Por: SentiLecto

Se o mundo continuar «despreparado» em sua reação a pandemias, vai enfrentar crises econômicas, sociais e políticas no futuro depois de ser mencionada pela Organização Mundial da Saúde para liderar uma revisão da reação mundial na pandemia de Covid-19, helen Clark advertiu que. Helen Clark é ex-primeira-ministra da Nova Zelândia.

– Com promessas de financiamento extra para pequenas companhias e mais empregos conforme uma grave crise econômica se avizinha, Faz 10 meses, Jacinda Ardern arremessou a campanha de seu partido antes de as votações gerais de setembro. Jacinda Ardern é a primeira-ministra da Nova Zelândia. A ascensão de Ardern ao posto de primeira-ministra mais popular da Nova Zelândia em um século –impulsionada por sua resposta à pandemia de Covid-19, que deixou o país praticamente ileso– aampliousuas cpossibilidadesnas evotaçõesde 19 de setembro. O Partido Trabalhista –o qual Ardern integra e que conduz uma aliança com os Verdes e o Nova Zelândia Primeiro — enfrentará o Partido Nacional, no que se espera ser uma campanha dominada pela pandemia. Os trabalhistas conduziriam sem necessidade de aliança, se os altos índices de aprovação da primeira-ministra forem refletidos nos resultados das votações. As limitações duras e iniciais do governo aa coronavírus, que paralisaram a atividade econômica, colocaram o país em recessão técnica pela primeira vez em uma década.Tedros Adhanom Ghebreyesus alegou nesta terça-feira que a pandemia da Covid-19, embora tenha estabilizado a letalidade, a enfermidade provocada pelo novo coronavírus, segue agilizando , com a diminuição de mortes em vários países. Tedros Adhanom Ghebreyesus é o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde .

Na quarta-feira 17 de junho – A Organização Mundial da Saúde declarou que se prepara para atualizar suas orientações sobre o tratamento de pessoas com Covid-19 em reação aos resultados de um teste clínico que mostrou que um esteroide barato e habitual pode auxiliar a resgatar pacientes gravemente doentes. Resultados de testes anunciados mostraram que a dexametasona, utilizada desde os anos 1960 para reduzi inflamações de outras enfermidades, como artrite, diminuiu em cerca de um terço as taxas de mortalidade entre pacientes de Covid-19 gravemente doentes e hospitalizados. A orientação hospital da OMS para o tratamento de pacientes contagiados com o novo coronavírus se conduzia a médicos e outros profissionais de saúde e almejava utilizar os dados mais recentes para informar os clínicos gerais sobre a melhor forma de lutar todas as períodos da enfermidade, da verificação à alta hospitalar. Do projeto declararam que levava a crer que o medicamento deveria se tornar um recurso norma no cuidado de pacientes com casos graves imediatamente, embora os resultados do estudo sobre a dexametasona sejam preliminares, os pesquisadores por trás. Em pacientes de Covid-19 com utilização de ventiladores, ficou provado que o tratamento diminuía a mortalidade em cerca de um terço, e se a diminuiu para pacientes que só precisavam de oxigênio a mortalidade em cerca de um quinto, de acordo com dados preliminares compartilhados com a OMS. Viu-se a vantagem só em pacientes de Covid-19 gravemente doentes e não foi observado em pacientes com uma enfermidade mais amena. A boa notícia chegava no momento em que infecções de coronavírus se agilizaram em alguns locais, como os Estados Unidos, e em que Pequim cancelou dezenas de voos para auxiliar a conter um novo surto na capital chinesa. Tedros Adhanom Ghebreyesus em um comunicado emitido de terça-feira declarou: «Este era o primeiro tratamento em que se mostrou diminuir a mortalidade em pacientes com Covid-19 que precisavam de oxigênio ou da ajudinha de ventilador». Tedros Adhanom Ghebreyesus é o diretor-geral da OMS. A agência declarou que aguardava a análise dos dados inteiros do estudo nos próximos dias. «A OMS organizaria uma meta-análise para melhorar nosso conhecimento geral desta intervenção. A orientação hospital da OMS seria atualizada para refletir como e quando o medicamento devia ser utilizado para Covid-19″, adicionou a agência. Mas a principal autoridade de saúde da Coreia do Sul advertiu para o abuso do remédio em pacientes de Covid-19. Jeong Eun-kyeong, chefe do Centro para Controle e Prevenção de Doenças da Coreia declarou: » já era utilizado há tempos em clínicas sul-coreanos para pacientes com diversas inflamações». «Mas alguns experts advertiam que o medicamento não só diminuía a reação inflamatória nos pacientes, mas também o sistema imunológico, e podia desencadear conseqüência colaterais. O KCDC estava discutindo sua utilização em pacientes com Covid-19.»

Na noite de quinta-feira, a OMS anunciou que Clark e Ellen Johnson Sirleaf, ex-presidente liberiano, vão comandar uma delegação que vai esmiuçar a reação mundial.

Os Estados Unidos confirmaram na terça-feira que vão deixar a OMS em 6 de julho de 2021. O presidente Donald Trump acusou a agência de se tornar um fantoche para a China durante a pandemia de Covid-19. A OMS nega.

Tedros Adhanom Ghebreyesus qualificou as duas mulheres como «líderes determinadas e independentes», visando enfatizar sua liberdade na avaliação das reações de sua agênciaTedros Adhanom Ghebreyesus qualificou as duas mulheres como «líderes determinadas e independentes», visando enfatizar sua liberdade na avaliação das reações de sua agência e de governos na enfermidade. Tedros Adhanom Ghebreyesus é o diretor-geral da OMS. Tedros Adhanom Ghebreyesus é o diretor-geral da OMS.

Heymann declarou durante o acontecimento online: «Eu entrei em contato com o escritório dele por outra questão , e me declararam que ele tem uma série de reuniões diplomáticas hoje, resultado da retirada dos EUA».

O surto de Covid-19 surgiu na China no final de 2019. Ele já infectou 12,16 milhões de pessoas em todo o mundo e 550.242 morreram, de acordo com uma contagem da Reuters.

Os Estados Unidos acusaram a China de não ter sido aberta com o resto do mundo nos estágios iniciais do surto. Pequim refutou a denúncia e recusou clamores por uma investigação com firmeza, descrevendo os esforços como uma propaganda contra seu país liderada pelos EUA.

Depois de aceitar a posição, Clark declarou que o posto só pode ser descrito como «excepcionalmente desafiador».

Em uma entrevista à emissora local TVNZ nesta sexta-feira, ela ddeclarouque esta foi a sexta vez em 17 anos que a OMS ddisseuma emergência de saúde pública.

«Isto ocorrerá de novo. Vamo estar em uma crise econômica, social e política ininterrupta», declarou Clark à TVNZ, se o mundo for tão despreparado na reação como foi a isto.Ela ainda declarou que vai haver muitas consultas para a indicação dos membros da delegação.

«Mas também existe um trabalho bastante real a ser feito, que é ver como a OMS tem conseguido liderar. Vai ser que ela tem os dispositivos certos? O que realmente ocorreu aqui? E existe muita política nisso.»

A Nova Zelândia é um dos poucos países que virtualmente suprimiram o vírus. A ilha do Pacífico Sul não tem casos conhecidos de transmissão comunitária e a economia voltou à normalidade pré-pandemia.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: United States, Liberia, China

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>’Ocorrerá de novo’, declara ex-premiê neozelandesa que vai analisar reação mundial à Covid-19
>>>>>Diretor-geral da OMS cancela participação em evento britânico após EUA confirmarem saída da OMS – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Premiê da Nova Zelândia lança campanha com promessa de empregos e financiamento – July 05, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Ministro da Nova Zelândia pede demissão após ‘furar’ confinamento – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Diretor-geral da OMS admite que pandemia da Covid-19 segue acelerando – July 07, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>OMS confirma 14 mortes por Ebola em novo surto na RD Congo – (EfeGeneric)
>>>>>>>>>OMS vê primeiros resultados de testes com medicamentos contra Covid em duas semanas – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>OMS admite não existir vacina contra o novo coronavírus em estágio avançado – July 03, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>OMS registra queda de casos diários do novo coronavírus – (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>Número de vítimas da Covid-19 no mundo supera marca de 507 mil, diz OMS – (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>OMS pede que cada pessoa se responsabilize para evitar surtos de Covid-19 – July 01, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Covid-19 causa perdas equivalentes a 400 milhões de empregos – June 30, 2020 (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 pacientes 540 100 NONE 9 pacientes de Covid-19: 3, pacientes: 6
2 OMS 0 0 ORGANIZATION 9 (tacit) ele/ela (referent: a OMS): 2, a OMS: 5, A OMS: 2
3 eu 73 0 NONE 6 (tacit) eu: 4, Eu: 1, me: 1
4 Tedros Adhanom Ghebreyesus 0 0 PERSON 5 Tedros_Adhanom_Ghebreyesus (apposition: O diretor-geral de a Organização_Mundial_de_Saúde): 1, Tedros_Adhanom_Ghebreyesus (apposition: O diretor-geral de a OMS): 1, Tedros_Adhanom_Ghebreyesus (apposition: o diretor-geral de a OMS): 1, (tacit) ele/ela (referent: Tedros_Adhanom_Ghebreyesus): 2
5 os Estados_Unidos 0 0 PLACE 4 Os Estados_Unidos: 3, os Estados_Unidos: 1
6 reação 0 0 NONE 4 a reação inflamatória: 1, a reação: 1, a reação global: 1, reação: 1
7 agência 0 50 NONE 3 A agência: 1, a agência: 2
8 Clark 80 0 PERSON 3 (tacit) ele/ela (referent: Clark): 1, Clark: 2
9 a China 80 0 PLACE 3 (tacit) ele/ela (referent: a China): 1, a China: 2
10 países 0 0 NONE 3 os poucos países: 2, vários países: 1