Por: SentiLecto

Assombrou-se Leonardo Gouvea da Silva antes de as 6h de esta terça-feira, a o ser acordado com a polícia em a sacada de sua casa de duas andares em a Vila Valqueire em a Zona Norte do Rio,. Leonardo Gouvea da Silva é o Mad. Ao som da ordem «abra! É a polícia. Abra! É a polícia.», o homem — assinalado pela Polícia Civil e pelo Ministério Público como substituto do ex-capitão do Batalhão de Operações Policiais Especiais , Adriano Magalhães da Nóbrega, à frente da organização criminosa — deixou o aconchego da cama com uumacmantinhade estampa de zebra, ainda vestindo sexclusivamenteuma cueca, para abrir a cortina e a porta de vidro. Instantes depois os policiais entraram no imóvel pela porta da frente, adornada com um olho grego – amuleto de proteção que promete afastar a inveja e as energias negativas — e com uma coruja, emblema de inteligência e sapiência.

Por serem policiais e ex-PMs, conhecem bem a máquina administrativa e têm uma farta rede de informantes. Seus carros são cuidadosamente selecionados e adulterados desde seus acessórios até as placas, que são clonadas para confundir o monitoramento por câmeras e despistar eventuais rastreamentos. Após essa etapa de preparo, os criminosos estudam os costumes e as rotinas das vítimas.Antes da morte de Bid, em outubro do ano passado, Shanna Harouche, filha de Maninho e sobrinha da vítima, também padecera um ataque a tiros, em frente a um shopping no Recreio dos Bandeirantes. Mesmo baleada, ela conseguiu fugir e sobreviver. Em testemunho à DH, a vítima acusou o ex-cunhado Bernardo como mandante do ataque. O motivo: a disputa no espólio de Maninho. Após a morte de Bid, Shanna ratificou a suspeita, em sua segunda ida à delegacia.Por serem policiais e ex-PMs, conhecem bem a máquina administrativa e têm uma farta rede de informantes. Seus carros são cuidadosamente selecionados e adulterados desde seus acessórios até as placas, que são clonadas para confundir o monitoramento por câmeras e despistar eventuais rastreamentos. Após essa etapa de preparo, os criminosos estudam os costumes e as rotinas das vítimas.Por serem policiais e ex-PMs, conhecem bem a máquina administrativa e têm uma farta rede de informantes. Seus carros são cuidadosamente selecionados e adulterados desde seus acessórios até as placas, que são clonadas para confundir o monitoramento por câmeras e despistar eventuais rastreamentos. Após essa etapa de preparo, os criminosos estudam os costumes e as rotinas das vítimas.

Mad é o principal alvo da operação deflagrada Polícia Civil e o Ministério Público do Rio contra o principal grupo de matadores de aluguel do Rio: o Escritório do Crime. Ao ser assombrado pelos agentes e pelo delegado titular da Delegacia de Homicídios, Daniel Rosa, e a coordenadora do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado , Simone Sibilio, Mad questionou se a equipe tinha um mandado de busca e apreensão.

— Tudo aqui é dentro da lei — declarou Rosa, mostrando os documentos.

Antes do começo das buscas, Mad ficou sentar-se na varando por cerca de três minutos. Se o chamou só então de volta a o quarto para que o cômodo pudesse ser revistado. Nos armários, a coordenadora do Gaeco olhava com atenção cada uma das blusas. Na época do homicídio do empresário Marcelo Diotti da Mata, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, em 14 de março de 2018, as inquéritos, de acordo com o MP e a polícia, teriam chegado a Mad e seu grupo por meio de imagens de câmeras de segurança no estacionamento do restaurante onde o crime ocorreu. Simone Sibilio parecia procurar por uma blusa especificamente. No quarto também foram apreendidos aparelhos de celular.

Um dos momentos tensos foi o pedido de Mad para ir ao toalete. O acompanhou a o cômodo, em a suíte em que dormia, se o algemou e um de Polinesia Francesa. Antes de autorizar, o delegado Rosa o advertiu:

— Você não fará gracinha. Estamos te respeitando.

Depois, ele se vestiu com uma blusa selecionada e entregue por Simone Sibilio.

As buscas continuaram na residência e duraram cerca de 1 hora e 30 minutos. A casa amarela, num condomínio em Vila Valqueire, fica acima de uma ladeira de cerca de 400 metros, o que proporciona uma vista privilegiada da Zona Norte. O imóvel, de classe média, se realça no endereço por ser um dos mais cuidados e extensos. Há piscina e área de churrasqueira com TV e mesa de seis lugares. Um cachorro de pequeno porte vive com o casal. O carro de Mad estava estacionado na rua do condomínio, em frente à casa. A esposa dele acompanhou a coordenadora do Gaeco para as buscas no veículo.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Saiba como foi a prisão de homem assinalado por polícia e MP como suspeito de chefiar grupo de pistoleiros
>>>>>Grupo de matadores criado pelo ex-capitão Adriano é alvo de ação da Polícia Civil e do MP – June 30, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Escritório do Crime: grupo de matadores suspeito dos assassinato de Marielle é alvo de operação da Polícia Civil e do MP – June 30, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Escritório do Crime: grupo de matadores suspeito do assassinato de Marielle é alvo de operação da Polícia Civil e do MP – June 30, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Mad 50 0 PERSON 6 Mad: 4, (tacit) ele/ela (referent: Mad): 1, (tacit) ele (referent: Mad): 1
2 placas 0 0 NONE 6 as placas: 6
3 carros 240 240 NONE 3 Seus carros: 3
4 criminosos 0 240 NONE 3 os criminosos: 3
5 os hábitos e as rotinas de as vítimas 0 180 NONE 3 os hábitos e as rotinas de as vítimas: 3
6 confundir o monitoramento por câmeras 0 120 NONE 3 confundir o monitoramento por câmeras: 3
7 despistar eventuais rastreamentos 0 60 NONE 3 despistar eventuais rastreamentos: 3
8 Shanna Harouche 0 0 PERSON 3 Shanna_Harouche: 1, ela (referent: Shanna_Harouche): 1, Shanna: 1
9 Simone Sibilio 0 0 PERSON 3 Simone_Sibilio: 3
10 buscas 0 0 NONE 3 as buscas: 2, As buscas: 1