mais baixo. Habilitou-se a companhia mesmo com uma oferta incompleta, , enquanto as demais concorrentes foram descartadas justamente por não se adaptarem a o que o poder público demandava. Faz 1 ano, a CGU assinalou problemas em a proposta ganhadora por não incluir alguns itens mencionados em o chamamento de a licitação, em 10 de agosto de 2020. Faz 17 dias, ainda assim, Roberto Ferreira Dias assinou, em 21 de agosto, o contrato. Faz 1 ano, as entregas de testes por as quais o governo deveu pagar aconteceram de setembro de 2020. O acordo que gerou o pagamento calculava a compra de 10 milhões de kits de reagentes para exames de detecção do novo coronavírus por R$ 133 milhões. Invalidou-se o contrato em dezembro de 2020, foi formalmente invalidado diante das suspeitas de anormalidades. Assinaram-se os contratos os detalhes sobre as data em que , concorrentes desclassifcados e autorização de a Saúde mesmo com supostas anormalidades assinaladas você lia em a matéria completava.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Se o retira de a sessão, deputado governista tumultua CPI da Covid e; vídeo
>>>>>Ao vivo: CPI da Covid ouve ex-assessor da Saúde que intermediou encontro com suposto pedido de propina por vacina – August 04, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Ao vivo: CPI da Covid ouve reverendo que intermediou negociação para compra de vacina – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Rosa Weber nega pedido de ex-diretor do Ministério da Saúde para suspender efeitos de prisão na CPI – July 30, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Rosa Weber, do STF, mantém decisão da CPI de quebrar sigilo de assessor do Planalto – July 28, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Rosa Weber dá 10 dias para que Congresso preste informações sobre aprovação de fundo eleitoral – July 26, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Rosa Weber determina que PGR opine sobre pedido da PF para Luis Miranda ser investigado com Bolsonaro – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Agenda de Ciro Nogueira na Casa Civil inclui aprovação de Mendonça e acordo sobre o fundão – July 23, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Cármen Lúcia, do STF, nega pedido para que Lira analisasse impeachment de Bolsonaro – July 21, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Roberto Dias, ex-diretor do Ministério da Saúde, aciona STF para suspender efeitos de prisão na CPI – July 27, 2021 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Em resposta a Bolsonaro, STF diz que ‘mentira repetida mil vezes não vira verdade’ – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>PF abre inquérito para investigar suposto pedido de propina de ex-diretor do Ministério da Saúde – July 28, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>CPI da Covid mira investigação sobre venda de vacinas e ouve reverendo que tentou intermediar contato com o governo – (Extraoglobo-pt)
>>>>>CPI aceita pedido para adiar depoimento de presidente da Precisa Medicamentos – July 30, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Dono da Precisa movimentou R$ 3,9 milhões, valor 80 vezes maior que o declarado, diz Receita Federal à CPI da Covid – July 27, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Após fabricante da Covaxin negar documentos, CPI da Covid quer revogar direito a silêncio de dono da Precisa – July 23, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>CPI da Covid monta sete núcleos de investigação durante o recesso – July 21, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Flávio representa contra Renan na PGR alegando abuso de autoridade na CPI da Covid – July 20, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>CPI da Covid cria núcleo para investigar hospitais federais do Rio e ligação com Flavio Bolsonaro – July 16, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Ex-atriz pornô Mia Khalifa manda mensagem para Randolfe Rodrigues: ‘Vocês estão em uma crise… Estou a caminho’ – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Queiroga diz que pode haver ‘algum tipo de transgressão’ em contrato investigado pela CPI da Covid – July 19, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Senadores da CPI querem ter acesso a contrato confidencial entre laboratório indiano e empresa parceira brasileira – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>CPI da Covid investiga garantia aceita pelo Ministério da Saúde em contrato da Covaxin – July 15, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Quebra de sigilo mostra ligações entre Roberto Dias e empresa investigada na CPI da Covid – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>CPI da Covid: e-mails de Pazuello registram reunião com senador fora da agenda para tratar de distribuição de cloroquina – July 23, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Na mira da CPI da Covid, Ricardo Barros falta a evento de vacinação com Queiroga no Paraná – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Vacina contra a Covid-19: Ministério da Saúde prevê entrega de 535 mil doses para RJ até dia 28 – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Diretora da Precisa diz à PF ter sido surpreendida com recibo emitido por empresa de Cingapura em importação da Covaxin – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 0 75 NONE 16 (tacit) eu: 14, eu: 1, Eu: 1
2 Marcelo Blanco 0 80 PERSON 8 o tenente-coronel Marcelo_Blanco: 1, (tacit) ele/ela (referent: Blanco): 1, Blanco: 3, o coronel Marcelo_Blanco (apposition: ex-assessor de o Ministério_da_Saúde): 1, Ele (referent: o coronel Marcelo_Blanco): 1, o coronel Marcelo_Blanco: 1
3 Luiz Paulo Dominguetti 0 65 PERSON 7 Dominguetti: 5, o policial militar Luiz_Paulo_Dominguetti: 1, (tacit) ele/ela (referent: o policial militar Luiz_Paulo_Dominguetti): 1
4 Paula Amilton de 25 0 PERSON 7 Amilton_de_Paula: 1, o reverendo Amilton_Gomes (apposition: responsável): 1, Amilton: 1, o reverendo Amilton_Gomes: 1, Amilton_Gomes: 3
5 CPI da Covid 0 0 ORGANIZATION 7 A CPI_da_Covid: 2, a CPI_da_Covid: 5
6 governo 0 0 NONE 7 o governo: 2, o governo federal: 4, O governo: 1
7 problema 0 480 NONE 6 um problema renal: 2, algum problema: 1, o problema: 1, O problema: 2
8 Randolfe Rodrigues 0 0 PERSON 6 Randolfe_Rodrigues: 2, Randolfe e: 2, o senador Randolfe_Rodrigues: 2
9 CPI 80 0 ORGANIZATION 5 A CPI: 2, a CPI: 3
10 Ministério da Saúde 0 0 ORGANIZATION 5 o Ministério_da_Saúde: 4, O Ministério_da_Saúde: 1