Por: SentiLecto

A Delegacia de Repressão ao Crime Organizado descobriu que milicianos de Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, cobram taxas semanais de malabaristas que se exibem nos sinais de tráfego do bairro em busca de trocados dos motoristas. Habitantes em situação de rua que são flanelinhas durante o dia também padecem extorsão dos paramilitares. Deu-se a informação em este sábado pela colunista de o EXTRA Berenice Seara.

— Em 2017, 2018, chamaram atenção na contabilidade da milícia anotações da espécie, quando a gente fez diversas apreensões em operações passadas: “tia do sinal”, “negão da água”, “flanelinha”, e aí a gente começou a buscar mais informações. A gente descobriu que a milícia cobra dos ambulantes que vendem pipoca e salgadinho nas ruas, por exemplo. Não há um valor fixo, depende da localidade e do porte do comércio. Quando estava na 35ª DP , nem essas pessoas que têm a vida bastante humilde são William Pena Junior que investiga a milícia desde. William Pena Junior é o delegado-titular da Draco. William Pena Junior é o delegado-titular da Draco.

— Sobre esse processo eleitoral, estamos atenciosos. O governo estadual não pediu suporte federal e isso nos dá uma grande responsabilidade. Não iremos admitir currais eleitorais, seja na área de milícia ou do tráfico de drogas — alegou o Rodrigo Teixeira de Oliveira.— Sobre esse processo eleitoral, estamos atenciosos. O governo estadual não pediu suporte federal e isso nos dá uma grande responsabilidade. Não iremos admitir currais eleitorais, seja na área de milícia ou do tráfico de drogas — alegou o Rodrigo Teixeira de Oliveira.O delegado Fábio Freitas Salvadoretti alega que o grupo de Ecko tem se fortalecido na região da Costa Verde.

Na sexta-feira 09 de outubro o Orlando Curicica, que estava preso em um presídio federal foi preso nesta quo Orlando Curicica, que estava preso em um presídio federal foi preso nesta quinta-feira, dia 8, por agentes da Delegacia de Repressão nas Ações Criminosas Organizadas . O Orlando Curicica, que estava preso em um presídio federal é principal adversário do paramilitar Orlando Oliveira de Araújo. O Orlando Curicica, que estava preso em um presídio federal é principal adversário do paramilitar Orlando Oliveira de Araújo.O criminoso, de 33 anos, estava escondido em uma casa de opulência em Magé, na Baixada Fluminense, a mais de 70 quilômetros de onde ele tem o domínio — a comunidade da Covanca, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio.

A informação sobre a prática criminosa chegou aos de Polinesia Francesa através de acusações. As taxas cobradas pela milícia variam de acordo com a atividade exercida pelo alvo da extorsão, explica o delegado:

— A do flanelinha é, por exemplo, de R$ 10 por semana. A taxa cobrada da tia da pipoca é de R$ 15. Uma farmácia deve dar R$ 500.

Willian Pena evidenciou o protagonismo de as pessoas delatarem pelos canais anônimos, como o Disque Denúncia e a Ouvidoria da Polícia Civil, para fornecer informações importantes para a polícia, mas protegendo a identidade.

— As acusações são bastante poucas em relação à quantidade de crimes. É óbvio que a gente não deseja que eles se exponham, que eles corram risco de vida, mas é preciso compreender que a contribuição que eles dão para a segurança pública é de grande valia. O mínimo que eles contribuem auxilia bastante a gente, por exemplo, informações sobre dias, horários de cobrança da milícia qualidades dos veículos. Horários de cobrança da milícia são valores que estão sendo cobrados. Eles sabem declarar até qualidades físicas importantes desses cobradores — explicou.

Também na Zona Oeste, um homem e uma mulher foram presos neste sábado pela Polícia Civil acusados de integrar uma milícia que extorque dinheiro de habitantes de um conjunto habitacional de Santa Cruz e já expulsou dez famílias do local este ano para revender os apartamentos, Faz 1 dia, conforme mostrou o RJ1, de a TV Globo. As inquéritos começaram a partir de uma acusação feita por vítimas que procuraram a 14ª DP — a opção pela delegacia da Zona Sul, que fica a mais de 50 quilômetros do local do crime, foi por medo de ir a uma unidade perto da área de atuação do bando.

Na ação para prender os suspeitos, que contou com suporte da Draco, agentes encontraram nos endereços deles, satisfizeram-se cadernos onde mandados de busca e apreensão, com anotações de contabilidade sobre as vendas de os imóveis, além de um coldre. Os dois ficaram calados no testemunho à polícia.

A força-tarefa instituída pela Polícia Civil para lutar as milícias no Rio prendeu, neste sábado, um homem acusado de ser paramilitar e de ter cometido um assassinato qualificado. De acordo com a polícia, Angelo Alan Talvoras Vianna, vulgo Anjinho, de 26 anos, foi localizado numa casa em Magé, na Baixada Fluminense, onde foi satisfeito mandado de prisão preventiva contra ele.

Se acusa o miliciano de, junto com outros dois homens, matar um desafeto em dezembro de 2019, com dois tiros, apos uma briga em frente a o Polo Desportivo em o bairro Mauá, em Magé. De acordo com a inteligência da Polícia Civil, Anjinho tem anotações criminais por porte ilegal de arma de fogo e receptação.

Policiais da 33ª DP prenderam, sexta-feira , três homens e apreenderam um adolescente acusados de integrar uma milícia que atua em Guadalupe, na Zona Norte do Rio. O inquérito, que estava em andamento há cerca de um mês, iniciou após a morte de um PM. Autuaram-se os três maiores de idade por constituição de milícia privada, e o menor por fato análogo ao mesmo crime.

Dezessete mortos em confrontos

De quarta-feira até este sábado , a força-tarefa de guerrazinha à milicia prendeu 26 suspeitos de integrar bandos paramilitares e matou 17 em confronto.

Se o capturou além dos quatro presos de Guadalupe, de os dois de Santa Cruz e do que em Magé, a Polícia Civil prendeu, em a quarta-feira, um suspeito de ser homem de combate o » » de a milícia que atua em Nova Iguaçu. Se a apreendeu com ele, uma pistola com a numeração raspada. No mesmo dia, mas em outra ação, cinco suspeitos foram mortos em confronto com agentes da Core, que foram recebidos a tiros quando verificavam uma informação de que haveria uma reunião de milicianos na região conhecida como Km 32, também em Nova Iguaçu.

Rodrigo Teixeira de Oliveira repassou em a manhã de esta sexta-feira a informação , subsecretário de Planejamento e Integração Operacional da Polícia Civil. Além dos aspirantes ao pleito, presidentes das comunidades também terão que se explicar.

Na sexta-feira, a Polícia Civil fez uma operação para agredi o braço financeiro da milícia chefiada por Wellington da Silva Braga, o Ecko. Dezoito suspeitos foram presos.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

Countries: Brazil, Peru, Bolivia

Cities: Santa Cruz, Nova Iguacu, Maua, Mage, Guadalupe, Campo Grande

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Milícia cobra taxa semanal e malabaristas que se exibem nos sinais de Campo Grande
>>>>>Candidatos que atuam sozinhos em regiões dominadas pela milícia vão prestar esclarecimentos à polícia – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Candidatos que atuam sozinhos em áreas de milícia vão prestar esclarecimentos à polícia – October 16, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Saiba quem é Tandera, homem de confiança de Ecko, um dos milicianos mais procurados do Rio – October 16, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Força-tarefa da Polícia Civil com a PRF intercepta comboio de milicianos em Itaguaí; mais de dez suspeitos são mortos – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Força-tarefa da Polícia Civil com a PRF intercepta comboio de milicianos em Itaguaí; 12 suspeitos são mortos – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Força-tarefa de combate às milícias é recebida a tiros de fuzis durante operação em Nova Iguaçu – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Saiba quem é Tandera, homem de confiança de Ecko, miliciano mais procurado do Rio – October 16, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Suspeito de integrar grupo tático de milícia de Nova Iguaçu é preso pela força-tarefa da Polícia Civil – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Milícia de Ecko expandiu atuação para o Porto de Itaguaí, Mangaratiba e Angra dos Reis, segundo investigações – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 milícia 0 0 NONE 9 uma milícia: 2, milícia privada: 1, a milícia: 6
2 nós 86 0 NONE 6 nos: 2, (tacit) nós: 4
3 combate 0 50 NONE 5 (tacit) ele (referent: combate): 1, (tacit) ele/ela (referent: combate): 3, ele (referent: combate): 1
4 gente 0 35 NONE 5 a gente: 4, A gente: 1
5 a Polícia_Civil 0 0 PERSON 5 a Polícia_Civil: 4, (tacit) ela (referent: a Polícia_Civil): 1
6 Magé 0 0 PLACE 4 Magé: 4
7 informação 0 0 NONE 4 uma informação: 1, A informação: 3
8 suspeitos 0 390 NONE 3 Dezoito suspeitos: 1, 26 suspeitos: 1, cinco suspeitos: 1
9 presos 0 240 NONE 3 quatro presos: 1, presos: 2
10 r 0 0 NONE 3 R: 3