Por: SentiLecto

Estes são links externos e vão abrir numa nova janela

Cinco dias depois de anunciar que estava curado do coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro declarou que sentiu fraquezas e que passou a tomar antibióticos para lutar uma infecção no pulmão.

«Também, depois de 20 dias em casa, a gente pega outros problemas. Peguei mofo no pulmão», brincou Bolsonaro em uma de suas lives na internet, na quinta-feira.

Há poucas informações sobre o mais recente problema de saúde do presidente. Sequer existe uma confirmação de que a infecção teria sido consequência direta do coronavírus que o acometeu.

Quando um paciente pode ser considerado «recuperado», mas o problema pulmonar de Bolsonaro ergue uma discussão sobre ou não da covid-19.

Mesmo que o paciente seja dito livre da enfermidade, o que se tem observado é que o coronavírus pode provocar sequelas e outros problemas de saúde.

O rótulo de «paciente recuperado» que aparece em diversas estatísticas oficiais propõe que a pessoa conseguiu voltar à sua vida normal sem transtornos, mas isso pode ser enganoso.

Estudos recentes mostram que ainda é preciso investigar mais profundamente quem se recuperou totalmente da enfermidade — e quem segue vivendo com sequelas da covid-19.

Dois novos estudos publicados nesta semana revelam um lado assustador da recuperação do coronavírus. Ambos foram feitos com pacientes na Alemanha, que o , com 100 pacientes que tiveram coronavírus, mostrou que 78% exibiram alguma espécie de anomalia no coração mais de dois meses depois de se recuperarem da covid-19, e publicados pela revista científica Journal of the American Medical Association . Boa parte dos doentes tiveram uma maneira branda da enfermidade e sequer foram hospitalizados.

Se detectou uma inflamação mas em %60 de os casos, em o coração cerca de 70 dias depois.

O preocupante nesse estudo é que se consideravam os pacientes analisados saudáveis e com idade média de 49 anos. Outra fonte de preocupação é que muitos desses problemas cardíacos ocorreram silenciosamente.

«Constatamos que as altas preponderâncias de enfermidades crônicas entre os adultos de Brasil, por exemplo, podem ampliar a vulnerabilidade desta população, com potencial para compensar parte das vantagens da idade mais jovem.»Já assistiu aos nossos novos vídeos no ? Inscreva-se no nosso canal!

Na quinta-feira 23 de julho a Agência Nacional de Vigilância Sanitária incluiu a ivermectina na categoria de remédios submetidos a um controle especial.

Os pacientes não exibiram sintomas externos, e detectaram-se as deficiências em o coração somente com ressonância magnética e exames de sangue.

Os pesquisadores Clyde Yancy e Gregg Fonarow, um . escreveram: «Nós não desejamo gerar ainda mais ansiedade mas sim impeli outros pesquisadores a examinarem cuidadosamente os dados existentes e que serão coletados para confirmar ou negar nossas descobertas».

A segunda pesquisa envolveu a autópsia de 39 vítimas de covid-19. Se detectou a presença de o coronavírus em 24 de elas, em o coração. Os cientistas declaram que isso menciona que é preciso investigar mais profundamente o potencial prejuízo que o Sars-CoV-2 pode provocar no coração.

Há ainda inúmeros relatos de pessoas que desenvolveram diferentes sintomas após contrair a enfermidade, como problemas pulmonares e perda de paladar e olfato.

Cientistas também pesquisam sobre o conseqüência que o coronavírus pode ter no cérebro, como inflamação, e na maior incidência de coágulos do sangue, que podem provocar derrames.

Problemas respiratórios, como o relatado por Bolsonaro, estão entre as sequelas analisadas por alguns cientistas.

No início de julho, a revista Jama publicou com 143 recuperados de covid-19 na Itália feita pela Policlínica Gemelli, de Roma.

Dois meses depois da enfermidade, somente 12,6% dos pacientes declararam estar completamente recuperados, sem nenhum sintoma.

Os outros 87,4% reclamaram de pelo menos algum problema. Entre os sintomas relatados, estão cansaço dor nas juntas e dor no peito . Fadiga é falta de ar .

No caso de Brasil, eles alegam que a falta de testagem em massa impede que conheçam-se esses números, além de atrapalhar a formulação de políticas públicas.

Para 44,1%, houve uma piora na característica de vida.

Como a covid-19 é uma enfermidade nova, ainda não se conseguiu estudar quanto tempo leva para se recuperar dela e quais podem ser as implicações de longo prazo.

Os autores do estudo evidenciaram o protagonismo de se acompanhar pacientes recuperados mesmo meses depois da enfermidade.

O cansaço parece ser um dos sintomas mais recorrentes. Uma das condições estudadas se chama encefalomielite miálgica, que é popularmente conhecida como cansaço crônica.

Há anos cientistas se esse cansaço crônica está relacionada com infecções virais, estudam. A observância desses casos em ex-pacientes de covid-19 reforçaria essa tese.

A síndrome de cansaço crônica é uma condição debilitante de longo prazo no qual a pessoa afetada sente uma série de sintomas. O mais importante deles é um esgotamento que não melhora com repouso ou sono e que afeta os pacientes em todos os aspectos da sua rotina.

Outros sintomas habituais são dor, falta de transparência mental e problemas de memória e de sono. Pacientes com esse problema não conseguem mais ter uma vida normal, com uma rotina de trabalho, e acabam desenvolvendo problemas de saúde emocional, como baixa auto-estima.

A BBC relatou o caso de um escocês de 28 anos que teve covid-19 e passou . Antes de contrair o coronavírus, Callum O’Dwyer estava em maneira e tinha boa saúde, sem nenhuma enfermidade pré-existente.

No entanto, depois de combater durante cinco semanas contra os principais sintomas da enfermidade, ele não teve mais condições de morar sozinho e precisou voltar para a casa dos pais.

Há ainda um problema complementar: os assintomáticos. Em tese, mesmo quem teve coronavírus e não exibiu sintomas da enfermidade poderia desenvolver complicações posteriores, como problemas respiratórios ou inflamação cardíaca. Mas ainda não há estudos suficientes sobre esses casos.

Todas essas sequelas da covid-19 não aparecem nas estatísticas oficiais.

Classificam-se pacientes que seguem padecendo com problemas relacionados em a enfermidade oficialmente como » pacientes recuperados » — um extenso guarda-chuva que abriga todo mundo que não morreu em a enfermidade.ssa categoria de «paciente recuperado» aparece em diversas estatísticas oficiais.

No portal do governo federal, é a estatística que tem com maior destaque: 1,8 milhões de pacientes recuperados — em um universo de 2,6 milhões casos confirmados neste ano.

No mundo, são 10 milhões de recuperados entre 17 milhões de casos confirmados, segundo a universidade de America Johns Hopkins.

Mas não há uma distinção entre quem voltou à sua vida normal e quem precisa conviver com sequelas.

A Organização Mundial da Saúde considera como recuperados aqueles que tiveram dois resultados negativos para Sars-CoV-2 com pelo menos um dia de pausa. Para os casos leves, a OMS estima que o tempo entre o começo da infecção e a recuperação dure até 14 dias.

Mas o Brasil, assim como vários outros países, não segue exatamente esse critério por não haver testes suficientes em escala.

No Brasil, os recuperados incluem pessoas que foram hospitalizadas e receberam alta e também os casos leves em que não houve registro de hospitalização ou de óbito nos últimos 14 dias. Por esse último critério, o presidente Bolsonaro tem que entrar nesta estatística de recuperados.

Segundo a prefeita da Cidade do México, Claudia Sheinbaum, os níveis de hospitalização até outubro podem exceder os registrados em junho, o auge da pandemia.

O NHS England vai arremessar um portal especial chamado «Sua recuperação da covid» dedicado somente nas pessoas que estão padecendo com sequelas de longo prazo da enfermidade. O NHS England é sistema de saúde inglês.Segundo o sistema, há «dezenas de milhares de pessoas» nesta condição na Inglaterra.

O governo britânico pretende investir 8,4 milhões de libras em novos estudos sobre os conseqüência de longo prazo da covid-19.

Nos Estados Unidos, pessoas que tiveram covid-19 têm se mobilizado para enfrentar juntas a difícil tarefa de se recuperar.

Uma sobrevivente do coronavírus instituiu o Survivor Corps, em que pacientes recuperados — mas que padecem com sequelas — relatam seu dia-a-dia em formato de diário. O grupo também auxilia cientistas a encontrarem voluntários para participarem de novos estudos sobre os conseqüência de longo prazo do coronavírus.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no ? Inscreva-se no nosso canal!

Final de YouTube post de BBC News Brasil

Final de YouTube post 3 de BBC News Brasil

Fonte: BBCBrasil-pt

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Italy, United States, United Kingdom, Brazil

Cities: Rome

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>De ‘mofo no pulmão’ a infecção no coração: sequelas da covid-19 ameaçam ‘recuperados’
>>>>>Dobra número de países com recorde diários de casos de covid-19 – (BBCBrasil-pt)
>>>>>População de idosos não é único fator que explica mais mortes por covid-19, mostra pesquisa – July 28, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Ivermectina terá venda controlada após onda de rumores sobre tratamento para covid-19 – (BBCBrasil-pt)
>>>>>>>>>Cura para covid-19: os cientistas que buscam respostas no genoma de morcegos – July 23, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Esperar imunidade de rebanho ‘é absurdo e antiético’, diz líder de estudo que investiga quantos tiveram covid-19 no Brasil – (BBCBrasil-pt)
>>>>>>>>>>>>>Cientistas encontram ‘barata gigante’ que vive no fundo do mar – July 22, 2020 (BBCBrasil-pt)
>>>>>>>>>>>>>Medidas do Brasil são ‘insuficientes’ para conter coronavírus, diz força-tarefa internacional de cientistas – (BBCBrasil-pt)
>>>>>>>>>Os países que foram «exemplo» mas sofrem agora com segunda onda de covid-19 – July 25, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>‘Ainda nem completaram um ano’: o lugar no Texas onde 85 bebês já foram infectados pela covid-19 – July 20, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>EUA ultrapassam 139 mil mortes por Covid-19 – July 18, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>EUA ultrapassam pela 1ª vez marca de 70 mil contágios diários por coronavírus – July 16, 2020 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>EUA superam marca de 138 mil mortes por Covid-19, segundo Johns Hopkins – July 17, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Mundo tem novo recorde diário de casos de covid-19 com altas nos EUA, Brasil e Índia – July 13, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>O que está por trás da ideia de uma ‘onda grande e única de covid-19’, defendida pela OMS – July 29, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Como a ascensão de mulheres e negros impulsiona a economia – (BBCBrasil-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 pacientes 540 405 NONE 9 100 pacientes: 2, pacientes recuperados: 3, pacientes: 1, Pacientes: 3
2 doença 0 0 NONE 8 uma doença nova: 1, a doença: 6, nenhuma doença pré-existente: 1
3 Jair Bolsonaro 0 70 PERSON 7 (tacit) ele/ela (referent: o presidente Jair_Bolsonaro): 2, o presidente Bolsonaro: 1, Bolsonaro: 2, o presidente Jair_Bolsonaro: 1, (tacit) ele/ela (referent: Bolsonaro): 1
4 pessoas 60 150 NONE 6 pessoas: 4, as pessoas: 2
5 casos 0 0 NONE 6 casos confirmados: 1, os casos leves: 3, esses casos: 1, os casos: 1
6 sintomas 50 145 NONE 5 Outros sintomas comuns: 1, os sintomas: 1, diferentes sintomas: 1, os sintomas relatados: 1, sintomas externos: 1
7 estudos 20 0 NONE 5 Dois novos estudos publicados: 1, novos estudos: 1, estudos suficientes: 1, Estudos recentes: 2
8 coração 0 0 NONE 5 o coração: 5
9 problemas 0 320 NONE 4 Problemas respiratórios: 1, problemas respiratórios: 1, outros problemas: 1, problemas relacionados: 1
10 pacientes 240 0 NONE 4 Os pacientes: 1, os pacientes: 2, os pacientes analisados: 1