Por: SentiLecto

A Organização Mundial da Saúde interrompeu os testes com a hidroxicloroquina, remédio para malária, em pacientes com Covid-19 em razão de questões de segurança, alegou Tedros Adhanom Ghebreyesus nesta segunda-feira. Tedros Adhanom Ghebreyesus é o diretor-geral da OMS.

A hidroxicoloroquina tem sido assinalada pelo presidente Jair Bolsonaro, pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e por outros como um possível tratamento para a enfermidade provocada pelo novo coronavírus. O presidente dos EUA alegou que estava tomando o remédio para auxiliar a prevenir a infecção. «O grupo executivo tem implementado um intervalo temporário do ramo do hidroxicloroquina no estudo Solidarity, enquanto os dados de segurança são revisados ​​pelo conselho de monitoramento de segurança de dados», declarou Tedros, que alegou que os outros ramos do estudo –uma importante iniciativa internacional para realizar testes clínicos de possíveis tratamentos para o vírus– continuavam, em uma entrevista online.

Anteriormente, a OMS já havia recomendando contra a utilização da hidroxicloroquina no tratamento ou prevenção de infecções pelo coronavírus, exceto como parte de ensaios clínicos.

Mike Ryan declarou que a resolução de interromper os testes com hidroxicloroquina tinha sido tomada por «muita precaução». Mike Ryan é chefe do programa de emergências da OMS.

No Brasil, o Ministério da Saúde divulgou, na última quinta-feira, um documento com orientações, contendo a assinatura de sete secretários da pasta, para utilização ampliada da cloroquina no tratamento ao Covid-19. [nL1N2D31M8]

Por outro lado, – O Brasil está em contato com outros países para importar o princípio ativo da hidroxicloroquina, que está em falta no país, alegou nesta quarta-feira a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, após o governo divulgar novo protocolo que aumenta a recomendação de utilização contra a Covid-19, apesar da falta de comprovação científica. Segundo apresentação feita pelo ministério em entrevista coletiva, já foram entregues 2,39 milhões de unidades de cloroquina aos Estados para tratamento de casos de Covid-19, e ainda há em estoques do governo mais 1,4 milhão de comprimidos. A secretária evidenciou que o ministério «teve o cuidado» de deixar estoque para reservar utilização da cloroquina para quem é tratado de malária — a utilização principal do remédio. Faz 1 mês, em o começo o presidente alegou que pediu suporte de o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, para a permanência de o abastecimento de insumos farmacêuticos para a produção de a hidroxicloroquina. O Ministério da Saúde exibiu nesta manhã, atendendo ao presidente Jair Bolsonaro, um novo protocolo de utilização dos remédios cloroquina e hidroxicloroquina desde os sintomas iniciais da Covid-19. Até agora, a utilização da cloroquina no Brasil tinha um protocolo do ministério somente para casos graves. A Organização Mundial da Saúde reiterou nesta quarta-feira que não recomenda o uso da cloroquina para o tratamento da Covid-19, diante da falta de comprovação científica de efetividade.

Na segunda-feira 18 de maio Tedros Adhanom Ghebreyesus anunciou que seria começada uma avaliação independente a respeito de como a organização estava lidando com a pandemia de coronavírus no «primeiro momento oportuno», prometendo clareza e responsabilidade. Tedros Adhanom Ghebreyesus é o chefe da Organização Mundial da Saúde .

Pelo documento, a pasta passa a recomendar a adoção da cloroquina desde os sintomas iniciais do Covid-19, em linha com as pré-requisito do presidente Jair Bolsonaro.

– A hidroxicloroquina, que Donald Trump declara estar tomando e que o presidente Jair Bolsonaro também defende ela em o tratamento da Covid-19, está ligada aa ampliação do risco de morte em pacientes com a enfermidade respiratória provocada pelo novo coronavírus, de acordo com um estudo publicado na revista médica The Lancet. Donald Trump é o presidente dos Estados Unidos. O estudo, que monitorou mais de 96 mil pacientes hospitalizados com Covid-19, mostrou que as pessoas tratadas com o remédio, ou com cloroquina, exibiam maior risco de morte quando comparadas àquelas que não receberam o mremédio Depois que Trump divulgou sua utilização como tratamento de coronavírus no começo de abril, a procura por hidroxicloroquina, um remédio contra a malária aprovado décadas atrás, ampliou. No começo desta semana, ele assombrou o mundo ao admitir que estava tomando o comprimido como remédio preventivo. Também nesta semana, o Ministério da Saúde atendeu a um desejo pessoal de Bolsonaro e divulgou documento em que trata da utilização da cloroquina nos estágios iniciais da Covid-19, embora a própria orientação da pasta reconheça que não existe comprovação científica de sua efetividade no tratamento da enfermidade. Os autores do estudo propuseram que esses esquemas de tratamento não devem ser utilizados ​​para tratar a Covid-19 fora dos ensaios clínicos até que os resultados deles estejam disponíveis para confirmar a segurança e a efetividade para pacientes com a infecção. Os pesquisadores declararam que não puderam confirmar se tomar o remédio redundou em alguma vantagem para pacientes contagiados pelo coronavírus. Semanas atrás, Trump havia promovido o remédio como um tratamento potencial com base em um relatório positivo sobre sua utilização contra o vírus, mas estudos subsequentes descobriram ser ineficaz. Faz 1 mês, a Food and Drug Administration emitiu um alerta sobre a utilização de a pílula. Drug Administration é agência federal vinculada ao Departamento de Saúde e Serviços dos EUA. O estudo publicado na The Lancet analisou dados de 671 clínicas, nos quais 14.888 pacientes receberam hidroxicloroquina ou cloroquina, com ou sem o antibiótico macrolídeo, e 81.144 pacientes não passaram por nenhum dos tratamentos. A América do Sul se tornou o novo epicentro da pandemia de Covid-19, e o Brasil é o pais mais atingido na região, declarou a Organização Mundial da Saúde nesta sexta-feira.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: United States, Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>OMS interrompe testes de hidroxicloroquina em pacientes com COVID-19 por preocupações de segurança
>>>>>Brasil busca importar princípio ativo da hidroxicloroquina após ampliar uso contra Covid-19 – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Uso de hidroxicloroquina no tratamento para Covid-19 eleva risco de morte, aponta estudo – (Extraoglobo-pt)
>>>>>América do Sul se tornou novo epicentro da Covid-19 e Brasil é o mais atingido, diz OMS – May 22, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Presidente da China apoia investigação liderada pela OMS após controle da pandemia – May 18, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Trump diz que considera restaurar alguns fundos para OMS – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>China destinará US$ 2 bilhões para apoiar países afetados pela Covid-19 – (EfeGeneric)
>>>>>>>>>EUA dizem que OMS fracassou ao não evitar mortes no mundo por Covid-19 – (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Donald Trump 70 0 PERSON 8 Trump: 2, (tacit) ele/ela (referent: Trump): 3, ele (referent: Trump): 1, Donald_Trump: 1, Donald_Trump (apposition: o presidente de os Estados_Unidos): 1
2 tratamento 150 0 NONE 6 o tratamento: 4, um tratamento potencial: 1, um possível tratamento: 1
3 medicamento 15 0 NONE 6 o medicamento: 4, medicamento: 1, medicamento preventivo: 1
4 pacientes 300 50 NONE 5 81.144 pacientes: 1, pacientes: 2, pacientes infectados: 1, 14.888 pacientes: 1
5 O Brasil 30 0 PLACE 4 o Brasil: 3, O Brasil: 1
6 Tedros Adhanom Ghebreyesus 0 0 PERSON 4 Tedros: 2, Tedros_Adhanom_Ghebreyesus (apposition: o diretor-geral de a OMS): 1, Tedros_Adhanom_Ghebreyesus (apposition: o chefe de a Organização_Mundial_da_Saúde): 1
7 coronavírus 0 0 NONE 4 o coronavírus: 2, o novo coronavírus: 2
8 documento 0 0 NONE 4 um documento: 1, o documento: 1, documento: 2
9 estudo 0 0 NONE 4 O estudo publicado: 1, um estudo publicado: 1, O estudo: 2
10 eu 0 0 NONE 4 (tacit) eu: 4