Por: SentiLecto

A Justiça deteminou que Toni Ângelo de Souza Aguiar deve regressar ao sistema prisional do Rio de Janeiro. Ex-PM, Toni Ângelo era a assinalado como chefe da maior milícia da região de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. Desde 2013, ele satisfazia pena na Penitenciária Federal em Mossoró, no Rio Grande de Norte. Mas, na visão do desembargador Cairo Ítalo França David, da Quinta Câmara Criminal, a continuidade do preso na unidade de segurança máxima não seria necessária.

Na resolução, de 25 de junho, o juiz frisa que o prazo de 360 dias transferiu em agosto de 2013 Toni Ânfelo que vinha sendo renovado , , desde então «ao calafrio da lei». Ele também alega que os pedidos de continuidade do preso am presídio federal vêm sendo baseados em dados agravantes antigos, «hipóteses e inferências, sem qualquer conteúdo novo», que não comprovariam que «seu regresso ao estado de origem possa afetar o interesse da segurança pública».

Contra Toni Ângelo também não há, segundo o desembargador, nova ação penal, nova investigação ou inquérito desde a transferência. O juiz na ementa alega: «Portanto, não penso ser necessária sua continuidade em presídio federal de segurança máxima».

Contra Toni Ângelo também não há, segundo o desembargador, nova ação penal, nova investigação ou inquérito desde a transferência. O juiz na ementa alega: «Portanto, não penso ser necessária sua continuidade em presídio federal de segurança máxima».

O Ministério Público aguarda ser intimado da resolução para analisar a relevância de recurso.

Toni Ângelo é ex-PM e satisfazia pena na Penitenciária de Mossoró, no Rio Grande do Norte, desde agosto de 2013. Ele havia sido preso um mês antes, quando era considerado o chefe da maior milícia de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio.

Faz 11 meses, de o ano passado, a morte de um casal condenou a 80 anos de prisão Toni Ângelo e uma tentativa de assassinato, acontecidos em Santa Cruz em 2011, em agosto. Duas vítimas era policias militares: o cabo Charles de Castilho Braga e o soldado André Luís Teodulino dos Santos.

Na sentença, Tula Corrêa de Mello escreveu: «As circunstâncias do crime são absolutamente desfavoráveis, em contexto de combate de milícia, grupo paramilitar que busca se sobrepor na ordem do Estado, assumindo funções exclusivas de poder, provocando consternação em virtude das mortes violentas típicas de organização criminosa terrorista, em vias públicas, com aumentada ousadia criminosa e Tula Corrêa de Mello escreveu: «As circunstâncias do crime são absolutamente desfavoráveis, em contexto de combate de milícia, grupo paramilitar que busca se sobrepor na ordem do Estado, assumindo funções exclusivas de poder, provocando consternação em virtude das mortes violentas típicas de organização criminosa terrorista, em vias Tula Corrêa de Mello bélico». Tula Corrêa de Mello é a juíza-auxiliar do 3º Tribunal do Júri. Tula Corrêa de Mello é a juíza-auxiliar do 3º Tribunal do Júri. Tula Corrêa de Mello é a juíza-auxiliar do 3º Tribunal do Júri.E completou: «Ainda, deve ser reconhecida consequência social altamente danosa provocada pelo grupo criminoso liderado pelo acusado, atemorizando testemunhas e cidadãos de bem, reféns da ordem imposta através do utilização da força pela milícia na localidade onde aconteceram os fatos.

Na sentença, Tula Corrêa de Mello escreveu: «As circunstâncias do crime são absolutamente desfavoráveis, em contexto de combate de milícia, grupo paramilitar que busca se sobrepor na ordem do Estado, assumindo funções exclusivas de poder, provocando consternação em virtude das mortes violentas típicas de organização criminosa terrorista, em vias públicas, com aumentada ousadia criminosa e Tula Corrêa de Mello escreveu: «As circunstâncias do crime são absolutamente desfavoráveis, em contexto de combate de milícia, grupo paramilitar que busca se sobrepor na ordem do Estado, assumindo funções exclusivas de poder, provocando consternação em virtude das mortes violentas típicas de organização criminosa terrorista, em vias Tula Corrêa de Mello bélico». Tula Corrêa de Mello é a juíza-auxiliar do 3º Tribunal do Júri. Tula Corrêa de Mello é a juíza-auxiliar do 3º Tribunal do Júri. Tula Corrêa de Mello é a juíza-auxiliar do 3º Tribunal do Júri.E completou: «Ainda, deve ser reconhecida consequência social altamente danosa provocada pelo grupo criminoso liderado pelo acusado, atemorizando testemunhas e cidadãos de bem, reféns da ordem imposta através do utilização da força pela milícia na localidade onde aconteceram os fatos.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

Countries: Brazil, Bolivia

Cities: Rio Grande, Santa Cruz, Mossoro

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Justiça determina que miliciano Toni Ângelo regresse ao sistema prisional do Rio
>>>>>Justiça determina transferência de miliciano Toni Ângelo ao sistema prisional do Rio – July 08, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 0 112 NONE 6 (tacit) eu: 6
2 Ângelo Toni 0 60 PERSON 6 Toni_Ângelo: 4, Toni_Ânfelo: 1, Toni_Ângelo_de_Souza_Aguiar: 1
3 grupo 120 160 NONE 4 o grupo criminoso liderado: 2, grupo paramilitar: 2
4 Tula Corrêa de Mello 0 120 PERSON 4 Tula_Corrêa_de_Mello (apposition: a juíza-auxiliar de o 3º Tribunal_do_Júri): 2, (tacit) ele/ela (referent: Tula_Corrêa_de_Mello): 2
5 Ministério Público 0 0 ORGANIZATION 3 O Ministério_Público: 1, (tacit) ele/ela (referent: O Ministério_Público): 1, Ele (referent: O Ministério_Público): 1
6 magistrado 0 0 NONE 3 o magistrado: 3
7 mortes violentas típicas de organização criminosa 80 460 NONE 2 mortes violentas típicas de organização criminosa: 2
8 as circunstâncias de o crime 0 290 NONE 2 As circunstâncias de o crime: 2
9 poder 200 160 NONE 2 inequívoco poder bélico: 2
10 audácia 100 160 NONE 2 elevada audácia criminosa: 2