Por: SentiLecto

A Polícia Civil estuda montar uma força-tarefa para investigar possíveis anormalidades cometidas por agentes públicos da esfera estadual e municipal durante ao tempo que o estado ficar na pandemia de coronavírus. O objetivo é identificar fraudes e desvios de dinheiro no tempo em que o Rio de Janeiro ficar em tragédia pública por conta do novo vírus.

A maior dos combates envolve duas quadrilhas de traficantes e um grupo de milicianos. Faz 1 mês, criminosos de a maior facção de o tráfico de o Rio saíram de o Complexo do Lins para invadir os morros de o Dezoito em Quintino, em a Zona Norte e de o Saçu,, em o dia 10 de março.

Na sexta-feira 13 de março a Secretaria de Administração Penitenciária estudava interromper provisoriamente a visitação em todos os presídios do estado por conta do coronavírus. O objetivo era evitar que a enfermidade entre nas unidades prisionais do Rio de Janeiro. Atualmente, cerca de 52 mil detentos estavam distribuídos em 46 presídios e em quatro unidades prisionais hospitalares. A previsão era de que o governador Wilson Witzel se posicione sobre a questão até o fim desta sexta-feira.

Faz 14 dias, o governador Wilson Witzel decretou tragédia pública diante do progressão de a covid-19 em o estado, em o último dia 21. Se promulgou a resolução em personalidade extraordinária, já que o estado já havia entrado em a situação de emergência em face do alastramento de o vírus.

Segundo apurou O GLOBO, vão participar da Coordenadoria de Investigação de Agentes comForo a Departamento Geral de Combate na Corrupção, ao Crime Organizado e na Lavagem de Dinheiro e a Delegacia de Repressão nas Ações Criminosas Organizadas . A Coordenadoria de Investigação de Agentes com Foro é a força-tarefa da Polícia Civil a Subsecretaria de Inteligência . Foro é a Delegacia Fazendária .Marcou-se a reunião para essa semana entre o secretário de a Polícia Civil, o delegado Marcus Vinícius Braga, e os delegados responsáveis pelas especializadas que terão que fazer parte da força-tarefa. Os agentes deverão escutar do secretário que eles vão ter total suporte nos inquéritos contra qualquer agente público que praticar desvio de propósito no tempo em que durar a tragédia pública.

Na sua vez, as duas facções do tráfico que se enfrentam no Morro do Dezoito também brigam pelo controle de outras cinco favelas disseminadas pelo estado. No Morro do Adeus, vizinho ao Complexo do Alemão, ocorre o combate mais duradouro: os tiroteios acontecem desde dezembro do ano passado. Faz 24 dias, o mais recente ocorreu em o último. A facção — que controla a Serrinha, a Cidade Alta e a maior parte do Complexo da Maré e perdeu o Morro do Dezoito — invadiu a favela e se conservou lá desde então.

Procurado, o delegado Marcus Vinícius Braga declarou que não irá comentar o teor da reportagem. O delegado Marcus Vinícius Braga é o secretário da Polícia Civil.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Polícia Civil do Rio monta força-tarefa para investigar fraudes e desvios de dinheiro durante pandemia
>>>>>Tráfico e milícia disputam favelas no Rio em meio à pandemia de coronavírus – April 05, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 estado 0 0 NONE 4 o estado: 4
2 tempo 0 0 NONE 3 o tempo: 3
3 as duas facções de o tráfico 0 160 NONE 2 as duas facções de o tráfico: 2
4 calamidade 0 100 NONE 2 a calamidade pública: 1, calamidade pública: 1
5 Vinícius Marcus Braga 0 0 PERSON 2 o delegado Marcus_Vinícius_Braga (apposition: o secretário de a Polícia_Civil): 1, o delegado Marcus_Vinícius_Braga: 1
6 Wilson Witzel 0 0 PERSON 2 o governador Wilson_Witzel: 2
7 agente 0 0 NONE 2 qualquer agente público: 2
8 eu 0 0 NONE 2 (tacit) eu: 2
9 facção 0 0 NONE 2 A facção e e: 2
10 o Morro de o Dezoito 0 0 PLACE 2 o Morro de o Dezoito: 2