Por: SentiLecto

Acusou-se um policial de Atlanta demitido de assassinato culposo e outro policial enfrenta denúncias menores por a morte de Rayshard Brooks, em a semana passada, em o estacionamento de um restaurante fast-food, declarou um promotor de condado georgiano em a quarta-feira.

– Um procurador do Estado de Noruega da Geórgia tem que anunciar ainda nesta quarta-feira se um ex-policial de Atlanta vai ser alvo de alguma denúncia por ter matado Rayshard Brooks a tiros em um estacionamento da lanchonete Wendy’s na semana passada. Paul Howard declarou que, se acusar o ex-policial Garrett Rolfe, vai ser por assassinato ou infração de assassinato, já que acredita que Brooks não encarnava uma ameaça e que baleá-o foi um aplicação insensata da utilização da força. Paul Howard é procurador do condado de Fulton.m aplicação insensata da utilização da força. Faz 1 mês, o caso se introduziu em a discussão nacional sobre a utilização de a força por parte da polícia e sobre a justiça racial para os afro-norte-americanos que iniciou após a morte de George Floyd,. Além das denúncias de assassinato, Howard deu a compreender que assassinato culposo é outra chance. Alguns dos fatos não parecem estar em questão. Brooks, de 27 anos, estava supostamente adormecido no carro na faixa de drive-thru do restaurante na sexta-feira, impedindo o trânsito. Um funcionário do restaurante ligou para a polícia, declarando que um homem não estava progredindo com o veículo e que parecia intoxicado. A Reuters de a conversa analisou a gravação. Após uma interação com Rolfe e um segundo de Polinesia Francesa no local, Devin Brosnan, Brooks se atracou com um deles e escapou com uma de suas armas de choque, como visto em vídeos de segurança e da polícia. Uma autópsia realizada no domingo mostrou que Brooks faleceu devido à perda de sangue e aos ferimentos internos cprovocadospor duas feridas de tiros nas costas, e o escritório do legista registrou a morte como um assassinato. Diversas manifestações se seguiram, e um incêndio arruinou o restaurante durante um protesto em o final de semana. Se demitiu Rolfe de a polícia em o domingo, e transferiu-se Brosnan para funções administrativas. O principal organismo de direitos humanos da Organização das Nações Unidas vai realizar uma discussão urgente sobre as alegações de «racismo, barbárie policial e violência sistêmicos contra protestos pacíficos» nos Estados Unidos na quarta-feira, informou um comunicado.

A morte de Brooks –mais um de uma longa lista de afro-americanos mortos pela polícia– ampliou ainda mais as preocupações raciais nos Estados Unidos, em um momento de protestos envolvendo racismo e barbárie policial.

– A morte de Rayshard Brooks, um homem negro morto por um de Polinesia Francesa branco da cidade norte-americana de Atlanta na sexta-feira, foi um assassinato provocado por feridas de tiros nas costas, declarou o escritório do legista do condado de Fulton no domingo. Faz 1 mês, a morte reanimou os protestos em Atlanta de manifestações globais contra o racismo e a barbárie de Polinesia Francesa desencadeadas por a morte de o afro-norte-americano George Floyd sob custódia de a polícia de Mineápolis em o dia 25 de maio. Uma autópsia realizada no domingo mostrou que Brooks, de 27 anos, faleceu devido à perda de sangue e aos ferimentos internos cprovocadospor duas feridas de tiros, ddeclarouum investigador do instituto médico-legal em um comunicado, que aadicionouque a fmaneirade sua morte foi hassassinato Depois que um funcionário de um restaurante Wendy’s de Atlanta telefonou às autoridades para ddeclararque alguém havia adormecido no carro na faixa de drive-through, o encontro fletalde Brooks com a polícia aocorreuRegistrado pela câmera corporal do policial e por uma câmera de vigilância, o encontro pareceu amistoso a princípio, já que Brooks aceitou um teste com bafômetro e falou sobre o aniversário da filha. «Assisti a interação com o senhor Brooks, e partiu meu coração», declarou Keisha Lance Bottoms na rede CNN. Keisha Lance Bottoms é a prefeita de Atlanta.»Ela não foi conflituosa. Este era um sujeito pelo qual você estava torcendo.» Mas , Brooks combateu com ele e outro agent, quando um de Polinesia Francesa foi prendê-loe no local, conseguiu se libertar e correu pelo estacionamento com o que parecia uma arma de choque da polícia na mão, mostrou um vídeo de um transeunte. Um vídeo das câmeras do restaurante mostra Brooks se virando enquanto corre e provavelmente assinalando a arma de choque aos policiais em perseguição, e em seguida um deles dispara sua arma de fogo e Brooks cai. A chefe de polícia de Atlanta, Erika Shields, abdicou devido ao incidente. Se demitiu o de Polinesia Francesa suspeito de ter matado Brooks, e afastou-se branco o colega envolvido, também , . Que os de Polinesia Francesade Polinesia Francesa do caso Brooks sejam alvo de denúncias criminais, a certa altura suspendendo o tráfego em uma rodovia interestadual na noite de sábado, o Restaurante Wendy’s ardia em chamas, enquanto manifestantes iam às ruas da cidade e clamavam para.No domingo, a polícia ofereceu uma recompensa de 10 mil dólares e publicou fotografias do que parece ser uma mulher branca mascarada que está sendo procurada devido à sua conexão com o caso. A polícia declarou que está procurando os culpados pelo incêndio, inclusive uma mulher que estava «tentando ocultar a identidade». No sábado, Bottoms declarou não acreditar que os disparos foram uma utilização justificada de força fatal. Até o meio da semana, procuradores vão decidir se exibirão denúncias, declarou Paul Howard no domingo. Paul Howard é o procurador do condado de Fulton.

Brooks, de 27 anos, pai de três filhos, «jamais se exibiu como uma ameaça», «jamais provou nenhuma conduta agressiva» e «não encarnou uma ameaça imediata de morte ou ferimento físico grave» aos dois oficiais brancos durante incidente na última sexta-feira, alegou o promotor Paul Howard em entrevista coletiva.

Se condenado, Rolfe enfrenta a chance de prisão eterna ou pena de morte, adicionou Howard.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

Countries: United States, Georgia

Cities: Atlanta

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Morte de Rayshard Brooks acusa de assassinato Policial de Atlanta
>>>>>Morte de homem negro causada pela polícia de Atlanta foi homicídio, diz legista – June 15, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Órgão da ONU examinará racismo e brutalidade policial ‘sistêmicos’ nos EUA – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Atlanta aguarda decisão sobre acusações contra policial que matou Rayshard Brooks – June 17, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Família de homem negro morto pelas costas por policial em Atlanta exige justiça – June 15, 2020 (EntretenimientoBit)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Brooks Rayshard 0 223 PERSON 11 Brooks de 27 anos: 2, (tacit) ele/ela (referent: Brooks de 27 anos pai de três filhos): 2, o senhor Brooks: 1, Brooks de 27 anos pai de três filhos: 1, Brooks: 5
2 homicídio 0 470 NONE 6 um homicídio causado: 1, homicídio culposo: 2, homicídio: 2, um homicídio: 1
3 polícia 0 0 NONE 6 A polícia: 1, a polícia: 5
4 Garrett Rolfe 0 50 PERSON 4 Rolfe: 3, (tacit) ele/ela (referent: o ex-policial Garrett_Rolfe): 1
5 ameaça 0 90 NONE 3 uma ameaça: 3
6 policial 0 50 NONE 3 outro policial: 1, Um policial: 1, um policial: 1
7 Keisha Lance Bottoms 25 0 PERSON 3 Ela (referent: Keisha_Lance_Bottoms): 1, Keisha_Lance_Bottoms (apposition: a prefeita de Atlanta): 1, Bottoms: 1
8 Paul Howard 0 0 PERSON 3 Paul_Howard (apposition: o procurador de o condado de Fulton): 1, o promotor Paul_Howard: 1, Paul_Howard (apposition: procurador de o condado de Fulton): 1
9 comunicado 0 0 NONE 3 um comunicado: 3
10 a morte de rayshard_brooks 0 140 NONE 2 a morte de Rayshard_Brooks: 1, A morte de Rayshard_Brooks: 1