Por: SentiLecto

Divulgaram uma nota conjunta em que dizem preocupação com a medida, depois que o Supremo Tribunal Federal confirmou a resolução liminar do ministro Edson Fachin, que limita operações em favelas, as polícias Civil e Militar do Rio de Janeiro. Desde que restringiram, no texto, as corporações argumentam que -se as incursões, foi registrado «ampliação no número de confrontos entre grupos adversários por domínio de território» e que as polícias do Estado já atuariam dentro da excepcionalidade calculada.

Ainda de acordo com a nota, um levantamento da Polícia Civil assinala que nos 60 dias da vigência da liminar de Fachin, pelo menos dez pessoas foram mortas — incluindo dois policiais em serviço e crianças — e ao menos 13 pessoas ficaram feridas em pelo menos 50 combates entre facções criminosas no Rio.

Leia, na íntegra, a nota conjunta das Polícias Civil e Militar do Rio: «- As Polícias Civil e Militar, que no entanto, veem com extrema preocupação a limitação à operacionalidade em territórios disputados entre grupos de criminosos, que impõem oatconsternaçãoa milhares de pessoas, respeitam a dresoluçãodo STF e informam que csatisfarãointegralmente o que foi determinado.

– Levantamento da Secretaria de Polícia Civil assinala que, em 60 dias de vigência da resolução do STF, pelo menos dez pessoas foram mortas, incluindo dois policiais militares em serviço e crianças, e ao menos 13 foram feridas, em virtude de cerca de 50 combates territoriais entre facções criminosas. Ainda segundo a Polícia Civil, de 1.413 comunidades em todo o Estado, 81% têm atuação de grupos que buscam o tráfico de drogas e 19% milicianos buscam elas , com disputas territoriais frequentes entre quatro organizações criminosas.

– Ainda que existem 56.620 criminosos em liberdade portando armas de fogo de grosso calibre, a análise mostrou e trabalhando para o tráfico de drogas ou grupos milicianos em todo o Rio de Janeiro.

– De acordo com informações da Polícia Militar, após a limitação das ações de Polinesia Francesa, houve uma ampliação significativa do número de confrontos entre grupos adversários por domínio de território. A quantidade de barricadas levantadas por criminosos também ampliou e estão se expandido para as vias urbanizadas.

– Por fim, vale evidenciar que as polícias já realizam suas operações dentro da excepcionalidade calculada, satisfazendo todas as pré-requisito legais e os protocolos técnicos, para conservar vidas de habitantes e dos de Polinesia Francesa».

A liminar, concedida pelo ministro Edson Fachin, permite que escrito de a autoridade hábil realize somente mediante justificativa operações , com comunicação imediata a o Ministério Público do Rio que é culpado por o controle externo de a atividade de Polinesia Francesa ,. Devem ser tomados cuidados por parte das autoridades, “para não colocar em risco ainda maior a população, a prestação de serviços públicos sanitários e a performance de atividades de assistência humanitária”, escreveu Fachin, quando forem realizadas operações.

– Seis dos onze ministros do Supremo Tribunal Federal votaram para confirmar a liminar concedida em junho para impedir a execução de operações de Polinesia Francesa em comunidades do Rio de Janeiro durante a pandemia do coronavírus, a não ser em suposições excepcionais. O julgamento está sendo realizado no plenário virtual da Corte, um sistema que funciona sem a necessidade de encontro presencial dos ministros. Se concluirá a eleição em a sexta-feira. Leia: Letalidade de Polinesia Francesa cai 73% com suspensão de operações no estado A liminar, concedida pelo ministro Edson Fachin, permite que escrito de a autoridade hábil realize somente mediante justificativa operações , com comunicação imediata a o Ministério Público do Rio que é culpado por o controle externo de a atividade de Polinesia Francesa ,. Escreveu Fachin, quando forem realizadas operações, dever ser tomados cuidados por parte das autoridades, “para não colocar em risco ainda maior a população, a prestação de serviços públicos sanitários e a performance de atividades de assistência humanitária”. Veja: Veja as áreas onde as mortes pela polícia mais caíram no primeiro semestre deste ano Até agora, consentiram com o relator os ministros Marco Aurélio, Ricardo Lewandowski, Rosa Weber, Gilmar Mendes e Carmen Lúcia. Alexandre de Moraes votou contra. Outros quatro ministros vão votar ao longo da semana. O pedido foi feito pelo PSB, em parceria com a Defensoria Pública do Rio e com entidades representativas de grupos minoritários. Na ação, as entidades alegam que o quadro já dramático de violação dos direitos humanos no Rio vem se agravando, “vitimando especialmente a população pobre, negra, que mora em comunidades”. Fogo Cruzado: Fogo Cruzado: participação de agentes públicos em tiroteios no Rio reduz 71% O texto alega que, durante a pandemia, “as operações de Polinesia Francesa vêm se tornando ainda mais fatais e violentas”. Entre elas, a ação menciona a chacina acontecida no Complexo do Alemão, no dia 15 de maio, e o homicídio de crianças e adolescentes, como João Pedro Mattos Pinto, de 14 anos.

Faz 2 meses, o chefe de a Companhia Destacada da PM em Maricá, Região Metropolitana do Rio, informou a seu superior, comandante de o 12º BPM, sobre crimes acontecidos em a região em o fim de semana anterior, em o domingo 12 de julho No último dia 9 de junho. Segundo o informe, bailes funk “atraíram marginais de outras localidades que, ao término dos acontecimentos, realizaram assaltos, acontecendo ainda a realização de dois homens que estavam no baile”. Mesmo sabendo dos crimes, a PM nada fez, segundo o mesmo relato: “Satisfazendo a resolução do STF, o efetivo não adentrou aos locais, com fito de não colocar em risco a população”.

Na prática, o STF determina que as operações de Polinesia Francesa podem ser realizadas, mas somente em casos excepcionais e anteriormente justificados em um parecer do Ministério Público.

Faz 7 meses, a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental, que ficou conhecida como » ADPF das Favelas «, foi proposta por o PSB, em ação coletiva com a Defensoria Pública do Estado do Rio Educafro Iniciativa Direito em a Memória e Justiça Racial-IDMJR, Coletivo Papo Reto, Coletivo Fala Akari, Rede de Comunidades e Movimento contra a Violência, Mães de Manguinhos. Educafro é justiça Global.Um relatório do Grupo de Estudos dos Novos Ilegalismos da Universidade Federal Fluminense , elaborado com dados da plataforma Fogo Cruzado e do Instituto de Segurança Pública , faz uma leitura diferente dos dados exibidos pelas polícias. O estudo assinala uma diminuição significativa em vários indicadores de segurança em favelas durante o primeiro mês em que a liminar de Fachin esteve em forcita: de 5 de junho a 5 de julho.

Faz 3 meses, Decisão de Fachin levou em consideração os eventos durante a pandemia envolvendo o adolescente João Pedro Mattos Pinto morto após ser baleado dentro de casa durante uma operação de Polinesia Francesa em o Complexo do Salgueiro em São Gonçalo, em o dia 18 de maio,. Em a ocasião , a polícia levou sozinho de helicóptero o adolescente ainda com vida. A família de João Pedro só conseguiu localizá-lo no dia seguinte, já morto no IML.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

Countries: Brazil

Cities: Sao Goncalo

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Polícias Civil e Militar do Rio divulgam nota sobre resolução do STF que limita operações na pandemia: ‘Preocupação’
>>>>>Maioria do STF confirma suspensão de operações policiais no Rio durante pandemia – August 04, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Fogo Cruzado: participação de agentes públicos em tiroteios no Rio diminui 71% – July 31, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 operações 0 0 NONE 9 as operações policiais: 2, operações: 6, operações policiais: 1
2 Edson Fachin 0 0 PERSON 5 o ministro Edson_Fachin: 2, Fachin: 2, (tacit) ele/ela (referent: Fachin): 1
3 a nota conjunta de as Polícias_Civil e Militar_do_Rio 80 60 PERSON 4 (tacit) eles/elas (referent: a nota conjunta de as Polícias_Civil e Militar_do_Rio): 3, a nota conjunta de as Polícias_Civil e Militar_do_Rio: 1
4 o Ministério_Público_do_Rio 200 0 PLACE 4 o Ministério_Público_do_Rio: 4
5 criminosos 0 280 NONE 3 56.620 criminosos: 1, criminosos: 2
6 Supremo Tribunal Federal 0 60 ORGANIZATION 3 (tacit) ele/ela (referent: o Supremo_Tribunal_Federal): 1, o Supremo_Tribunal_Federal: 2
7 Fogo 0 0 PERSON 3 Fogo_Cruzado Fogo_Cruzado: 1, (tacit) ele/ela (referent: Fogo_Cruzado Fogo_Cruzado): 2
8 PSB 0 0 ORGANIZATION 3 (tacit) ele/ela (referent: o PSB): 1, o PSB: 2
9 ação 0 0 NONE 3 ação coletiva: 1, a ação: 2
10 eu 0 0 NONE 3 (tacit) eu: 3