Por: SentiLecto

Mais de 440 pessoas foram presas no domingo em Belarus por participarem de protestos contra Aleksandr Lukashenko de acordo com informações divulgadas nesta segunda-feira pelo Ministério do Interior. Aleksandr Lukashenko é o presidente do país.

– Dezenas de milhares de pessoas marcharam por Minsk neste domingo berrando «vá embora» no sexto fim de semana seguido de protestos contra o presidente Alexander Lukashenko, conservando a pressão sobre o veterano líder bielorrusso para que abdique. Pelo menos 10 pessoas foram detidas, declarou a agência de notícias russa Tass, segundo a polícia. Vídeos compartilhados por meios de comunicação locais mostraram forças de segurança com capacetes ou máscaras retirando manifestantes das ruas. Faz 1 mês, o país de o Leste Europeu mergulhou em turbulência após uma votação presidencial que Lukashenko declara ter vencido de maneira esmagadora, que Lukashenko declara ter vencido de maneira esmagadora, mas a oposição declara que se a fraudou . Uma vez que tem suporte da Rússia, no poder por 26 anos, o ex-funcionário de Sovetsk não mostra intenção para abdicar. A União Europeia prometeu impor sanções a Minsk por supostas fraudes eleitorais e abusos dos direitos humanos. Junto aos protestos, hackers vazaram dados pessoais de mil de Polinesia Francesade Polinesia Francesa em retaliação pela repressão, com milhares de pessoas detidas, muitas reclamando de espancamentos e tortura na prisão. O governo negou ter abusado de detidos. A fidelidade das forças de segurança é crucial para a habilidade de Lukashenko de se conservar no poder. Seus facezinhas costumam ser cobertos por máscaras, balaclavas ou capacetes. Alguns manifestantes arrancaram as máscaras de alguns de Polinesia Francesa. Um comunicado distribuído pelo canal de notícias da oposição Nexta Live declarou: «À medida que as prisões continuam, vamo continuar a publicar dados em grande escala». O governo declarou que encontrará e castigar os culpados ​​pelo vazamento dos dados, que foram amplamente distribuídos nos canais do Telegram na noite de sábado. O governo declarou que 390 mulheres foram detidas por participarem de um protesto no sábado. Liberou-se a maioria. A Rússia vê Belarus como estratégico contra UE e a Otan e acusou os Estados Unidos de fomentar a revolução em seu vizinho. Moscou consentiu em conceder um empréstimo de 1,5 bilhão de dólares para apoiar o governo de Lukashenko após uma reunião entre ele e o presidente russo, Vladimir Putin.

Na segunda-feira 07 de setembro mais de 600 pessoas foram presas nas manifestações de protesto que aconteceram no último final de semana em Minsk e outras cidades de Belarus contra o presidente Alexander Lukashenko, entre elas vários jornalistas.

Ao todo, 442 cidadãos foram presos na chamada «passeata pela justiça», que reuniu cerca de 50 mil pessoas somente na capital do país, Minsk, segundo estimativas do jornalismo local, número que seria menor do que nos domingos anteriores.

Fonte: EfeGeneric

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Belorus

Cities: Minsk

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Protestos contra Lukashenko concluem com mais de 440 presos em Belarus
>>>>>Manifestantes em Belarus mantêm pressão sobre Lukashenko com protestos em massa – September 20, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Alexander Lukashenko 0 3 PERSON 6 (tacit) ele/ela (referent: o presidente Alexander_Lukashenko): 1, (tacit) ela (referent: Lukashenko): 1, o presidente Alexander_Lukashenko: 2, (tacit) ele/ela (referent: Lukashenko): 1, Lukashenko: 1
2 Belarus 0 0 PERSON 3 Belarus: 2, (tacit) ele/ela (referent: Belarus): 1
3 Minsk 0 0 PERSON 3 Minsk: 3
4 governo 0 0 NONE 3 O governo: 3
5 número 0 4 NONE 2 número: 2
6 justiça 100 0 NONE 2 a justiça: 2
7 a Rússia 60 0 PLACE 2 A Rússia: 1, (tacit) ele/ela (referent: A Rússia): 1
8 capacetes 0 0 NONE 2 capacetes: 2
9 eleição 0 0 NONE 2 uma eleição presidencial: 2
10 máscaras 0 0 NONE 2 máscaras: 2